Menu
2019-06-25T10:28:04-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
no patamar baixo

Confiança do consumidor sobe 1,9 ponto em junho em comparação a maio

Apesar da alta, o índice se mantém em patamar baixo em termos históricos, ponderou a FGV, que diz que a melhora foi determinada pela calibragem das expectativas

25 de junho de 2019
10:20 - atualizado às 10:28
Consumo
O Índice de Situação Atual (ISA) se manteve em 73,4 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) avançou 3,2 pontos, para 99,7 pontos.Imagem: shutterstock

A confiança do consumidor subiu 1,9 ponto em junho ante maio, na série com ajuste sazonal, informou nesta terça-feira, 25, a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) cresceu a 88,5 pontos. É uma interrupção de uma sequência de quatro quedas consecutivas. Apesar da alta, o índice se mantém em patamar baixo em termos históricos, ponderou a instituição.

Segundo a FGV, a melhora de junho foi determinada pela calibragem das expectativas, que haviam piorado muito entre janeiro e maio, passando de um perfil otimista para pessimista em apenas quatro meses. Agora passam a retratar um perfil neutro.

"Com o mercado de trabalho avançando lentamente, os resultados ainda podem demorar a influenciar significativamente as percepções sobre a economia no momento", avaliou Viviane Seda Bittencourt, Coordenadora da Sondagem do Consumidor no Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O Índice de Situação Atual (ISA) se manteve em 73,4 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) avançou 3,2 pontos, para 99,7 pontos.

Grau de satisfação

O componente que mede o grau de satisfação com a economia no momento presente subiu 0,9 ponto, após três meses em queda. Já as avaliações sobre a situação financeira atual das famílias recuaram 0,8 ponto, para 67,4 pontos.

Quanto às perspectivas para os meses seguintes, o item que avalia a situação financeira futura das famílias foi o que mais contribuiu para a alta da confiança no mês, avançando 8,1 pontos, para 99,0 pontos. O ganho, no entanto, não foi o suficiente para compensar a perda acumulada de 20,7 pontos entre janeiro e maio.

O componente que mede o grau de otimismo com a situação econômica futura subiu 3,9 pontos, para 111,9 pontos.

No mês de junho, a confiança aumentou em todas as classes de renda. A alta foi mais acentuada entre as famílias com renda até R$ 2,1 mil mensais, com avanço de 4,0 pontos no mês, após quatro quedas consecutivas. Nas famílias com renda acima de R$ 9,6 mil mensais, houve aumento de 2,5 pontos.

A Sondagem do Consumidor da FGV coletou informações de 1.682 domicílios em sete capitais, com entrevistas entre os dias 1º e 18 de junho.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

fusões e aquisições

Hering dispara 25% após proposta de fusão da Arezzo. Estamos diante do nascimento de uma estrela?

Oferta foi recusada num primeiro momento, mas mercado espera que conversas possam seguir adiante, de olho na formação de nome forte no varejo

Anote na agenda

B3 atualiza metodologia sobre vencimento de opções a partir de maio; confira o que muda

Especialistas do mercado afirmam que essa mudança é positiva para o mercado brasileiro por se aproximar do modelo do exterior

Tem cupom pra isso?

Ações da Méliuz sobem após lançamento de plataforma de empréstimos online

A companhia, que desde 2019 oferece um cartão de crédito sem anuidade e com cashback, vem ampliando a gama de serviços financeiros

MERCADOS HOJE

Instabilidade atinge o Ibovespa e bolsa descola de NY ao zerar alta; dólar recua

Exterior positivo traz fôlego aos negócios locais, mas problemas em Brasília persistem

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies