🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Estadão Conteúdo
obstáculo para a reforma?

Análise de sistema da Odebrecht indica R$ 1,4 mi a campanhas de Maia e seu pai

Inquérito ainda deve obter registros históricos de cadastro dos terminais telefônicos; investigação foi aberta em abril de 2017 com base em delações de executivos e ex-executivos da construtora

Rodrigo Maia – DEM RJ
Rodrigo Maia (DEM-RJ). - Imagem: J.Batista/Câmara dos Deputados

Ao pedir mais 60 dias para concluir um inquérito que investiga o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e seu pai, César Maia, a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, apontou que a análise do sistema de propina da Odebrecht indica supostas execuções de pagamento que totalizam R$ 1,4 milhão para codinomes que se referem aos dois investigados.

Caberá ao relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, decidir se estica ou não o prazo da apuração.

"Em síntese, o trabalho policial aponta que foram constatados, a partir de exames periciais em arquivos disponíveis no material examinado, registros de negociações, ordens de pagamentos e execução de pagamentos aos beneficiários de codinome 'Despota', 'Botafogo' e 'Inca', atribuídos a César Maia e a Rodrigo Maia", apontou a procuradora-geral da República.

Entre as medidas que ainda faltam ser realizadas no inquérito está a obtenção dos registros históricos de cadastro dos terminais telefônicos utilizados por Maia e seu pai. A investigação foi aberta em abril de 2017 com base em delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht. À época, um dos delatores afirmou que Maia teria solicitado R$ 350 mil como forma de contribuição para a campanha eleitoral de 2008.

No entanto, nem Maia nem seu pai foram candidatos na eleição daquele ano. Em 2010, segundo a PGR, Maia teria solicitado um repasse financeiro a um ex-diretor da empreiteira, tendo como pano de fundo a campanha de seu pai. Segundo a PGR, foi autorizado o "pagamento de R$ 600 mil, dos quais já se encontrou comprovantes de pagamento de R$ 400 mil, realizado pelo Setor de Operações Estruturadas", conhecido como o setor de propinas da empreiteira.

Registros

Na manifestação, a chefe da PGR também aponta que outro relatório de análise indica que, no ano de 2010, houve doações eleitorais para o diretório estadual do DEM/RJ, por parte de empresas parceiras da Odebrecht, no valor de R$ 80 mil, e de R$ 20 mil por parte de uma outra empresa. Também foi localizada uma doação por parte do diretório do DEM no valor de R$ 849,8 mil para a campanha de Cesar Maia ao Senado. Segundo Raquel, também há registros da entrada de Maia na sede na empreiteira, entre 2008 e 2011.

Para justificar a continuidade das investigações, a PGR informa que a Polícia Federal, além de obter os registros telefônicos, também precisa elaborar relatório de análise do material apreendido pela corporação no âmbito da Operação Lava Jato. Ainda é necessário levantar informações a respeito dos endereços indicados pelo delator como sendo os locais de entrega de dinheiro, para "obter elementos de provas que comprovem ou não o relato do colaborador".

O presidente da Câmara dos Deputados ainda é alvo de outras investigações que tramitam no STF. Em uma delas, também aberta com base na delação da Odebrecht, Maia é investigado junto do ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira, do senador Renan Calheiros (MDB-AL), do ex-senador Romero Jucá (MDB-RR) e do ex-deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB-BA).

Outro lado

Procurada, a assessoria de Rodrigo Maia não havia se manifestado até a publicação deste texto. A defesa de Rodrigo Maia e do ex-prefeito César Maia não atendeu às ligações da reportagem.

Compartilhe

FRUTOS DA INVESTIGAÇÃO

Odebrecht e outras três construtoras investigadas na Lava Jato assinam acordo milionário com o Cade para evitar novas punições; saiba mais

8 de junho de 2022 - 17:23

As empresas e os executivos implicados se comprometeram a pagar R$ 454,9 milhões e colaborar com as apurações ainda em curso no orgão regulador

FOI DADA A LARGADA

Petrobras (PETR4) e Novonor iniciam oficialmente processo para vender participações na Braskem; veja quanto a operação bilionária pode levantar

15 de janeiro de 2022 - 11:34

O pedido de registro para a oferta pública secundária, que será realizada no Brasil e no exterior, foi publicado na madrugada deste sábado (15) na CVM

Operação bilionária

Martelo batido: a Petrobras (PETR3 e PETR4) vai vender sua fatia na Braskem (BRKM5) — mas com algumas condições

16 de dezembro de 2021 - 9:33

A Petrobras (PETR3 e PETR4) é dona de 38,3% da Braskem (BRKM5); com a recuperação das ações da petroquímica, a venda se tornou atrativa

DE OLHOS BEM FECHADOS

O IPO do cheque em branco chega ao Brasil: Alvarez & Marsal quer fazer oferta pública para lançar Spac na B3

8 de dezembro de 2021 - 11:51

Modalidade existe há mais de 20 anos nos EUA, mas ainda é inédita no Brasil; entenda como funciona

DEU QUÍMICA

Braskem (BRKM5) pode subir 40%, diz BofA, que retoma cobertura da ação com recomendação de compra

21 de setembro de 2021 - 14:07

Instituição norte-americana considera que expectativa de bons resultados deve sustentar valorização dos papéis da petroquímica brasileira

EX-ODEBRECHT

Novonor ainda não decidiu modelo de venda de participação na Braskem

21 de setembro de 2021 - 7:08

Manifestação ocorreu depois de questionamento da CVM sobre plano da empresa para se desfazer de papéis na bolsa

Venda aguardada

Braskem afirma não ter conhecimento sobre oferta ações para dar saída a controladoras

21 de agosto de 2021 - 14:15

Petroquímica enviou comunicado à CVM prestando esclarecimento sobre notícias a respeito de possível oferta para Petrobras e Novonor (antiga Odebrecht) venderem suas participações na companhia

crise no relacionamento

Petrobras quer indenização de R$ 800 milhões da Odebrecht

28 de dezembro de 2020 - 20:01

Petroleira inicia arbitragem contra empreiteira, alegando violação de acordo de acionistas referente à Braskem

em recuperação judicial

Odebrecht anuncia novo nome para o grupo, seis anos após início da Lava Jato

18 de dezembro de 2020 - 14:09

Movimento faz parte de acordos que a empresa firmou com autoridades por causa do seu envolvimento com esquemas de corrupção; novo grupo abriga seis empresas

lava jato

Em acordo com Cade, OAS pagará R$ 46 milhões e Odebrecht R$ 9,6 milhões

9 de dezembro de 2020 - 18:24

Empreiteiras reconhecem participação em conluio, que incluiu troca de informações sensíveis, divisão de mercados e combinação das propostas em licitações

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies