Menu
2019-01-30T12:57:05-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Guerra comercial

Bolsonaro não tem culpa. BRF diz que restrição a frango brasileiro pela Arábia Saudita não foi política

Pedro Parente, presidente da produtora brasileira de alimentos, atribuiu a decisão do governo saudita a uma política para controlar a oferta de frangos no país

30 de janeiro de 2019
12:04 - atualizado às 12:57
Pedro Parente, CEO da BRF
Pedro Parente, CEO da BRF - Imagem: José Cruz/Agência Brasil

Bolsonaro não tem culpa. A decisão da Arábia Saudita de descredenciar unidades brasileiras habilitadas a exportar carne de frango para o país não tem relação com a intenção do governo brasileiro de transferir a embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. A afirmação é de Pedro Parente, presidente da produtora de alimentos BRF.

Parente atribuiu a decisão do governo saudita a uma política para controlar a oferta de frangos no país. Uma tentativa prévia já havia ocorrido com uma mudança regulatória, mas a BRF se adaptou rapidamente às novas normas, segundo Parente.

"A medida foi outra maneira de controlar a oferta", afirmou o presidente da BRF, que participa de evento para investidores promovido pelo Credit Suisse.

Parente disse que o descredenciamento não teve impacto material para a empresa, já que só uma das unidades que foram descredenciadas exportava para a Arábia Saudita.

Mais agressivo

O presidente da BRF cobrou, porém, uma postura comercial mais agressiva do governo brasileiro.

"O que está em jogo é a criação de empregos e divisas para o Brasil", afirmou.

Críticas à parte, Parente disse ainda ter "muita esperança" no trabalho do novo time do Ministério da Agricultura e elogiou a visão "pró-negócio" da ministra Tereza Cristina.

Guerra comercial

A guerra comercial entre Estados Unidos e China afetou negativamente os negócios da BRF, embora tenha sido boa para os produtores brasileiros, segundo Parente.

Isso aconteceu porque o preço de commodities como o milho no mercado interno aumentaram, graças à demanda chinesa. A BRF consome 15% da produção de milho brasileira.

"Ao mesmo tempo, o produtor americano teve que baixar os preços, o que ajudou as empresas de proteínas nos EUA", afirmou.

Esse jogo, contudo, pode virar dependendo do avanço das negociações entre os dois países, ainda segundo Parente.

Novo governo

Parente também fez elogios ao novo governo e à prioridade dada às reformas, como a da Previdência.

"O governo optou por um caminho, que eu concordo, de que as decisões nacionais não podem ser feitas em clima de barganha", afirmou.

O problema, disse Parente, é como será a capacidade de execução do novo governo nesse contexto. "Se as coisas andarem no setor público tenho certeza que setor privado vai responder."

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Piorou?

Guedes vê perda estrutural em PEC do auxílio

O plenário do Senado manteve o texto da PEC emergencial com o limite de R$ 44 bilhões para a despesa com o pagamento da nova rodada do auxílio para os mais vulneráveis.

DIÁRIO DE BORDO

À procura de um porto seguro para seu dinheiro em tempos turbulentos no Brasil? Veja onde investir

Se “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, o que aprendi nesses meus 25 anos de mercado financeiro é que em momentos de ruídos e turbulências precisamos ser ainda mais persistentes e consistentes em nossos investimentos.

Suspeita de crime

CVM confirma processo para investigar suposto ‘insider trading’ na Petrobras

A suspeita de que alguém pode ter lucrado R$ 18 milhões com o vazamento de informações sobre o que ocorreria na estatal vieram à tona no início da semana e mexeram com os ânimos do mercado.

Queda brusca

Produção de veículos recua 3,5% em fevereiro em comparação anual, diz Anfavea

Frente a janeiro, a produção caiu 1,3%, levando o volume acumulado no primeiro bimestre para 396,7 mil unidades.

Gestora sobe o tom

Fundo Verde se protege no câmbio e diz que governo “falhou miseravelmente” em comprar vacinas

O atraso em proteger a população aparece a olhos vistos, e tem consequências óbvias tanto em termos de vidas quanto em termos econômicos, escreveu a gestora de Luis Stuhlberger

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies