Menu
2019-04-20T14:22:26-03:00
Estadão Conteúdo
Reformas

Maia diz a jornal que Previdência vai atrasar se governo não enviar proposta sobre militares

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia disse governo e seus apoiadores precisam usar as redes socais para defender reforma

25 de fevereiro de 2019
9:57 - atualizado às 14:22
Rodrigo Maia
Rodrigo Maia - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse que se o governo não enviar a proposta de reforma da Previdência dos militares, a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que muda as regras da aposentadoria para os trabalhadores civis vai atrasar. Segundo Maia, a votação do texto da PEC no plenário deve acontecer em junho.

"Disse ao Onyx [Lorenzoni, ministro da Casa Civil] que se não encaminhar, vai atrasar. O governo pode ficar tranquilo que votaremos as duas na mesma semana no plenário, não há chance de votar uma e deixar outra parada", afirmou, em entrevista ao jornal Valor Econômico.

"Não mandaram a dos militares. Então, na semana que vem, mesmo que chame para instalar as comissões, não vai [acontecer]", reforçou.

Sobre o tipo de sistema de capitalização, o presidente da Câmara opinou que tem de ser um sistema misto.

"Um sistema puro de capitalização, em uma País com tanta desigualdade e miséria, é difícil."

Maia também sugeriu que o deputado Mauro Benevides (PDT-CE) pode ser escolhido para presidir a comissão especial que vai discutir o tema.

"Se avançar já na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) para alguns pontos bem claros de convergência entre a posição do PDT e a nossa, seria muito bom que o PDT pudesse presidir a comissão com o Mauro, que entende do tema e defenderá 90% do que está colocado."

O presidente da Câmara ainda disse que o governo e seus apoiadores precisam usar as redes para defender a reforma da Previdência.

Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro precisa rebater o vídeo em que diz que era contra a idade mínima. Maia completou que se o governo não entrar no enfrentamento nas redes, há grande risco de perder votos no Congresso.

Em relação aos temas que podem ser discutidos no plenário até votar a reforma, Maia citou a autonomia do Banco Central, mas disse que antes é preciso entender qual é o tamanho da base do governo.

Já sobre a tramitação dos projetos anticrime, Maia disse que pode criar uma comissão especial, mas que tem que discutir outros temas antes, como o abuso de autoridade. Segundo ele, quando os temas chegam com força, ou são votados rapidamente ou "depois morrem".

"Dá para votar. Se a linha não for a criminalização da política, não vejo problema de andarem", afirmou ele, que disse que a Câmara quer votar a regulamentação do caixa dois e do lobby

Bebianno

Sobre a forma que o Gustavo Bebianno, ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, foi demitido, Maia avaliou que não foi boa e que, se esse tipo de episódio se repetir, pode prejudicar a relação de confiança com os deputados.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Atritos

Maia critica obstrução de base do governo e cobra interesse para votar reformas

Para o presidente da Câmara, o acordo firmado em fevereiro que garantiria a presidência da CMO ao deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) é o válido.

Tesouro Nacional

Dívida Pública Federal sobe 2,59% e fecha setembro em R$ 4,526 tri

Em agosto, o estoque estava em R$ 4,412 trilhões.

Vai comprar?

BB Investimentos eleva preço-alvo da Unidas após resultados positivos no trimestre

A companhia teve um volume recorde na venda de carros e uma alta de 65,4% na receita líquida de seminovos, comparando com 2019.

alta forte

Mercado de juros futuros tem dia tenso e aumenta pressão sobre BC na véspera da decisão do Copom

Selic atualmente está em 2% ao ano; mercado presta atenção em postura que será adotada pelo Copom em meio à alta da inflação e ao risco fiscal

Retomada

Bolsonaro elogia economia e questiona exportação de soja

Acompanhado do ministro da Economia, Paulo Guedes, Bolsonaro citou como exemplo de bom desempenho a geração de novos empregos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies