Menu
Ivan Sant’Anna
Seu Mentor de Investimentos
Ivan Sant’Anna
É trader no mercado financeiro e autor da Inversa
2018-12-13T13:24:04-02:00
Seu mentor de investimentos

Um novo ciclo, Ibovespa futuro e big dips

Na quinta-feira da semana passada, fiz algumas indicações em minha coluna. Entre elas, vender a libra esterlina e o euro contra o dólar e comprar o Ibovespa futuro em big dips

13 de dezembro de 2018
13:22 - atualizado às 13:24

Na quinta-feira da semana passada, fiz algumas indicações em minha coluna.

Entre elas, vender a libra esterlina e o euro contra o dólar e comprar o Ibovespa futuro em big dips.

No início da noite, recebi um e-mail da leitora L. V. A. H. querendo mais objetividade. Ela pediu uma definição para big dip.

“Dois por cento?”; “Cinco por cento?”, L. sondou.

“Big dip é algo como 5.000 pontos abaixo das máximas”, respondi, sem querer ser muito minucioso.

Pois bem, a máxima do ano e de todos os tempos do Ibovespa foi 91.242, alcançada no primeiro dia útil deste mês, segunda-feira, 3.

E não é que o mercado, numa enorme correção, ou realização de lucros, como preferirem, caiu os tais 5.000 pontos. Na verdade, um pouco mais, ao ser negociado anteontem, dia 11, a 85.583 (queda de 5.659 pontos da grande máxima).

Como meu big dip era 86.242, quem foi na minha onda e comprou nesse nível pode agora por um stop um pouco abaixo dessa mínima pós 2º turno eleitoral, digamos, 85.400, e surfar a recuperação.

Daqui a 19 dias, o presidente Jair Bolsonaro vai tomar posse. Se seu governo será muito favorável ao mercado de ações, ou apenas friendly, só o tempo dirá. Mas com certeza o capitão deve cumprir sua promessa de impulsionar a livre iniciativa e isso soa como música para os ouvidos dos traders.

Há outros fundamentos positivos no horizonte, em especial a Reforma da Previdência, que deverá ser aprovada no primeiro semestre de 2019.

Agora vem a parte boa da história. De acordo com um relatório divulgado anteontem pelo Fundo Monetário Internacional, as boas novas para a economia brasileira estão por acontecer.

Ciclos econômicos

O FMI classifica os 12 países mais importantes de acordo com os estágios de seus ciclos econômicos.

Dessa dúzia, o Brasil é o que está em melhor situação, pois se encontra no ponto inicial de um período expansionista.

Segue-se a área do euro, o Reino Unido, a Índia e o Japão, no meio do estágio.

Em seu final, estão os Estados Unidos, a China, a Austrália e o Canadá.

No fim do ciclo, o México e a Rússia.

Fechando a turma, isolada, a África do Sul encerrou seu período de expansão.

Por essas razões, estou bastante otimista.

Para quem gosta de especular, e tem bala para isso, sugiro a compra de Ibovespa, agora em small dips. Para os investidores de médio e longo prazo, sugiro a aquisição de ações de empresas sólidas e rentáveis.

Com certeza a década de 2010 foi perdida. Mas pode ser que a de 2020 comece um ano antes, no dia 1º de janeiro de 2019.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Apertem os cintos

Segredos da bolsa: Termina mais um trimestre que valeu por um ano

Semana traz agenda intensa de indicadores tanto no Brasil quanto nos EUA; cautela e volatilidade tendem a seguir em cena

EUA X China

Trump X TikTok: empresa chinesa tenta impedir proibição de downloads

Decisão judicial pode barrar restrição, que passaria a valer a partir de meia-noite deste domingo nos Estados Unidos.

A 38 dias da eleição

Trump anuncia nomeação de Barrett para a Suprema Corte

Nomeação ainda precisa ser confirmada pelo Senado, que hoje tem maioria Republicana.

Últimos ajustes

Guedes se reúne com líder do governo na Câmara para discutir Reforma Tributária

Segundo o deputado Ricardo Barros, na segunda-feira a proposta já estará fechada para uma rodada de discussão com os líderes da base governista no Congresso.

Em 2020

Pandemia tira R$ 12 bilhões em investimentos

Investimentos públicos em infraestrutura deverão ser 10% menores em relação ao estimado antes da pandemia de covid-19.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu