Menu
2019-08-09T12:36:29-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
A tal das privatizações

“O nosso desafio agora é a Eletrobras e a quebra do monopólio da Casa da Moeda”, destaca Salim Mattar

Em sua fala, o secretário falou que “o governo tem R$ 12 bilhões, mas que não deveria usar o montante para expandir a elétrica e sim para áreas que precisam mais. É um contrassenso em um país com problemas de falta de gases em hospitais, por exemplo”

8 de agosto de 2019
12:40 - atualizado às 12:36
salim mattar, secretário de privatizações
Imagem: Reprodução/Ministério da Economia

Com o texto da reforma da Previdência a caminho do Senado, outro assunto que volta a chamar a atenção é o tema das privatizações das estatais federais. Em evento fechado para investidores hoje (8) promovido pelo banco BTG, o secretário de desestatização e desinvestimento, Salim Mattar, disse que "o nosso desafio agora é a (capitalização) da Eletrobras e a quebra do monopólio da Casa da Moeda. Há um pipeline para o Congresso olhar".

Mattar voltou a afirmar que o que vai ocorrer com a Eletrobras é a capitalização porque "há uma necessidade de caixa e não é uma ideologia". No último dia 1º deste mês, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque autorizaram que a elétrica aprofundasse estudos para sua desestatização.

De acordo com comunicado divulgado ao mercado, a venda deve ocorrer por meio de um aumento de capital social - algo que já vinha sendo ventilado desde o início do governo. O processo acontecerá via oferta pública de ações ordinárias da Eletrobras ou por oferta de ações ordinárias de uma eventual empresa resultante de reestruturação.

Em sua fala, o secretário disse ainda que "o governo tem R$ 12 bilhões, mas que não deveria usar o montante para expandir a elétrica e sim para áreas que precisam mais. É um contrassenso em um país com problemas de falta de gases em hospitais, por exemplo".

Para ele, o maior desafio para a aprovação de projetos de privatização está relacionado à boa relação entre executivo e legislativo. E, para evitar problemas, o secretário comentou que está "comendo pelas beiradas" e que vem procurando orientação para ver como manter uma boa relação com o legislativo.

Venda de imóveis

Ao ser questionado sobre a venda de imóveis da União, o secretário disse que está testando dois modelos, mas que tem oito possíveis modelagens na lista. Segundo ele, o primeiro objetivo com a venda é suprir os órgãos públicos com instalações adequadas, reduzir a dívida da União e verificar como cuidar e administrar os 760 mil imóveis disponíveis.

Nesta semana, o jornal "O Globo" publicou uma matéria em que fala que o governo planeja vender 3.751 imóveis e arrecadar R$ 30 bilhões até 2022.

"A nossa ideia é que daqui a pouco seja possível encontrar placas assim: União, vende ou aluga. Tratar com um número de 0800. Não vamos vender todos os imóveis, mas vamos iniciar um processo que poderá ser continuado depois", finalizou o secretário.

Já sabe quais os melhores investimentos até o fim do ano? Baixe de graça nosso eBook exclusivo com as melhores dicas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Meta ambiental

Vale triplica para até US$ 6 bi previsão de investimentos para reduzir emissões de carbono

O objetivo da empresa é reduzir 33% das emissões diretas e indiretas de carbono até 2030

Conheça a proposta

Biden anuncia acordo com republicanos para investir US$ 1,2 trilhão em infraestrutura

O valor final é menor do que a soma proposta pelo presidente democrata, mas marcará o maior investimento de longo prazo em infraestrutura em quase um século

novo sistema operacional

Microsoft apresenta o Windows 11 — aqui estão 7 novidades que você precisa conhecer

Nova versão do sistema operacional para computadores tem aplicativos de Android, novo design e Microsoft Teams melhorado; confira

Quem não arrisca...

Jive Investments aposta em agentes autônomos e educação para atingir varejo após aporte da XP

Sócio da gestora de investimentos alternativos, Guilherme Ferreira revela os motivos da preferência por operação privada ao invés de abrir capital

Aperto nas contas

Gastos extras vão reduzir ‘folga’ do teto de gastos em 2022, prevê governo

O avanço nas despesas obrigatórias, estimado em R$ 105,2 bilhões, é o que limita o “espaço livre” do governo para novos gastos no próximo ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies