Menu
2019-12-18T12:55:37-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
fique de olho nas ações

Após recomendação do Ministério da Economia, Telebras aguarda União para seguir com plano de sair da bolsa

Enquanto a operação de fechamento de capital não é concluída, o Ministério da Economia recomenda que o método de transferência de recursos seja reavaliado. As ações da companhia caíam mais de 7% por volta das 10h05

17 de dezembro de 2019
10:15 - atualizado às 12:55
Antena da Telebrás
Brasil, Brasília, DF, 01/02/2016 . Antena do centro de controle do primeiro satélite geoestacionário, nacional da Telebrás, localizada no Sexto Comando Aéreo Regional (VI Comar) da Base Aérea, em Brasília (DF). - Imagem: Crédito:ANDRE DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO/AE

A Telebras (TELB4) informou nesta terça-feira (17) que o Ministério da Economia recomendou o fechamento do capital social da empresa. A transação aconteceria por meio de uma Oferta Pública de Ações (OPA).

Segundo a estatal, a recomendação feita por meio de um ofício do ministério da Ciência e Tecnologia busca evitar que os recursos da União sejam repassados a acionistas privados.

A recomendação trouxe mais volatilidade aos papéis, que já enfrentam uma verdadeira montanha-russa neste ano. Por volta das 10h04, as ações da Telebras apresentavam uma queda de 7,01%, cotadas a R$ 30,50.

Para o Ministério da Economia, a empresa, categorizada como uma estatal dependente, utiliza recursos financeiros da União para financiar suas despesas e cobrir o seu déficit. Ao serem reconhecidos como receitas da companhia, esses valores passam a favorecer todos os acionistas da empresa, não só os seus controladores.

Em trecho do comunicado, o ministério declara que mesmo que os sócios minoritários não aportem recursos proporcionais às suas respectivas participações "estar-se-á diante de uma transferência de renda da União para aqueles que [...] serão remunerados com os frutos das receitas originadas pelas subvenções da União".

Atualmente a Telebras possui 3,47% das suas ações na bolsa. O ofício categoriza como 'incompatível' a permanência da FINEP, do Banco Cruzeiro do Sul e do Sr. Paulo Almeida Nobre no quadro societário da companhia. Atualmente as partes possuem 6,51%, 2,29% e 0,43% das ações, respectivamente.

Enquanto a operação de fechamento de capital não é concluída, o Ministério da Economia recomenda que o método de transferência de recursos seja reavaliado para que não haja distribuição indevida de renda para os acionistas minoritários.

2019 tem sido um ano de muitos altos e baixos para a estatal. Depois de figurar entre as empresas que poderiam ser privatizadas pelo governo, a Telebras já havia informado em setembro que avaliava fechar o seu capital.

Na época, a empresa disse que iria consultar a União, acionista controladora, para poder tocar a operação. No fato relevante divulgado hoje, a Telebras relembra que ainda aguarda a avaliação da União sobre o assunto.

Entre possibilidades de privatização e fechamento de capital, as ações da companhia têm vivido uma verdadeira montanha-russa. Em 2019 os papéis da Telebras acumulam uma valorização de 45,13%. No mês de dezembro os papéis registram uma desvalorização de mais de 7%.

No comunicado divulgado ao mercado, a Telebras informa que aguarda um posicionamento do Tribunal de Contas da União (TCU) com relação ao seu enquadramento como uma estatal dependente.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

mercado de ações

A B3 vai ter concorrência, mas não hoje: os riscos e oportunidades dos desafiantes ao monopólio da bolsa brasileira

Autorização para a empresa Mark2Market operar como central depositária de títulos volta a esquentar debate sobre atuação da B3, mas mercado vê quebra de monopólio improvável no curto prazo

Triste marca

Brasil registra mais de 500 mil mortos por covid-19

Em 24 horas foram 2.301 óbitos e 82.288 novos casos. Em nota, Conass ressalta que o Brasil tem 2,7% da população mundial, e é responsável por 12,8% das mortes

Here comes the sun

Energia solar ruma para liderança no País até 2050

O sol será responsável por 32% da geração, ao mesmo tempo em que a participação das hidrelétricas deve cair para cerca de 30%

ESTRADA DO FUTURO

Os três setores mais lucrativos em tecnologia, e por que você deve investir neles

Integração entre softwares e Inteligência Artificial são dois dos segmentos que devem fazer parte de qualquer portfólio de investimentos vencedor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies