Menu
Imposto de Renda 2019
2020-03-25T14:57:22-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
IR 2019

Entregou a declaração e ainda tem IR a pagar? Veja como fazer o pagamento do imposto de renda

Na hora do ajuste anual, alguns contribuintes ainda têm contas a acertar com o Leão; entenda por que e conheça o procedimento para pagar o IR

17 de abril de 2019
5:30 - atualizado às 14:57
Imposto de Renda 2019 - IR 2019 - Leão
Imagem: Pomb

Ao preencher a sua declaração de imposto de renda 2019, o programa da Receita calculará o imposto devido em 2018 e informará se você tem mais imposto a pagar ou então a restituir. Já falei, nesta outra matéria, sobre como funciona a questão das restituições e as datas de pagamento em 2019; agora, vou falar um pouco sobre como pagar o imposto de renda caso, ao terminar sua declaração, você constate que pagou menos do que devia ao Leão no ano passado.

Na hora de declarar o imposto de renda, todas os rendimentos tributáveis do contribuinte são somados pelo programa da Receita, e são aplicadas deduções, seja na base de cálculo, seja no próprio IR devido, diretamente. O contribuinte tem o direito de informar os gastos dedutíveis realizados ao longo do ano-calendário.

Finalmente, o programa aplica um desconto único de 20% na base de cálculo do IR, limitado a R$ 16.754,34 no imposto de renda 2019. Caso este desconto seja maior que as deduções declaradas pelo contribuinte, o modelo simplificado será mais vantajoso para ele; caso seja inferior às despesas dedutíveis, o modelo completo, que aproveita todas as deduções, será o mais vantajoso.

O modelo mais vantajoso é aquele que resulta em menos IR a pagar ou maior restituição do imposto de renda. O próprio programa já faz os cálculos e mostra os valores para você escolher. Saiba a diferença entre as modalidades simplificada e completa da declaração.

Como pagar o imposto de renda 2019

Se você estiver no time dos contribuintes que ainda precisam acertar as contas com o Leão, tanto o cálculo do imposto que falta como a impressão das guias de pagamento podem ser feitos diretamente no Programa Gerador da Declaração.

O imposto devido pode ser pago em uma única quota ou em até oito parcelas. O valor total do imposto a pagar não deve ser menor que R$ 10. Caso isso ocorra, o pagamento não poderá ser realizado, e o valor será somado ao imposto devido no ano seguinte ou quando atingir o valor mínimo.

Para a escolha do parcelamento, o total do imposto devido deve ser superior a R$ 100. Isso porque nenhuma quota pode ser menor que R$ 50.

Ao optar pelo parcelamento, todas as quotas são acrescidas de juros acumulados equivalentes à taxa Selic mais 1% referente ao mês de pagamento. Ou seja, a segunda quota conta com juro de 1%. Já a quinta quota, por exemplo, com vencimento em agosto, será calculada a partir do valor apurado, mais acréscimo do juros à taxa Selic referente aos meses de maio, junho e julho, mais 1% referente a agosto.

O débito automático também é uma opção para o contribuinte, tanto para pagamentos feitos em quota única como para parcelamentos. As informações bancárias podem ser preenchidas na tela inicial do programa da declaração. Esta opção só pode ser escolhida por pessoas que fizeram a transmissão da declaração original ou retificadora até o dia 30 de abril de 2019.

Caso o contribuinte deseje alterar a forma de pagamento do imposto 2019 após a transmissão já feita, será preciso enviar uma declaração retificadora.

Prazos de pagamento

Os pagamentos em quota única devem ser feitos até o dia 30 de abril, data final para a entrega da declaração do imposto de renda 2019.

Para aqueles que optaram pelo parcelamento, o vencimento da primeira quota também é dia 30 de abril. As parcelas subsequentes têm o seu vencimento sempre no último dia útil de cada mês. Em caso de atraso no pagamento, o contribuinte fica sujeito a multa de 0,33% ao dia, com limite de 20%.

No entanto, aqueles que desejam realizar o pagamento parcelado via débito automático precisam prestar atenção ao prazo. Caso a declaração tenha sido feita entre os dias 1º e 30 de abril, só será possível realizar o débito automático a partir da segunda parcela. Portanto, para pagamento da primeira quota, o contribuinte deverá pagar diretamente na rede bancária.

Como emitir o DARF

O imposto de renda deve ser pago por meio de DARF, o Documento de Arrecadação da Receita Federal. Para emiti-lo, transmita a sua declaração de imposto de renda 2019 ao Fisco e, depois, acesse a aba Imprimir e selecione a opção DARF do IRPF. Caso você tenha optado pelo parcelamento, informe também qual quota deseja imprimir.

O painel de impressão também pode ser acessado utilizando o atalho Ctrl+D no teclado.

Como o programa usa a taxa Selic do mês anterior para o cálculo, a impressão das quotas deve ser feita mensalmente. O programa do imposto de renda permite a impressão de todas as quotas, inclusive aquelas que estão em atraso. Também é possível emitir o DARF para pagamento no site da Receita Federal, utilizando o portal e-CAC.

Saiba tudo sobre como declarar imposto de renda.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

diante da crise

Cortes de emprego nos EUA disparam em março com coronavírus

Número saltou de 56.660 em fevereiro para 222.288 em março

dinheiro no caixa

Petrobras reverte provisão de R$ 634 milhões

Estatal informou que celebrou um acordo dando fim a um litígio arbitral proposto por um investidor da Sete Brasil

tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

12 notícias para você começar o dia bem informado

Se o coronavírus colocou a população sob isolamento domiciliar, também levou quem estava “isolado” a abrir as portas. Estou falando de diversos fundos de investimento que estavam fechados para novos investidores e agora estão reabrindo para captação. Uma das gestoras que entrou nessa onda foi a Truxt, que tem R$ 12 bilhões na carteira. Em […]

efeitos da crise

BCE adia revisão de estratégia política monetária para 2021

Eventos públicos do BCE e dos bancos centrais nacionais do Eurosistema que estavam planejados para o primeiro semestre deverão ocorrer apenas na segunda metade de 2020

Conteúdo Patrocinado

De volta ao jogo: Ivan Sant’Anna retorna para a bolsa

A volta do Ivan é algo como se o Michael Jordan voltasse hoje a jogar na NBA, ou se o Fenômeno retornasse ao futebol nesta semana.

esquenta dos mercados

Esperança com resolução para crise do petróleo anima mercados, mas covid-19 segue no radar

Mesmo com o alívio das bolsas do exterior, os investidores seguem monitorando os números de casos de covid-19 e as medidas do governo para suporte da população

expectativa

Acredito que Rússia e Arábia Saudita farão acordo sobre petróleo, diz Trump

Republicano confirmou que se encontrará com empresas petrolíferas nesta sexta-feira, 3

diante da crise

Câmara aprova projeto que permite adiar recolhimento de INSS de funcionários

Proposta prevê que as companhias deixem de recolher a contribuição previdenciária dos trabalhadores por 60 dias, prorrogáveis por mais 30

medida emergencial

Governo permite redução salarial de até 70% e suspensão de contratos

Governo pagará uma parte do seguro-desemprego a que o trabalhador teria direito se fosse demitido; empresas sob os regimes de lucro real e lucro presumido, com receita bruta acima de R$ 4,8 milhões, serão obrigadas a arcar com 30% do salário do funcionário para poder suspender o contrato

Entrevista exclusiva

Truxt reabre fundos para captação com foco em ações de “sobreviventes” na B3

Queda generalizada de ações abre oportunidade de compra, mas recuperação das bolsas nos EUA deve ocorrer primeiro, me disse José Tovar, CEO da gestora que possui R$ 12 bilhões em patrimônio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements