Menu
2019-08-02T12:57:10-03:00
Estadão Conteúdo
novidades na estatal

Lançamento do crédito imobiliário com IPCA depende de aval do BC, diz Caixa

Segundo o presidente do banco, Pedro Guimarães, a modalidade não será mais alta que a praticada atualmente, que usa como referência a taxa referencial (TR) mais um porcentual

2 de agosto de 2019
12:57
Pedro Guimaraes, presidente da Caixa Econômica Federal
Imagem: Clauber Cleber Caetano/PR

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que o banco pretende lançar uma modalidade de crédito imobiliário atrelado ao índice de inflação (IPCA) nas próximas semanas, mas que ainda depende de aval do Banco Central para fazê-lo. "O crédito imobiliário com base no IPCA mais alguma taxa pode reduzir de 30% a 50% a prestação da casa própria", disse ele, em entrevista à rádio CBN.

De acordo com Guimarães, a modalidade não será mais alta que a praticada atualmente, que usa como referência a taxa referencial (TR) mais um porcentual.

A diferença entre o IPCA e a TR, conforme Guimarães, será mais do que compensada pela diferença no acréscimo ao índice de inflação. "Enquanto hoje é TR mais 8%, 9%, na nova modalidade será IPCA, que está em 3%, 4% mais uma taxa de 4,0% a 4,5% como base", explicou o executivo.

Guimarães disse ainda que, do ponto de vista da venda dos recebíveis gerados a partir da carteira de crédito imobiliário do banco, que lidera o segmento com 70% de Market share, o mercado demonstra mais apetite por operações corrigidas por IPCA do que por TR.

Isso porque, conforme ele, a TR é corrigida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), mas não tem uso racional. "Hoje, a TR está em 0%, mas já foi 8%. Não se controla a TR", acrescentou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

FOI BOM

Gerdau registra maior Ebitda desde 2008 no 3º trimestre

Aumento das vendas no mercado interno e depreciação do real ante o dólar puxa desempenho da siderúrgica para cima

Mercados hoje

Dólar supera os R$ 5,70 e Ibovespa tem queda de 2% com cautela no exterior e Copom no radar

O avanço da covid-19 no exterior mina qualquer chance de recuperação dos mercados internacionais. A agenda doméstica cheia também pressiona os negócios

Disputa parece longe do fim

Ser Educacional não desiste e recorre de decisão que invalida acordo com Laureate

A companhia afirma se manter certa de seus direitos e diz que tomará todas as medidas cabíves para manter o acordo inicial válido

ATENÇÃO, ACIONISTA

Petrobras altera política de remuneração para pagar dividendos mesmo em caso de prejuízo

Administração poderá propor o repasse de proventos, mesmo sem a apuração de lucro, caso se verificar redução da dívida líquida nos 12 meses anteriores

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

11 notícias para começar o dia bem informado

Começo esta newsletter sem delongas: fique ligado hoje no Seu Dinheiro, pois será um dia importante para os mercados. Os investidores aguardam com expectativa números que serão conhecidos após o fechamento do pregão. Estou falando da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa básica de juros, a Selic, e também dos balanços de […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies