Menu
2019-06-04T18:39:43-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
O mercado não curtiu

Ações da Netshoes desabam após opção do conselho pelo Magazine Luiza

Uma recomendação do conselho de administração da Netshoes aos acionistas, no âmbito da disputa entre Magazine Luiza e Centauro para a compra da empresa, derrubou os papéis da companhia em NY

4 de junho de 2019
15:02 - atualizado às 18:39
Site da Netshoes
Site da Netshoes - Imagem: Reprodução

A novela da venda da Netshoes teve mais um desdobramento — e as novidades não agradaram os acionistas do site de artigos esportivos: em Nova York, os papéis da empresa (NETS) fecharam em forte queda de 12,77%, cotados a US$ 3,21, mas, na mínima, chegaram a tocar os US$ 3,00 (-18,47%).

E isso porque o Conselho de Administração da Netshoes mostrou-se favorável à proposta feita pelo Magazine Luiza, apesar de a Centauro ter feito uma oferta de valor maior.

Em comunicado à Securities and Exchange Commission (SEC), o conselho da Netshoes marcou uma nova assembleia para o dia 14 e recomendou aos acionistas que fechem negócio com o Magalu. Segundo a diretoria da empresa, a oferta da Centauro não fornece garantias suficientes em relação à condição financeira da companhia ou "trata adequadamente as preocupações de liquidez de curto prazo".

O grupo julgou que o preço que a Centauro ofereceu (US$ 3,50 por ação) é insuficiente para compensar os riscos de um cronograma potencialmente mais longo para que a operação se concretizasse.

A empresa ainda observou que sua decisão levou em consideração o fato de que a fusão com o Magazine Luiza já recebeu anuência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Disputa

A primeira oferta pela Netshoes partiu do Magazine Luiza no final de abril. A companhia propôs pagar US$ 2,00 por ação (cerca de US$ 62 milhões). Logo depois, a Centauro ofereceu US$ 2,80 por ação, numa operação que chegaria a US$ 87 milhões.

O Magalu então apresentou um aditivo para aumentar a oferta para US$ 3 por ação, somando aproximadamente US$ 93 milhões. Logo depois, a Centauro subiu a proposta para US$ 3,50/ação, ou US$ 108,7 milhões.

Em meio à disputa, as ações ON do Magazine Luiza (MGLU3) fecharam em queda de 0,11% — fora do Ibovespa, os papéis ON da Centauro (CNTO3) recuaram 2,19%. O principal índice da bolsa brasileira, por outro lado, teve leve alta de 0,37%, aos 97.380,28 pontos.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

O melhor do seu dinheiro

O preço do diesel e o cobertor curto

Na briga do presidente Jair Bolsonaro para tentar baixar o preço dos combustíveis e do gás de cozinha no país, não foi só a Petrobras que apanhou. Pode ser que sobre também para os bancos. E na bolsa, as ações das instituições financeiras já sofreram um bocado nesta segunda-feira por causa disso. Tudo ia bem […]

FECHAMENTO

Brasília força Ibovespa a pisar no freio e bolsa quase zera ganhos após avançar mais de 2%; dólar fica estável

No exterior, as bolsas tiveram dias de ganho expressivo, com os mercados repercutindo de forma positiva a aprovação do pacote de estímulos americano e uma nova opção de vacina

Proposta na mesa

Aumento de tributação aos bancos está sendo discutido para compensar a desoneração do diesel

A lógica proposta seria da CSLL subir para compor a compensação dos tributos com o intuito de zerar a tributação do diesel e do gás de cozinha, tendo um custo total de quase R$ 3,6 bilhões.

Concentrado

Foco de Biden é a aprovação do pacote de US$ 1,9 trilhão, diz Casa Branca

O texto foi avalizado pela Câmara dos Representantes no fim de semana e ainda precisa ser analisado pelo Senado.

Casamento do ano?

Fusão de Hapvida e Intermédica deve revolucionar setor de saúde, apontam analistas; ações sobem mais de 5%

Para analistas, união das companhias não deve encontrar grandes dificuldades para conseguir aprovação do Cade, com o ponto mais crítico sendo, possivelmente, Minas Gerais, onde ambas concentram 16% do mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies