🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
"Frágil e vago"

Credores criticam plano de recuperação da Avianca

No plano, companhia propõe vender seus horários de pousos e decolagens nos aeroportos (slots, no jargão do setor)

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
5 de fevereiro de 2019
7:55 - atualizado às 14:23
Aeronave da Avianca
Aeronave da Avianca - Imagem: Shutterstock

Apresentado à Justiça na última sexta-feira, o plano de recuperação judicial da Avianca não convence.

Ao menos é isso o que dizem os próprios advogados envolvidos com o caso, que o classificam como frágil, vago e de difícil aprovação.

A proposta da companhia aérea é criar uma “Unidade Produtiva Isolada” - espécie de empresa que ficaria com os direitos de pousos e decolagens (no jargão do setor, slots) da Avianca, além dos aviões arrendados - e leiloá-la. Essa nova empresa não herdaria as dívidas da aérea e receberia um aporte de US$ 75 milhões de algumas instituições, entre elas o fundo americano Elliott Management - que é credor dos irmãos Efromovich, donos da Avianca, em outros negócios. É um modelo parecido de recuperação foi utilizado pela Varig, cuja UPI foi comprada pela Gol.

O problema do plano da Avianca é que os slots, bastante disputados pelas companhias aéreas principalmente em aeroportos saturados como o de Congonhas, não são propriedade das empresas. Resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), publicada em agosto do ano passado, afirma ser vedada a “comercialização ou cessão, gratuita ou onerosa (dos slots)”.

Uma fonte ouvida pelo Estado afirmou que o risco de o plano ser barrado na Justiça é grande, pois dependerá de um aval da Anac e ainda poderá enfrentar questionamentos de outras companhias aéreas, que podem se sentir prejudicadas pela “transferência” dos slots para uma compradora da UPI.

O advogado Gledson Campos, do escritório Trench Rossi Watanabe, diz que o plano é desvantajoso para credores e, como está, não deverá ser aprovado. Para ele, a proposta de criar uma UPI sem dinheiro da Avianca não dá segurança a credores.

O advogado Felipe Bonsenso, especializado em direito aeronáutico, afirma que, em 2010, uma corte especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) se manifestou sobre o tema, proibindo o modelo proposta agora pela Avianca na recuperação judicial da Pantanal. “Diferentemente de outros países, como Inglaterra e EUA, no Brasil a comercialização de slots é vedada e os mesmos não fazem parte dos ativos das companhias aéreas.”

*Com Estadão Conteúdo

Compartilhe

para se esquecer

Com covid-19 e isolamento social, setor aéreo teve pior ano da história

2 de janeiro de 2021 - 15:32

Segmento foi um dos mais atingidos pela crise do coronavírus, com uma queda de demanda que chegou a 94,5% no pior momento

Operação lava jato

Sócios da Avianca depositaram propina de R$ 40 mi em conta de filho de Machado

21 de agosto de 2020 - 12:39

Segundo a força-tarefa, os pagamentos foram depositados entre os anos de 2009 e 2013 em contas bancárias na Suíça controladas por Expedito Machado, filho do ex-executivo da Transpetro

Pagamento de propina

Irmãos sócios da Avianca Holdings são presos na fase 72 da Lava Jato

19 de agosto de 2020 - 10:08

Ambos são acionistas da Avianca Holdings, que não é citada nas investigações. Seis mandados de busca e apreensão também foram cumpridos pela Polícia Federal em Alagoas, no Rio e em São Paulo.

plano de recuperação inviável

Justiça decreta falência da Avianca Brasil

15 de julho de 2020 - 6:41

Em recuperação judicial desde dezembro de 2018, a companhia já não mantinha operações desde maio do ano passado

ALÉM DE MORTOS E FERIDOS...

Os ‘falidos’ do coronavírus: veja as empresas que quebraram na pandemia

9 de julho de 2020 - 16:29

Companhias aéreas foram as primeiras a sentir o baque, seguidas por empresas que dependem também do turismo ou de viagens corporativas. Varejistas com fraca presença no e-commerce também sofreram com a ausência de clientes.

parada desde maio de 2019

Com dívidas de R$ 2,7 bi, Avianca Brasil entra com pedido de falência

6 de julho de 2020 - 16:39

Com dívidas que somam R$ 2,7 bilhões, a companhia aérea estava sem operar desde maio do ano passado

Efeito coronavírus

Empresas aéreas da América Latina devem perder US$ 4 bilhões neste ano

11 de junho de 2020 - 19:17

Globalmente, o prejuízo deve chegar a US$ 84,3 bilhões em razão das medidas tomadas pelos governos para tentar conter a pandemia do novo coronavírus

COMPANHIAS AÉREAS

Com queda de mais de 80% no preço das ações no ano, Avianca Holdings pede recuperação judicial nos EUA

10 de maio de 2020 - 18:25

A companhia – que é a segunda maior empresa aérea da América Latina – estimou o seu passivo entre US$ 1 bilhão e US$ 10.000 bilhões

Comercialização em conjunto

Azul e Avianca fecham acordo de codeshare

26 de setembro de 2019 - 7:51

Venda de passagens e início de operações, no entanto, estão sujeitas à aprovação do governo da Colômbia e do Peru

Segue em recuperação judicial

Justiça rejeita falência da Avianca Brasil

10 de setembro de 2019 - 12:56

Decisão foi tomada pela 2ª Câmara de Direito Empresarial por três votos a dois, mas foram necessárias três sessões para que os magistrados chegassem a uma conclusão

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies