Menu
2018-09-22T12:38:29-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Abrindo o jogo

Autor de possível ‘CPMF’ de Bolsonaro explica como o tributo funcionaria

Em entrevista ao Valor Econômico, Marcos Cintra defende imposto único com alíquota de 1,28%

21 de setembro de 2018
10:01 - atualizado às 12:38
Empresário com medo
Imposto único teria alíquota de 1,28%, de acordo com CintraImagem: Shutterstock

O economista da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes, disse, na última quarta-feira, 19, que estava pensando em unificar impostos em uma única taxa por movimentação financeira.

Apelidada de 'nova CPMF' desde então, o projeto acabou causando polêmica ao ponto de Bolsonaro pedir para que o economista preservasse suas ideias na reta final da campanha.

Em entrevista ao jornal 'Valor Econômico', Marcos Cintra, citado pelo presidenciável como um dos autores da reforma tributária de seu possível governo, defendeu substituição de vários tributos por uma cobrança única, que teria alíquota de 1,28%.

Desmembrando a 'nova CPMF'

Cintra explica que a taxa seria dividida em:

  • 0,43%, que substituiria a contribuição patronal de 20% sobre folha, salário e educação além das cobranças do "Sistema S"
  • 0,85% corresponderia aos tributos como IPI, Cide sobre combustíveis, IOF, Cofins e ITR.

'Preconceito Absurdo'

O economista chamou de "absurdo" o preconceito sobre a tarifa, a qual defende trazer "flexibilidade técnica fantástica e não ter sonegação".

É diferente

Cintra explicou ainda que a nova tarifa seria diferente da antiga CPMF, cobrada até 2007, pois a nova contribuição seria incidente nas compras de débito e crédito. No caso de depósitos ou saques em dinheiro, a cobrança seria dobrada. "Isso vai desestimular as pessoas de receber ou fazer pagamentos em dinheiro", disse.

Além disso, estariam de fora o imposto cobrado sobre o lucro, como Imposto de Renda de pessoa física ou jurídica. A Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) também não entra.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

crise

Lagarde diz que BCE prevê contração econômica entre cenários ‘médio’ e ‘severo’

Presidente do BCE diz que é muito difícil avaliar o quanto a economia foi afetada pela covid-19

ainda vai?

Estamos contratando estudos para privatização dos correios, diz secretário

Governo não abandonou seus planos de concessões e privatizações, disse o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys

atualização

Câmara aprova MP que aumenta salário mínimo para R$ 1.045

MP 916/19, editada no final do ano passado, acrescentou ao salário mínimo um reajuste de 4,1%; como a inflação de dezembro de 2019 foi divulgada em janeiro deste ano, o índice anual do INPC do ano passado foi de 4,48%

Entrevista exclusiva

O presidente da Mastercard diz como você vai pagar suas compras após a pandemia

Além do aumento do uso de meios eletrônicos nas compras, João Pedro Paro Neto aposta na consolidação dos pagamentos por aproximação e menor uso do dinheiro de papel

Exclusivo SD Premium

“Ground Stop”: É hora de se aventurar nas ações do setor aéreo?

Imagine, caro amigo leitor, o quanto não está custando a atual paralisação provocada pelo surto da Covid-19 para os setores aeronáutico e aeroportuário em todo o mundo. Cem bilhões? Duzentos bilhões? Trezentos bilhões? Um trilhão?

Reflexos da pandemia

Com coronavírus, lucro do Iguatemi cai 77,5% no 1º tri, para R$ 12,5 milhões

Operadora de shopping centers viu queda nas vendas, na receita líquida e no Ebitda com fechamento da maioria das lojas no fim de março por conta da pandemia

Atualização do Ministério da Saúde

Brasil tem 391.222 casos confirmados e 24.512 mortes pelo coronavírus

Segundo Ministério da Saúde, 158.593 pacientes foram recuperados

Projeto de ajuda a Estados

Bolsonaro diz não poder mais socorrer Estados e insiste na reabertura da economia

“Nós não podemos continuar socorrendo Estados e municípios que devem no meu entender de forma racional começar a abrir o mercado”, afirmou

seu dinheiro na sua noite

Magalu à prova de coronavírus

No último dia 18 de março, o Ibovespa amargou uma queda de 10,35%, depois de passar pela sexta vez no mês por um circuit breaker – a paralisação que acontece toda vez que o principal índice da bolsa cai mais de 10% durante um pregão. Nesse mesmo dia, as ações do Magazine Luiza registraram uma […]

Condição para socorro financeiro

MP que concede reajuste salarial a policiais e bombeiros no DF é publicada

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro disse que deve sancionar o projeto de socorro a Estados e municípios até amanhã; edição de medida provisória era uma das condições para a sanção

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements