🔴 03/06 – ‘GATILHO’ PARA BUSCAR ATÉ R$ 2 MILHÕES COM CRIPTOMOEDAS PODE SER DISPARADO – SAVE THE DATE

Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Siga o dinheiro

Emergentes receberam US$ 38 bilhões em abril

Dados do Instituto Internacional de Finanças (IIF) estimam que US$ 14 bilhões ficaram com os mercados de ações e US$ 24 bilhões com títulos de dívida

mercados emergentes
Imagem: Shutterstock

Os investimentos em portfólio de mercados emergentes fecharam o mês de abril totalizando US$ 38 bilhões, segundo estimativas iniciais do Instituto Internacional de Finanças (IIF). Em março, os ingressos tinham somado R$ 32,6 bilhões, vindo de US$ 29,6 bilhões em fevereiro.

No mês passado, os mercados de dívida emergentes levantaram US$ 24,2 bilhões, vindo de US$ 25,3 bilhões em março. Boa parte desse dinheiro ficou com os emergentes da Ásia (US$ 9,3 bilhões), América Latina (US$ 6,2 bilhões) e Europa (US$ 4,9 bilhões).

No mercado de ações, o volume foi de US$ 14,1 bilhões, melhor resultado do ano até o momento. A China ficou com US$ 3,6 bilhões, enquanto os demais emergentes dividiram US$ 10,5 bilhões.

Segundo o IIF, apesar dos resultados positivos no ano, os fluxos seguem tímidos, mesmo com o Federal Reserve (Fed), banco central americano, mantendo um viés favorável aos ativos de risco.

A grande questão envolvendo os mercados emergentes é o que o instituto chama de “overhang” ou um “excesso de posicionamento” nos mercados emergentes, que se desenhou desde a crise financeira.

Os maiores “overhangs” estariam em África do Sul, Chile e México. O Brasil, no entanto, não apresenta esse problema, pois segue como o emergente com menor exposição.

Para fazer essa avaliação, o IIF considera o fluxo e a variação das posições (valuation) nos emergentes, como valorização/desvalorização do mercado e movimentos cambiais.

O IIF também tem uma medida ampliada de fluxo estrangeiro, considerando captações bancárias e investimento direto. Os dados referentes ao mês de março mostram ingresso líquido de US$ 27,7 bilhões, um aumento de US$ 19 bilhões sobre o registado em fevereiro.

Essa atração de capital foi liderada pelos emergentes (excluindo a China), que levantaram mais de US$ 35,7 bilhões, maior volume desde janeiro de 2018. Os destaques ficaram com a Índia (US$ 11,3 bilhões) e Arábia Saudita (US$ 10,8 bilhões). Na ponta oposta, a Rússia perdeu US$ 2,3 bilhões. Já a China teve saída de US$ 8 bilhões, depois de receber cerca de US$ 15 bilhões em fevereiro.

Compartilhe

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela prevalece e bolsas internacionais acompanham bateria de dados dos EUA hoje; Ibovespa aguarda prévia do PIB

15 de setembro de 2022 - 7:42

As bolsas no exterior tentam emplacar alta, mas os ganhos são limitados pela cautela internacional

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Depois de dia ‘sangrento’, bolsas internacionais ampliam quedas e NY busca reverter prejuízo; Ibovespa acompanha dados do varejo

14 de setembro de 2022 - 7:44

Os futuros de Nova York são os únicos que tentam emplacar o tom positivo após registrarem quedas de até 5% no pregão de ontem

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de inflação dos EUA; Ibovespa deve acompanhar cenário internacional e eleições

13 de setembro de 2022 - 7:37

Com o CPI dos EUA como o grande driver do dia, a direção das bolsas após a divulgação dos dados deve se manter até o encerramento do pregão

Segredos da bolsa

Esquenta dos mercados: Inflação dos EUA não assusta e bolsas internacionais começam semana em alta; Ibovespa acompanha prévia do PIB

12 de setembro de 2022 - 7:57

O exterior ignora a crise energética hoje e amplia o rali da última sexta-feira

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Inflação e eleições movimentam o Ibovespa enquanto bolsas no exterior sobem em busca de ‘descontos’ nas ações

9 de setembro de 2022 - 7:36

O exterior ignora a crise energética e a perspectiva de juros elevados faz as ações de bancos dispararem na Europa

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Decisão de juros do BCE movimenta as bolsas no exterior enquanto Ibovespa digere o 7 de setembro

8 de setembro de 2022 - 7:47

Se o saldo da Independência foi positivo para Bolsonaro e negativo aos demais concorrentes — ou vice-versa —, só o tempo e as pesquisas eleitorais dirão

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas no exterior deixam crise energética de lado e investidores buscam barganhas hoje; Ibovespa reage às falas de Campos Neto

6 de setembro de 2022 - 7:43

Às vésperas do feriado local, a bolsa brasileira deve acompanhar o exterior, que vive momentos tensos entre Europa e Rússia

SEGREDOS DA BOLSA

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais caem com crise energética no radar; Ibovespa acompanha calendário eleitoral hoje

5 de setembro de 2022 - 7:46

Com o feriado nos EUA e sem a operação das bolsas por lá, a cautela deve prevalecer e a volatilidade aumentar no pregão de hoje

Aperta o play!

Ibovespa vs. S&P 500: quem ganha na ‘eleição’ das bolsas?

3 de setembro de 2022 - 8:30

No podcast Touros e Ursos desta semana, recebemos Matheus Spiess, analista da Empiricus e colunista do Seu Dinheiro, para comentar sobre o que esperar para as bolsas brasileiras e americanas daqui para frente

Falta só 1 mês

A bolsa costuma subir ou cair antes das eleições? Saiba como o Ibovespa se comportou na reta final das últimas votações e o que esperar agora

3 de setembro de 2022 - 8:00

A um mês do primeiro turno das Eleições 2022, veja como o Ibovespa se comportou no mesmo período antes de todas as escolhas presidenciais desde 1998

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar