Menu
Ivan Sant’Anna
Seu Mentor de Investimentos
Ivan Sant’Anna
É trader no mercado financeiro e autor da Inversa
2018-12-13T13:24:04-02:00
Seu mentor de investimentos

Um novo ciclo, Ibovespa futuro e big dips

Na quinta-feira da semana passada, fiz algumas indicações em minha coluna. Entre elas, vender a libra esterlina e o euro contra o dólar e comprar o Ibovespa futuro em big dips

13 de dezembro de 2018
13:22 - atualizado às 13:24

Na quinta-feira da semana passada, fiz algumas indicações em minha coluna.

Entre elas, vender a libra esterlina e o euro contra o dólar e comprar o Ibovespa futuro em big dips.

No início da noite, recebi um e-mail da leitora L. V. A. H. querendo mais objetividade. Ela pediu uma definição para big dip.

“Dois por cento?”; “Cinco por cento?”, L. sondou.

“Big dip é algo como 5.000 pontos abaixo das máximas”, respondi, sem querer ser muito minucioso.

Pois bem, a máxima do ano e de todos os tempos do Ibovespa foi 91.242, alcançada no primeiro dia útil deste mês, segunda-feira, 3.

E não é que o mercado, numa enorme correção, ou realização de lucros, como preferirem, caiu os tais 5.000 pontos. Na verdade, um pouco mais, ao ser negociado anteontem, dia 11, a 85.583 (queda de 5.659 pontos da grande máxima).

Como meu big dip era 86.242, quem foi na minha onda e comprou nesse nível pode agora por um stop um pouco abaixo dessa mínima pós 2º turno eleitoral, digamos, 85.400, e surfar a recuperação.

Daqui a 19 dias, o presidente Jair Bolsonaro vai tomar posse. Se seu governo será muito favorável ao mercado de ações, ou apenas friendly, só o tempo dirá. Mas com certeza o capitão deve cumprir sua promessa de impulsionar a livre iniciativa e isso soa como música para os ouvidos dos traders.

Há outros fundamentos positivos no horizonte, em especial a Reforma da Previdência, que deverá ser aprovada no primeiro semestre de 2019.

Agora vem a parte boa da história. De acordo com um relatório divulgado anteontem pelo Fundo Monetário Internacional, as boas novas para a economia brasileira estão por acontecer.

Ciclos econômicos

O FMI classifica os 12 países mais importantes de acordo com os estágios de seus ciclos econômicos.

Dessa dúzia, o Brasil é o que está em melhor situação, pois se encontra no ponto inicial de um período expansionista.

Segue-se a área do euro, o Reino Unido, a Índia e o Japão, no meio do estágio.

Em seu final, estão os Estados Unidos, a China, a Austrália e o Canadá.

No fim do ciclo, o México e a Rússia.

Fechando a turma, isolada, a África do Sul encerrou seu período de expansão.

Por essas razões, estou bastante otimista.

Para quem gosta de especular, e tem bala para isso, sugiro a compra de Ibovespa, agora em small dips. Para os investidores de médio e longo prazo, sugiro a aquisição de ações de empresas sólidas e rentáveis.

Com certeza a década de 2010 foi perdida. Mas pode ser que a de 2020 comece um ano antes, no dia 1º de janeiro de 2019.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fim de uma era?

Grupo Globo anuncia o fim da revista Época; publicação passará a circular como encarte de jornal

O site da publicação também será integrado ao do jornal em uma decisão que busca enfrentar a transição do conteúdo físico para o online

Explica direito isso aí...

Procon-SP cobra explicações de Gol, Azul, Latam e mais 7 aéreas sobre cancelamentos, remarcações e reembolsos na pandemia

As empresas têm até o dia 10 de maio para responderem questionamentos sobre sua política de comercialização de passagens no período

Melhorias no ar

Azul divulga projeções e aposta em recuperação total no início de 2022

A companhia aérea foi a única das Américas a aumentar seu caixa em 2020 e aposta em um Ebitda de cerca de R$ 4 bilhões no próximo ano

Podcast Tela Azul

CASH3: Conheça a Méliuz, sua estratégia de cashback e saiba por que esta ação tech está bombando

Em entrevista para o Podcast Tela Azul da Empiricus, Lucas Marques, COO da Méliuz, conta sobre a onda da estratégia de cashback e como ela funciona. É falado também do atual foco da companhia em Growth, e dos planos futuros. Entenda o que é o “jabutiCAC”, jargão que surgiu nesta edição.

Desceu redondo

Na Ambev, a venda de cerveja garantiu o happy hour no primeiro trimestre

A Ambev reportou forte crescimento na receita líquida e no lucro no primeiro trimestre, impulsionada pelas vendas de cerveja no Brasil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies