Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-14T14:22:00-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novo método

PT quer prévia entre partidos de centro-esquerda para escolher candidato a prefeito em SP

Sugestão foi apresentada pelo vereador Eduardo Suplicy em uma reunião dos diretórios zonais do PT de São Paulo

25 de junho de 2019
17:40 - atualizado às 14:22
Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil
Imagem: Shutterstock

O PT de São Paulo discute internamente abrir negociação com os demais partidos de centro-esquerda (PSB, PDT, PSOL e PCdoB) a indicação de um candidato único à Prefeitura de São Paulo. A ideia é reunir os partidos em torno de um programa comum e, a partir disso, escolher o candidato por meio de prévias que envolveriam todos as legendas.

A sugestão foi apresentada pelo vereador Eduardo Suplicy em uma reunião dos diretórios zonais do PT de São Paulo, cerca de duas semanas atrás, e ganhou o apoio de outras lideranças petistas como o deputado Carlos Zarattini (PT-SP), um dos pré-candidatos do partido à sucessão de Bruno Covas (PSDB).

"Primeiro os partidos discutem um programa para a cidade. Depois chegam a um acordo para a escolha do nome permitindo que todos partidos apresentem nomes. Pode ser uma prévia ou uma consulta", disse Zarattini. "É claro que o PT teria mais vantagem por causa do tamanho e da força, mas não podemos fechar a porta".

Além dele, outros dois nomes se colocam como pré-candidatos no PT: o deputado Paulo Teixeira e o ex-deputado Jilmar Tatto. Em reunião realizada na semana passada, o Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) do PT nacional avaliou que nenhum dos três tem chances reais de vencer a eleição.

Outros nomes como o do ex-ministro Aloizio Mercadante e da professora Ana Estela Haddad, mulher do ex-prefeito Fernando Haddad, foram sondados mas se recusaram. O próprio Haddad foi citado pela presidente do PT, Gleisi Hoffmann, como possível candidato, mas tem dito que não vai concorrer.

A falta de nomes competitivos fez com que dirigentes do PT cogitassem a possibilidade de o partido pela primeira vez em sua história não lançar candidato próprio à prefeitura da maior cidade do Brasil, governada três vezes pela legenda.

Lideranças próximas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendem que o PT apoie o ex-governador Marcio França (PSB). Forças ligadas à Gleisi preferem Guilherme Boulos (PSOL).

Zarattini negou que o PT não tenha nomes competitivos para disputar a prefeitura. "O PT tem nome. Queremos a unidade e queremos um programa comum", disse ele.

A proposta de prévias entre os cinco partidos é vista com ceticismo entre os aliados. Todos eles já têm estratégias avançadas para a disputa municipal do ano que vem. O PCdoB deve lançar candidato próprio (a ex-vice-prefeita Nadia Campeão ou o deputado Orlando Silva) como parte da tática para vencer a cláusula de barreira. O PSOL deve lançar Boulos e o PSB, França, que teve grande votação na capital paulista na disputa pelo governo. E o PDT tenta convencer a deputada Tábata Amaral, um dos destaques da nova legislatura, a concorrer pelo partido.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Erros no mercado

Número de pedidos de indenização após perdas na Bolsa salta 810% no primeiro semestre

O Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos assegura aos investidores o ressarcimento de até R$ 120 mil por prejuízos causados por erros ou omissões de participantes do mercado

Lua de mel amarga

C6 quer ‘divórcio’ da TIM, mas operadora briga contra a separação

Um ano após firmarem parceria para captação de clientes em troca de ações, a fintech ouviu um ‘não’ para seu pedido de rescisão de contrato

Crise hídrica

Ministro de Minas e Energia descarta racionamento e diz trabalhar para evitar apagão

Com níveis alarmantes nas usinas hidrelétricas, até mesmo a volta do horário de verão é considerada por alguns membros do governo e indústria

Negócio da China?

SEC confirma pausa em IPOs de empresas chinesas; agência reguladora dos EUA fará novas orientações sobre riscos

Em meio à ofensiva regulatória de Pequim, a SEC busca novas orientações ao mercado sobre os riscos envolvidos em comprar ações de companhias do país asiático

Passo à frente

Rumo ao “outro patamar”: EQI, que trocou a XP pelo BTG, recebe autorização para abrir corretora

Depois de ser pivô de disputa entre os bancos, escritório de agentes autônomos dá um passo decisivo para ter “vida própria” no mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies