Menu
Angela Bittencourt
Blog da Angela
Angela Bittencourt
é jornalista e editora da Empiricus
2019-04-26T13:11:28-03:00
BLOG DA ANGELA

O que o mercado espera para a Previdência? Pelotão do ‘centro’ vê aprovação em setembro e economia de R$ 650 bi

Pesquisa da Bloomberg mostra concentração das projeções sobre a economia possível com a Nova Previdência (56% do total) entre R$ 600 bilhões e R$ 700 bilhões ao longo de 10 anos. Os parâmetros mínimo e máximo são de, respectivamente, R$ 300 bilhões e R$ 900 bilhões.

26 de abril de 2019
12:53 - atualizado às 13:11
bolsonaro-maia-guedes-onyx
Bolsonaro entrega projeto de reforma da Previdência ao Congresso - Imagem: Marcos Corrêa/Presidência da República

Apostar é um verbo que qualquer um de nós conjuga com facilidade. Tudo bem, sei que é exagero...mas passamos a vida apostando. Quando pequenos, apostamos que o coleguinha da escola é “chorão” ou que o nosso vizinho “tampinha” vai quebrar o brinquedo primeiro. Na adolescência, quem nunca apostou que poderia ganhar a namorada do amigo ou passar entre os primeiros colocados no vestibular para engenharia ou (até!) medicina? Quando adultos, apostamos na loteria, no grande amor da nossa vida, no casamento perfeito, no trabalho dos sonhos... Você há de concordar que, em qualquer idade, apostamos pra valer que nosso time será campeão!

Tem quem chame aposta de expectativa e expectativa de projeção. Mas aposta é um palpite, expectativa é algo que se dá (quase) como certo e projeção, no sentido estatístico, é uma expectativa calculada com base em hipóteses ou em determinadas condições.

Veja você, o ministro da Economia, Paulo Guedes, esperava que a reforma poupasse R$ 1,1 trilhão ao longo de 10 anos de vigência da Nova Previdência. Alteradas as projeções de alguns indicadores é possível contar com economia um pouco maior, de R$ 1,236 trilhão, anunciou o governo. Mas Edu Campos, que acompanhou a abertura de dados usados na construção da proposta conta que há um risco real de o governo perder um terço disso já na largada das negociações caso o Centrão leve adiante sua estratégia de desidratação do texto.

Ontem, em café com jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro atirou distraidamente no pé de Paulo Guedes ao afirmar que o ministro aceita economia de R$ 800 bilhões...O resultado final vai depender, de fato, das alterações que poderão ser feitas pelos parlamentares durante as discussões do projeto na comissão especial, em maio e junho. Esse prazo foi sinalizado, ontem, pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O olhar de 30 instituições

A abertura dos dados pelo governo poderá levar especialistas do setor privado à revisão de suas projeções. Mas a pesquisa da Bloomberg com 30 instituições – divulgada ainda com as informações sob sigilo determinado pelo Ministério da Economia – é importante referência para o mercado.

A pesquisa mostra concentração das projeções sobre a economia possível com a Nova Previdência (56% do total) entre R$ 600 bilhões e R$ 700 bilhões ao longo de 10 anos. Os parâmetros mínimo e máximo são de, respectivamente, R$ 300 bilhões e R$ 900 bilhões.

Nenhuma das instituições consultadas pela agência apostou em R$ 1 trilhão de economia, a meta apresentada por Guedes pelo menos desde que se tornou ministro de Bolsonaro.

Dentre as 30 casas ouvidas pela Bloomberg, a estimativa de maior economia com a reforma, é a do Bradesco, de R$ 900 bilhões. Contudo, o banco trabalha com uma banda e, o valor mínimo calculado é R$ 600 bilhões.

A projeção mais modesta entre todas as instituições consultadas é a da RBC Capital Markets, também apresentada em banda, de economia possível entre R$ 300 bilhões de R$ 400 bilhões em 10 anos.

Uma outra leitura das expectativas de instituições financeiras quanto a Nova Previdência leva em conta o tempo que o Congresso Nacional deverá levar para concluir a votação do texto – alterado ou não durante sua tramitação na Câmara e no Senado.

Das 30 casas consultadas, 60% contam com resultado final em agosto ou setembro. As demais que compõem os 40% restantes dividem-se entre as mais otimistas e as pessimistas: 20% consideram possível a reforma estar totalmente aprovada até julho e 20% consideram factível a aprovação nas duas casas do parlamento entre outubro e dezembro.

No pelotão do “centro”, que reúne a maioria ou 18 das 30 instituições ouvidas pela Bloomberg, estão os maiores bancos brasileiros.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

QUESTIONAMENTOS

Frente parlamentar aciona STF para suspender reforma administrativa

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a suspensão imediata da tramitação da reforma administrativa. No mandado de segurança, deputados e senadores argumentam que não é possível analisar a proposta por falta de informações técnicas. Segundo os parlamentares, a imposição de sigilo nos documentos que […]

BALANÇO

BC informa que 50 milhões de chaves já foram cadastradas no Pix

O Pix é um sistema que permitirá pagamentos e transferências 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias do ano.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Esse tal de BDR

O mercado financeiro adora usar termos e siglas em inglês, talvez para tornar a coisa mais difícil do que realmente é. Nos últimos dias você já deve ter lido, inclusive aqui no Seu Dinheiro, sobre um tal de BDR. As três letras vêm de Brazilian Depositary Receipts. O quê? Calma, nós chegamos lá. O BDR é […]

As queridinhas

Tesla, Apple e Mercado Livre são os BDRs mais negociados no 1º dia de mercado aberto a todos os investidores

Empresas de tecnologia dominaram o primeiro dia de negociações liberadas a qualquer investidor, que teve volume superior à média

embalou

Ibovespa fica perto dos 102 mil pontos com disparada dos bancos e alta em NY; dólar cai abaixo do R$ 5,60

Papéis de Itaú, Banco do Brasil e Bradesco terminam sessão entre as cinco maiores altas do índice, que fechou perto da máxima; moeda americana recua 0,36% e juros sobem em dia de leilão do Tesouro e à espera de novidades fiscais. Lá fora, expectativa para estímulos alivia bolsas americanas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies