Menu
2019-10-14T14:25:17-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Caminhos nada convencionais

10 bilionários que abandonaram a faculdade antes de fazer fortunas

Muitas das pessoas mais ricas do mundo não concluíram o ensino superior, e essa condição não foi decisiva para que conquistassem seus objetivos

7 de outubro de 2019
15:14 - atualizado às 14:25
Bill Gates; bilionários
Bill Gates - Imagem: Shutterstock

O diploma universitário é sem dúvidas um dos caminhos mais clássicos para conseguir o sucesso profissional e financeiro. Afinal, o conhecimento adquirido nas salas de aula são muito valorizados no mercado e abrem portas para qualquer pessoa, sendo o primeiro passo para os bilionários.

Mas uma coisa que poucos sabem é que nem só de títulos de bacharel um bilionário vive. Pelo contrário, muitas das pessoas mais ricas do mundo sequer concluíram sua educação superior, e isso de fato não foi decisivo para conquistar o lugar que atualmente ocupam.

Nessa lista de 'bilionários sem diploma' tem vários tipos de história. Alguns desistiram da faculdade para se concentrar em suas próprias empresas, como o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg. Já outros foram expulsos por descumprir as regras da faculdade.

E não pense você que a decisão foi fácil. Muitos ricaços abandonaram um grupo seleto de universidades, da badalada Harvard à UCLA, o sonho de consumo de muita gente.

O site Business Insider separou alguns dos principais casos de bilionários que abandonaram suas faculdades para fazer fortuna pelo mundo. Confira.

1. Ralph Lauren

Ralph Lauren

Um dos estilistas mais conceituados do mundo abandonou o Baruch College, do The City College de Nova York, para fundar sua própria empresa de moda. Começou vendendo gravatas enquanto trabalhava em um escritório no Empire State Building. Lauren atualmente ostenta um patrimônio líquido de US$ 5,8 bilhões.

2. Jan Koum

Jan Koum

Um dos fundadores do WhatsApp, Koum abandonou a San Jose State University. De acordo com a Business Insider, antes de fundar a rede social ele trabalhou no Yahoo por nove anos. Atualmente com 43 anos, ele possui um patrimônio líquido estimado em US$ 10 bilhões.

3. Mark Zuckerberg

Mark Zuckerberg, fundador de CEO do Facebook

Sem dúvidas essa é a história mais conhecida dessa lista, que inclusive já virou enredo de filme. O fundador do Facebook deixou Harvard quando estava no segundo ano para focar em uma ferramenta que, anos depois, seria a maior rede social do mundo. O empresário, um dos mais ricos do mundo e hoje com 35 anos, tem um patrimônio líquido de US$ 66 bilhões.

4. Sheldon Adelson

Sheldon Adelson

O CEO do Las Vegas Sands, grupo norte-americano de cassinos e resorts, deixou para trás uma vaga no City College de Nova York. O curioso é que Adelson ficou rico com outro tipo de negócio que não os cassinos: ele fundou uma empresa chamada COMDEX, que organizava feiras comerciais focadas em tecnologia. A empresa foi vendida ao SoftBank em 1995 por US$ 862 milhões. Hoje com 86 anos, Adelson tem um patrimônio líquido estimado de US$ 33,1 bilhões.

5. Ted Turner

Ted Turner

O fundador de uma das maiores redes de televisão do mundo, a CNN, Turner carrega consigo uma história inusitada. Sua saída da Brown University antes da formatura não foi por opção, mas sim por ter permitido que sua namorada morasse com ele em seu dormitório. O homem de 80 anos tem hoje um patrimônio líquido de US$ 2,2 bilhões.

6. David Geffen

David Geffen

Quem assiste as animações da DreamWorks pode não ter ideia da história que leva um de seus fundadores. Geffen, que chegou a mentir uma formatura na UCLA para mentir um emprego, na verdade desistiu de uma vaga na Universidade do Texas. Antes de fundar a DreamWorks, ele trabalhou como agente de talentos na William Morris. Hoje, com 76 anos, é o homem mais rico de Hollywood e possui nada menos do que US$ 8,4 bilhões em suas contas.

7. Michael Dell

Quando era estudante da Universidade do Texas, Dell passava o tempo livre aprimorando computadores e comercializando esses produtos em seu dormitório. Em apenas um mês, ele conseguiu US$ 180 mil e nunca mais pisou na faculdade. Hoje com 54 anos ele tem um patrimônio líquido atual estimado de US$ 30,6 bilhões.

8. Bill Gates

Não é todo dia que alguém recusa uma vaga em Harvard, mas o caso do fundador da Microsoft está aí para provar o contrário. Depois de dois anos estudando em uma das mais conceituadas universidades do mundo, Gates abandonou tudo e foi se dedicar à empresa que anos depois seria uma das referências mundiais quando o assunto é tecnologia. E o negócio rendeu: hoje com 63 anos, ele possui um patrimônio de US$ 102 bilhões.

9. Travis Kalanick

Travis Kalanick

O co-fundador e ex-CEO da Uber chegou a estudar engenharia da computação na UCLA, mas abandonou tudo para trabalhar no Scour. Depois que a empresa faliu, Kalanick fundou uma companhia de software para redes chamada Red Swoosh, que posteriormente foi vendida para a Akamai por US$ 23 milhões em 2007. Parte dessa grana foi gasta com um ano de viagens pelo mundo antes que o empresário fundasse a Uber. Hoje, ele conta com um patrimônio de US$ 3,7 bilhões.

10. Larry Ellison

Larry Ellison, fundador da Oracle

Uma desistência é pouco! Um dos homens mais ricos do mundo e fundador da Oracle se matriculou na Universidade de Illinois após o ensino médio, mas desistiu durante o segundo ano com a morte de sua mãe adotiva. Em seguida, Ellison chegou a completar um semestre na Universidade de Chicago. Hoje com 75 anos, ele tem um patrimônio líquido de US$ 63 bilhões.

*Com informações da Business Insider.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Retomando a pauta

Votação do marco do saneamento deve ser retomada no Senado

O novo marco do saneamento — projeto que facilita a atuação da iniciativa privada no setor — tende a voltar à pauta no Senado em julho

Atrasou demais

Conselho diz que não há tempo hábil para privatizar Cedae

Um estudo aponta que a Cedae, a companhia de água e esgoto do Rio de Janeiro, deverá parar nas mãos do governo federal por falta de tempo para conclusão do processo de privatização

Pouco atraente

Participação do Brasil na carteira do investidor estrangeiro cai a 0,3%

Os diversos riscos associados à alocação de recursos no Brasil fizeram o peso do Brasil na carteira dos investidores estrangeiros — a incerteza política e a fraqueza econômica aparecem como importantes fatores

SEU DINHEIRO NO SÁBADO

MAIS LIDAS: Crise? Que crise?

O recente rali da bolsa pegou todo mundo de surpresa — e, não à toa, a matéria elencando cinco razões que explicam essa onda de otimismo foi a mais lida do Seu Dinheiro nesta semana

Crise setorial

Indústria deve deixar de vender mais de 1,3 milhão de veículos neste ano

A crise do coronavírus afetou as linhas de produção de veículos e também diminuiu as vendas em todo o país. Como resultado, o setor prevê uma queda de 40% no total vendido no ano

Seu mentor de investimentos

Um filme de terror: inflação volta a ter destaque no cenário brasileiro

Ivan Sant’Anna faz um paralelo entre a inflação galopante do fim dos anos 80 e o atual cenário de virtual estabilidade na variação dos preços — e mostra preocupação com o comportamento do mercado nesse novo panorama

Recuperação na bolsa

Até onde vai o Ibovespa? Para a XP, o índice voltará aos 112 mil pontos ao fim de 2020

A XP Investimentos revisou para cima sua projeção para o Ibovespa ao fim de 2020, passando de 94 mil pontos para 112 mil pontos — um patamar que implica num potencial de alta de mais de 18% em relação aos níveis atuais da bolsa

COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Como se preparar para a nova Era do Empreendedorismo

Quando as coisas mudam tão drasticamente quanto nos últimos meses, pode ser difícil perceber, mas esses momentos criam as maiores oportunidades.

Dados atualizados

Mortes por coronavírus no Brasil vão a 34.973; infectados são 643.766

Na quinta-feira, havia 34.021 mortes registradas, segundo o Ministério da Saúde. O balanço diário totalizava 614.941 infectados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements