Menu
2018-12-13T17:48:01-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Setor automotivo em alta

Governo lança tecnologia para produzir o primeiro carro híbrido flex do mundo e já tem gigante do setor anunciando investimentos bilionários

Tecnologia vai permitir que carros sejam movidos a eletricidade e etanol ou gasolina

13 de dezembro de 2018
14:19 - atualizado às 17:48
temer-hibrido
Primeiro protótipo híbrido flex foi anunciado em março deste ano - Imagem: Flickr/Palácio do Planalto

O Brasil deu mais um passo para começar a produzir o primeiro veículo híbrido flex do mundo. Em cerimônia no Palácio do Planalto nesta quinta-feira, 13, o governo lançou a tecnologia para a fabricação desses carros - e a uma das gigantes do setor automobilístico já está de olho nesse mercado.

A montadora japonesa Toyota anunciou que investirá cerca de R$ 1 bilhão em sua unidade no Brasil para o desenvolvimento dos carros híbridos flex, que serão movidos a eletricidade e etanol ou gasolina.

No evento, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou que a nova tecnologia contribuirá para um ambiente mais limpo e estimulará o conhecimento científico. A Toyota fez parcerias com universidades brasileiras.

Já o presidente da Toyota para a América Latina, Steve St. Angelo, que também esteve no lançamento, ressaltou que o projeto está em linha com o programa Rota 2030, sancionado por Temer na terça feira, 13. Entre as medidas aprovadas está a redução de até três pontos porcentuais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros híbridos com tecnologia que permita o uso de etanol. Esse tipo de veículo já tinha sido beneficiado recentemente com outra redução de IPI.

A empresa não anunciou qual modelo será produzido com a nova tecnologia, mas o mercado aposta no sedã Corolla, embora a montadora tenha feito localmente diversos testes com um Prius, que é importado e usa apenas gasolina no motor que gera energia.

De acordo com a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), a utilização de biocombustível fará com que as emissões dos veículos elétricos brasileiros sejam um terço menores do que as dos veículos elétricos europeus.

Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), circulam hoje no Brasil cerca de 7 mil carros elétricos e híbridos (usam eletricidade ou gasolina).

Ainda segundo o Ministério de Minas e Energia (MME), o desenvolvimento da tecnologia se beneficiou de duas políticas lançadas recentemente pelo governo federal, o Renovabio, que prevê um aumento da oferta de biocombustíveis, e o Rota 2030, programa de incentivos para montadoras.

De acordo com o presidente da Toyota, o primeiro protótipo híbrido flex foi anunciado em março deste ano. "A longo prazo, devido ao poder de reabsorção do CO2 no ciclo produtivo da cana-de-açúcar, o respeito pela matriz energética é outro ponto alto do veículo híbrido. Ele não exige infraestrutura e é autossustentável", disse.

Ele destacou ainda que a integração do híbrido com o flex reduzirá a necessidade de infraestrutura para o abastecimento dos carros.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

covid no brasil

Covid-19: Brasil tem 97.256 óbitos e 2,02 milhões de recuperados

Atualmente, 741.180 pacientes estão em acompanhamento

Resultados que mexem o mercado

Braskem, AES Tietê, SulAmérica: os balanços que vão movimentar o mercado nesta quinta

Resultados financeiros do primeiro trimestre afetam mercado em meio à pandemia

seu dinheiro na sua noite

O fim de um ciclo?

Após um ano de cortes sucessivos, o atual ciclo de queda da taxa básica de juros, a Selic, parece ter chegado ao fim nesta quarta-feira. No início da noite, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) anunciou a redução dos juros em 0,25 ponto percentual, para 2,00% ao ano, como já era esperado […]

Novo corte

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 2,00% ao ano

Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central cortou a Selic mais uma vez

Mínima histórica

Banco Central reduz Selic para 2% ao ano e sinaliza fim do ciclo de cortes de juros

Essa foi a nona (e última?) redução consecutiva no atual ciclo de queda da Selic, que começou em julho do ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements