Menu
2019-04-05T10:23:04-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Com orçamento apertado

Eletronuclear apela à Aneel para revisão de orçamento de R$ 383 milhões

Receita da estatal, que tem a missão de cuidar das duas únicas usinas nucleares em operação no Brasil, é bancada pelos consumidores de energia de todo o país

17 de janeiro de 2019
7:29 - atualizado às 10:23

A estatal Eletronuclear pediu à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que revisasse o valor dos recursos que a estatal receberá neste ano, com aumento de R$ 383 milhões.

Braço do grupo Eletrobras, a empresa alegou à agência que uma série de tributos que recaem sobre suas contas “penaliza a Eletronuclear de forma insuportável às suas disponibilidades, retirando a condição de manter-se no mínimo de estabilidade financeira desejável”.

A receita da estatal, que tem a missão de cuidar das duas únicas usinas nucleares em operação no Brasil, é bancada pelos consumidores de energia de todo o país, por meio da conta de luz.

No dia 26 de dezembro, a Aneel já tinha aprovado um valor de R$ 3,4 bilhões para ser pago à empresa ao longo de 2019, o que já resultaria em um aumento de 2,8% sobre a conta de luz do consumidor, a partir de 1.º de janeiro.

A Eletronuclear, no entanto, entrou com um recurso administrativo na agência e apresentou uma nova fatura, alegando “falha na apuração” nos pagamentos por parte da Aneel. A agência ainda não se posicionou sobre o pedido.

Parte do dinheiro cobrado seria usado para repor receitas que a empresa alega ter direito. Outra parte cobriria custos obrigatórios ligados a tributos que a companhia bancou sozinha entre 2015 e 2018. A Eletronuclear afirma que um erro de cálculo nos custos operacionais das usinas reduziu os repasses à empresa em R$ 126 milhões entre 2016 e 2018. As arrecadações que a empresa realiza para bancar um fundo de desativação das usinas nos próximos anos também conteriam equívocos cometidos entre 2015 e 2019, uma conta extra de mais R$ 257,4 milhões, totalizando os R$ 383,4 milhões.

Revisão

Por meio de nota, a Eletronuclear confirmou as informações e declarou que os valores precisam de “revisão para adequá-los aos gastos correspondentes”.

A geração de energia nuclear, que hoje responde por apenas 1,3% da matriz elétrica nacional, voltou a ter destaque no governo após a nomeação do ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque. O militar, que atuou na área nuclear na Marinha nos últimos anos, já afirmou que a retomada dos investimentos em energia nuclear será uma prioridade de sua gestão e que vai concluir a usina de Angra 3, que está com as obras paralisadas há mais de três anos.

Estudos mais recentes realizados pelo governo mostraram que a conclusão de Angra 3, que está com 58% de execução, foi estimada em R$ 17 bilhões, além dos R$ 8 bilhões que já foram gastos. Desistir dela, porém, custaria mais R$ 12 bilhões.

Há expectativas ainda sobre a produção do urânio enriquecido no País, combustível que abastece as usinas de Angra. Hoje esse material é retirado de uma mina controlada pela estatal Indústrias Nucleares do Brasil (INB), em Caetité, na Bahia. Por falta de recursos, porém, a INB não realiza toda a fase de enriquecimento no Brasil.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Contas analisadas

CMN aprova balanço do Banco Central no 2º semestre de 2019, com lucro de R$ 64,5 bilhões

Com os R$ 21,04 bilhões de lucro no primeiro semestre, o resultado total do ano para a instituição em 2019 foi de R$ 85,57 bilhões

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Gigante do varejo

Carrefour registra lucro líquido a controladores de R$ 636 milhões no 4º trimestre de 2019

Resultado representa uma alta de quase 20% na comparação com o mesmo período do ano anterior

Adiou de vez

Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval

Presidente disse que a reforma administrativa está “madura”, embora ainda não esteja pronta

Na ponta do lápis

Vale, SulAmérica, Carrefour e B2W: os balanços que movimentam o mercado no pré-Carnaval

Na maratona de balanços anuais de 2019, novos peso-pesados do mercado anunciaram seus números

Retorno maior com juro baixo

Menos liquidez, mais diversificação: como os clientes ricos do Itaú andam investindo

Com juro baixo, clientes private do Itaú vêm reduzindo alocação em renda fixa pós-fixada e migrando para ativos com mais risco de mercado ou liquidez, como ações, multimercados e investimentos de baixa liquidez.

Seu Dinheiro na sua noite

Hoje tem recorde do dólar?

Tem, sim senhor. Em mais um dia sem a presença do Banco Central no mercado, a moeda do país de Donald Trump tirou tinta dos R$ 4,40, mas perdeu um pouco de força e fechou aos R$ 4,391, alta de 0,60%. A alta recente do dólar, um movimento que na verdade começou lá em agosto […]

Sem alívio

Mais uma sessão, mais um recorde: dólar segue em alta e chega pela primeira vez aos R$ 4,39

O mercado de câmbio continuou pressionado pelo coronavírus e pela fraqueza da economia doméstica. Nesse cenário, o dólar à vista ficou a um triz de bater os R$ 4,40, enquanto o Ibovespa caiu mais de 1% e voltou aos 114 mil pontos

Ele fica

Ministro chama de ‘maior mentira’ história de pedido de saída de Guedes

Ruído sobre eventual saída do titular da Economia do governo se espalhou pelos mercados nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements