O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2019-04-04T14:11:11-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Eleições 2018

Paulo Guedes foi à rádio explicar a polêmica sobre a CPMF e deu pistas sobre a economia de um eventual governo Bolsonaro

Economista da campanha do PSL disse que o tema da volta da CPMF “foi um equívoco enorme”

9 de outubro de 2018
15:13 - atualizado às 14:11
paulo-guedes
Paulo Guedes disse que polêmica sobre CPMF era um equívoco enorme - Imagem: Nilon Fukuda/Estadão Conteúdo

Depois de Fernando Haddad (PT) falar sobre responsabilidade fiscal, o economista Paulo Guedes voltou a dar pistas sobre os planos que a equipe de Jair Bolsonaro (PSL) tem para a economia em um eventual governo. Responsável pela parte econômica da campanha, Guedes tentou consertar nesta terça-feira, 9, sua fala sobre a criação de uma nova CPMF. Ele afirmou que a polêmica envolvendo a volta do imposto "foi um equívoco enorme" e que, na verdade, eles estavam estudando a convergência de impostos.

Em entrevista à Rádio Jovem Pan, Guedes citou a proposta do economista Marcos Cintra de eliminar os impostos indiretos, os chamados regressivos. Para substituir essas taxas, haveria um imposto único, cuja cobrança poderia ser sobre o valor agregado ou utilizando um modelo nos moldes da CPMF.

O braço direito de Bolsonaro na área econômica acrescentou que a polêmica é reflexo da elevada "paixão política". Ele disse que Cintra irá, mais adiante, dar esclarecimentos sobre a proposta de imposto único.

Liderança em primeiro lugar

Guedes defendeu que Bolsonaro teve votação forte no primeiro turno por causa da sua liderança e da defesa de valores familiares. "Economistas no Brasil se têm às dúzias. O importante é ter liderança", disse, pedindo para que se pare de criticar Bolsonaro por causa da economia.

Na entrevista, ele também acrescentou que programas sociais vão ser mantidos e que a economia do Brasil é "muito fechada" e "um curral para a exploração do consumidor". Nesse sentido, a proposta de Guedes é a revisão do excesso do gasto público.

"Esse descontrole corrompeu a economia. Vamos precisar olhar esse excesso de gastos", disse, destacando o período do governo da ex-presidente Dilma Rousseff.

Ainda, sobre o mercado de ações, o economista disse que a bolsa brasileira ficou "rica". "Mas serve a menos empresas", ponderou.

E você leitor, o que achou das propostas de Paulo Guedes? Comente aqui embaixo.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

NOITE CRIPTO

Não durou muito: bitcoin (BTC) opera em queda e volta a ficar abaixo do nível de US$ 30 mil; veja a performance das outras criptomoedas

O peso da perda de confiança do mercado é um dos pontos que mais afastam o investidor do mercado de criptomoedas atualmente

DISTRIBUINDO MAIS DO QUE COMBUSTÍVEIS

Dividendos e JPC: Vibra Energia (VBBR3) anuncia o pagamento de R$ 131 milhões em proventos; confira prazos

Ao todo, a distribuidora de combustíveis já pagou R$ 663 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio no exercício de 2021

CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CSNA3) vão recomprar até 164 milhões de ações; veja o que muda para os acionistas

As duas companhias aproveitam o momento descontado na B3 para encerrar os programas atuais e iniciar novas operações com duração de um ano

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Inflação derruba bolsas, Hapvida vai às compras e a varejista que ameaça o Magalu; confira os destaques do dia

Depois de um dia de animação, preocupações com o movimento dos preços e a atividade econômica pelo mundo estragaram o humor dos investidores

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana come margem de grandes empresas e derruba bolsas globais; Ibovespa cai mais de 2% e dólar cola em R$ 5

Com inflação pressionando e China voltando a fechar cidades, o Ibovespa caiu menos que as bolsas em Wall Street, mas ainda assim amargou fortes perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies