Menu
2019-12-13T11:46:26-03:00
Voltou atrás

Governo recua e não vai mais distribuir 100% do lucro do FGTS a trabalhadores

Medida só valeria para a distribuição de lucros a partir deste ano, a serem pagos no ano que vem.

13 de dezembro de 2019
10:56 - atualizado às 11:46
FGTS
Imagem: Montagem Andrei Morais

O governo federal recuou e desistiu de distribuir 100% do lucro do FGTS aos trabalhadores. O presidente Jair Bolsonaro atendeu a um pedido do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e vetou o dispositivo que ampliaria a distribuição do lucro e a rentabilidade das contas, previsto na lei que trata dos saques do fundo de garantia, sancionada na última quinta-feira, 12.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Com o veto, permanece em vigor a regra antiga, criada no governo Michel Temer, que prevê distribuição de "parte" do lucro aos cotistas. Nos últimos anos, a divisão foi de 50% do resultado.

O próprio presidente havia assinado em julho deste ano uma Medida Provisória (MP) que ampliou as possibilidades de saque do fundo de garantia e previu também a distribuição de todo o lucro do FGTS para os trabalhadores. Como a MP tem vigência imediata, neste ano os cotistas já receberam em suas contas o correspondente à divisão de 100% do resultado, que totalizou R$ 12,2 bilhões. O crédito é feito até 31 de agosto de cada ano.

À época do anúncio do resultado, o presidente do Conselho Curador do FGTS, Igor Vilas Boas, disse em nota divulgada pelo Ministério da Economia, que a distribuição de 100% do resultado do FGTS ao trabalhador "amplia os ganhos do cotista, tornando a rentabilidade do FGTS melhor que a maioria dos investimentos".

Os recursos depositados no FGTS são remunerados a uma taxa de 3% mais a Taxa Referencial (TR). Com a distribuição de 100% do lucro de 2018, a previsão é que a rentabilidade das contas fique em 6,18%, melhor do que o rendimento da poupança.

O veto acaba com a obrigatoriedade de seguir com essa política de distribuição total do lucro aos trabalhadores.

Na justificativa do pedido de veto, o MDR informou que a lei estava limitando os subsídios concedidos a famílias beneficiárias do Minha Casa, Minha Vida, e ampliando o lucro do FGTS "de forma a favorecer as camadas sociais de maior poder aquisitivo, que são as que possuem maior volume de depósitos e saldos na conta do FGTS." A limitação aos subsídios do MCMV também foi vetada por Bolsonaro.

Na área econômica do governo, apesar da decisão do presidente de acatar o pedido do MDR, lembra-se nos bastidores que não há qualquer trava na lei para impedir o Conselho Curador de distribuir fatia maior ou menor do que os 50% adotados nos anos anteriores. Como a lei fala em "parte" do lucro, a avaliação é de que pode-se repartir de 1% a 99% do resultado, a depender da orientação da equipe econômica. O Ministério da Economia tem maioria no colegiado, ocupando três dos seis assentos do governo. MDR, Ministério da Infraestrutura e Casa Civil têm um assento cada.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Entrevista exclusiva

CEO da BGC Liquidez projeta alta de até 12% para bolsa dos EUA e diz que dólar abaixo de R$ 4 é difícil neste ano

Mesmo com o câmbio um pouco mais alto, o especialista projeta que o PIB termine este ano com alta de 2,3%. Mas diz que um dos maiores perigos para a expansão é que a reforma tributária seja postergada novamente

BALANÇO

Receita bruta da Cia Hering soma R$ 502,9 milhões no 4º trimestre

Segundo a empresa, as vendas mesmas lojas apresentaram queda de 4% na rede Hering. Importante destacar que a rede apresentou nos últimos 7 trimestres crescimento desse indicador

AQUISIÇÃO

BC autoriza que Banco Inter compre 70% de controladora da DLM Invista

Hoje, a DLM possui R$ 4,5 bilhões em ativos sob gestão e é responsável pela gestão fundos de investimento e previdência privada, além de gestão de patrimônio por meio de fundos e carteiras de clientes de alta renda

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nada além de céus azuis

“Blue days / All of them gone / Nothing but blue skies / from now on” Caro leitor, Os versos da canção otimista de Irving Berlin, composta há quase cem anos, dizem, numa tradução livre, que os dias “azuis” (no sentido de “tristes”, “depressivos”) se foram e que, de agora em diante, não haverá nada […]

Perto dos 119 mil pontos

Ibovespa ganha força na reta final, fecha em alta e crava um novo recorde; dólar sobe a R$ 4,18

Após passar boa parte da sessão flutuando perto do zero a zero, o Ibovespa acordou nos últimos minutos e chegou a uma nova máxima histórica, engatando a terceira alta consecutiva. O dólar à vista, por outro lado, teve um dia mais pressionado e subiu a R$ 4,18

DE OLHO NOS FUNDOS

Patrimônio dos fundos cresce 15,27% e vai a R$ 5 trilhões, diz Economatica

Em dólares, a indústria de fundos se mantém acima de US$ 1 trilhão desde dezembro de 2016.

UM PLANO DE INVESTIMENTOS

Já pensou em se aposentar aos 40 anos e viver de renda?

Esse conteúdo é para quem não está disposto a esperar até os 65 anos para se aposentar

Banco do Brasil zera custódia para investimentos em bolsa

Isenção já está em vigor e vale para os clientes do banco que investem em ações, fundos de índice (ETFs) e fundos imobiliários na bolsa

OLHOS ATENTOS

Bank of America rebaixa e corta preço-alvo das ações de Itaú e Bradesco; papéis caem

O banco cortou o preço-alvo em 12 meses para as ações de ambos. No caso do Itaú, o preço-alvo ficou em R$ 34, com potencial de queda de 3% em relação ao fechamento de sexta-feira (17). Já o Bradesco teve o preço-alvo reduzido para R$39, o que representa uma potencial expansão de 10%

Altas e baixas

Raia Drogasil, bancos e varejistas: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

As ações da Raia Drogasil aparecem entre as maiores altas do Ibovespa após o Credit Suisse elevar a recomendação e o preço-alvo dos papéis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements