Menu
2019-07-26T13:43:23-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
na expectativa

Congresso não deve aumentar valor de saque do FGTS, diz Bolsonaro

Apesar disso, o presidente não descarta mudanças na MP que regula o assunto; ele ponderou que os congressistas terão que avaliar o impacto de eventuais alterações na construção de casas populares

26 de julho de 2019
13:35 - atualizado às 13:43
25/07/2019 Solenidade de entrega de medalhas da Olimpíada Inter
(Manaus - AM, 25/07/2019) Presidente da República Jair Bolsonaro. - Imagem: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro não descarta que parlamentares façam mudanças na Medida Provisória (MP) que libera saques de até R$ 500 de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Mas disse que dificilmente isso acontecerá.

"O Parlamento sabe muito bem, acho difícil eles (parlamentares) tomarem medida nesse sentido (de mudarem), mas têm todo o direito de tomar", disse o presidente a jornalistas na saída do Alvorada nesta sexta-feira, 26.

Bolsonaro falou que os congressistas terão que avaliar o impacto de eventuais alterações na construção de casas populares. A MP tem vigor imediato após a publicação, mas precisa ser confirmada por deputados e senadores em até 120 dias.

82%

Bolsonaro disse que o governo buscou atender 82% das pessoas cujo o saldo na conta do FGTS é abaixo de R$ 500. "Alguns falam que eu atendi interesse de construtoras. Não, eu atendi interesse do povo não majorando isso", afirmou.

A projeção do governo é que os saques do FGTS e também do PIS-Pasep (cujo calendário de liberação começa em agosto) injetem R$ 42 bilhões na economia até 2020.

Hoje, há cerca de 260 milhões de contas ativas e inativas no FGTS. Desse total, cerca de 211 milhões (80%) têm saldo de até R$ 500. Segundo o governo, 96 milhões de brasileiros serão beneficiados.

Na MP, o governo criou ainda uma nova batizada de saque aniversário. Essa opção só começa a valer a partir no próximo ano. Ela permite ao trabalhador retirar uma parte do FGTS, mas em troca é preciso abrir mão de resgatar o fundo na totalidade caso seja demitido sem justa causa.

Fique na sua

Ontem, Bolsonaro disse que quem está reclamando do valor que será liberado para o saque do FGTS deveria "ficar na sua". O presidente alegou que o recurso pode ser usado por muita gente para pagar dívidas.

"Tem muita gente reclamando que é só R$ 500, mas vou deixar bem claro: as condições para o saque do FGTS são 15 atualmente e colocamos uma 16ª, que é opcional", disse.

"Não precisa reclamar. Quem está reclamando é só ficar na sua, fica em casa, sem problemas. Para muita gente, R$ 500 faz falta, sai até da lista do SPC e outras", disse na transmissão semanal que realiza em sua página do Facebook.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

PRÉVIA DOS BALANÇOS

Os grandões vêm aí: Petrobras e Vale divulgam os resultados; veja o que esperar

Semana será marcada pela apresentação dos resultados de algumas das principais companhias da B3

agenda lotada

Os segredos da bolsa: balanços de pesos-pesados podem manter Ibovespa em alta em semana de Copom

Lá fora, resultados do terceiro trimestre de Amazon, Apple, Facebook, Google e Microsoft são destaques, além de decisões de bancos centrais

O GRANDE DRAGÃO VERMELHO

Pandemia deve reforçar poder chinês na economia

Movimento aponta para a continuidade das tensões com Estados Unidos e manutenção da alta demanda por matérias-primas produzidas pelo Brasil

PANOS QUENTES

‘Apresentei desculpas e colocamos ponto final’, diz Salles sobre atrito com Ramos

Salles e Ramos protagonizaram o mais recente atrito dentro do governo, tornado público após chefe do Meio Ambiente se referir ao general como “Maria Fofoca”

ALÍVIO

Mortes por covid-19 chegam ao menor nível desde maio, diz Fiocruz

Média móvel de novos casos ficou em 22.483 no sábado, alta de 11% em relação aos casos da semana anterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies