Menu
2019-06-07T18:49:58-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Rabo preso?

Para livrar presidente de depoimento, Santander fecha acordo na CPI da sonegação

Instituição se compromete a recolher o valor até terça-feira, 4, dois dias antes dos depoimentos de Sérgio Rial e outros executivos

31 de maio de 2019
19:03 - atualizado às 18:49
Sérgio Rial, presidente do banco Santander, na sede do Banco em São Paulo
Imagem: Murillo Constantino/Quartetto

O banco Santander firmou um acordo no valor de R$ 195.568.679,00 com a Comissão Parlamentar de Inquérito da Sonegação Tributária da Câmara Municipal de São Paulo.

A instituição se compromete a recolher o valor até terça-feira, 4, dois dias antes dos depoimentos do presidente, Sérgio Rial, e outros executivos que haviam sido convocados para prestar esclarecimentos.

Em contrapartida, a CPI irá retirar as oitivas de sua pauta. O termo foi assinado pelo vice-presidente do Santander, Alessandro Tomao.

Para o vereador Ricardo Nunes (MDB), presidente da CPI da Sonegação, "esse resultado demonstra que a CPI estava correta, que o Santander devia para o município e o pagamento foi feito na data desta sexta-feira. Portanto, são mais R$ 195 milhões para os cofres do município. Lembrando que 33% serão destinados para a educação e 15% pra saúde conforme exigido pela legislação. Isso demonstra seriedade dos trabalhos da CPI".

A multa do banco seria aplicada referente aos anos de 2014 à 2017 já que em 2018 a sede do Santander Leasing de Barueri foi transferida para o município de São Paulo.

Antes de fechar o acordo, a defesa do banco afirmava que "está em situação de regularidade fiscal com o município de São Paulo, e que a convocação de 15 executivos da instituição pela CPI ocorria mesmo após todos os esclarecimentos já terem sido prestados anteriormente, e sem que novas informações possam ser acrescentadas".

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

reta final de negociações

Senado americano aprova “pacote Biden” de US$ 1,9 trilhão

Agora, o pacote voltará para a Câmara dos Representantes, que analisará as alterações feitas no texto pelos senadores. Se for aprovado, o projeto será enviado à Casa Branca para a sanção do presidente

entrevista

‘Episódio Petrobras deu um susto grande nos investidores’, diz economista do Itaú

O economista-chefe do Itaú Unibanco, Mario Mesquita, diz também estar preocupado com as incertezas políticas, que ameaçam o crescimento do PIB

Dificuldades À vista?

Deputados falam em reduzir medidas de ajuste fiscal do texto da PEC do auxílio

Embora defenda celeridade na análise da proposta, Albuquerque admite que o texto pode ser enxugado

escolha da CEO

Investir no Brasil: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come

Confira uma seleção de matérias feita pela CEO do Seu Dinheiro, Marina Gazzoni

Efeitos da pandemia

PEC do auxílio aprovada no Senado prevê abater R$ 100 bi da dívida pública

Pelos cálculos do governo, a necessidade de financiamento da dívida pública federal (DPF) neste ano é de R$ 1,469 trilhão, valor que aumentou por causa do maior volume de títulos de curto prazo que o governo precisou emitir para conseguir captar recursos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies