Menu
2019-10-14T14:23:00-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Falta gás

Apesar de espera positiva por FGTS, mercado de trabalho ainda trava ímpeto de compra

Analistas da FGV afirmam que o saldo positivo do Índice de Confiança do Consumidor em agosto deve ser encarado com certa cautela

22 de agosto de 2019
18:03 - atualizado às 14:23
Investimentos dúvida
Imagem: Shutterstock

A expectativa pela liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) melhorou o humor do consumidor brasileiro em agosto, mas o mercado de trabalho ainda em situação crítica está travando o ímpeto de compras de bens de consumo duráveis.

O saldo positivo do Índice de Confiança do Consumidor (ICC) em agosto deve ser encarado com certa cautela, alertou Viviane Seda Bittencourt, Coordenadora das Sondagens do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

O ICC subiu 1,1 ponto em agosto ante julho, para 89,2 pontos, patamar considerado ainda na zona desfavorável.

"O índice está longe ainda dos 100 pontos, do patamar de neutralidade", explicou Seda Bittencourt.

Em agosto, o Índice de Situação Atual (ISA) aumentou 3,4 pontos, para 78,7 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) recuou 0,5 ponto, para 97,2 pontos.

O componente que mede o otimismo das famílias com a situação financeira nos próximos meses avançou 7,1 pontos. As avaliações dos consumidores sobre a situação financeira atual cresceram 4,7 pontos, para 74,9.

"A melhora na confiança foi motivada pelas famílias na faixa de renda 1 (que recebem até 2.100 mensais). Na minha avaliação, isso está relacionado à expectativa de liberação do FGTS e do PIS/Pasep. Não sei se é um fenômeno tão sustentável. A avaliação do emprego piorou. A expectativa para essa faixa de renda também está piorando", lembrou a pesquisadora do Ibre/FGV.

A intenção de compras de bens duráveis caiu 10,9 pontos em agosto, para 72,2 pontos, o menor nível desde janeiro de 2017.

"Como não está vendo recuperação do mercado de trabalho, o consumidor ainda está cauteloso para comprar. O emprego não está vindo", disse Seda Bittencourt.

Entre as famílias com renda mensal até R$ 2.100, a confiança cresceu 5,2 pontos em agosto. Na faixa mais rica, com renda mensal acima de R$ 9.600 mensais, a confiança recuou 0,7 ponto.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O melhor do seu dinheiro

Alguém chame os bombeiros

Hoje tivemos mais um dia de grande volatilidade nos mercados brasileiros, que entraram em parafuso com o temor de que o teto de gastos poderia vir a ser furado. Os investidores aguardam com grande ansiedade a votação da PEC Emergencial, aquela que permitirá o retorno do auxílio emergencial. E rumores de que ela seria desidratada […]

FECHAMENTO

Em dia de alta volatilidade, Lira salva Ibovespa de um fiasco e segura o dólar em R$ 5,66

A volatilidade reinou absoluta nesta quarta-feira (03) e mais uma vez Brasília foi responsável por movimentar os negócios no Brasil. Lá fora, o dia foi de cautela com a alta dos juros futuros

Luz no fim do túnel?

Ministério da Saúde avança em negociações com laboratórios para comprar vacinas

A declaração do MS foi dada pelo titular da pasta, Eduardo Pazuello, em reunião com a Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Crypto News

Bitcoin para leigos e descrentes também

Descrever algo tão complexo como o Bitcoin exige repertório, dedicação e um pouco de sedução de quem apresenta.

Ruim, mas nem tanto?

“É um dos países que menos caíram no mundo”, afirma Bolsonaro, sobre queda de 4% no PIB

Para Bolsonaro a queda do PIB só não foi maior devido a movimentação da economia gerada pelo auxílio emergencial.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies