Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-05T09:53:58-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Europa manteve suas taxas

Presidente do BC europeu afirma que novas altas de juros dependerão do desempenho da economia

Declaração de Mario Draghi ocorreu após o anúncio da decisão do BCE em manter sua taxa de juros de refinanciamento em 0% e de depósitos em -0,4

13 de dezembro de 2018
14:31 - atualizado às 9:53
mario-draghi
Mario Draghi também defendeu reformas estruturais nos países do bloco - Imagem: Shutterstock

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou que o cronograma para o aumento da taxa de juros na zona do euro depende de dados macroeconômicos e do estado da economia. Ele voltou a dizer, porém, que o atual nível dos juros deve se manter até o verão de 2019 no Hemisfério Norte.

Em coletiva de imprensa realizada após o anúncio da decisão de política monetária do BCE, que optou por manter sua taxa básica de juros - a de refinanciamento - em 0% e a de depósitos em -0,4%, Draghi foi questionado sobre as expectativas do mercado para uma nova elevação de juros. "É a leitura que eles fazem sobre a perspectiva econômica", defendeu.

O dirigente defendeu, também, que com o objetivo de reduzir vulnerabilidades e aumentar a produtividade na zona do euro, reformas estruturais nos países do bloco devem ser feitas, mas destacou que a força do mercado de trabalho na região é refletida no aumento dos empregos e avanço dos salários.

Ainda segundo Draghi, os riscos para a inflação na zona do euro "continuam perto do que eram antes". Na avaliação do BCE, o indicador deve mostrar diminuição nos próximos meses na região, mas a inflação subjacente deve crescer no médio prazo, apoiada por políticas da instituição.

E os reinvestimentos, como ficam?

Draghi comentou que o BCE não chegou a discutir, em sua mais recente reunião de política monetária, um prazo específico para terminar os reinvestimentos em ativos, que nada mais são do que a reposição de bônus amadurecidos.

O presidente do BCE afirmou ainda que os dados recentes da atividade na zona do euro foram "mais fracos do que o esperado" e ressaltou que "estímulos significativos" à economia ainda são necessários. Segundo o dirigente, os "indicadores sugerem um ímpeto mais fraco" à frente para economia e destacou, ainda, que a política continua "muito acomodatícia".

Além disso, depois de confirmar o término das compras líquidas de ativos neste mês, parte do programa de afrouxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), Draghi reforçou que o QE está de forma permanente na "caixa de ferramentas" monetárias do BCE e pode voltar a ser utilizado se for necessário.

A equipe do BCE tem monitorado o impacto das baixas taxas de juros na lucratividade de instituições financeiras. Draghi defendeu que elas são compensadas por outros estímulos, como as compras líquidas de ativos. Ao mesmo tempo, ele reforçou que "nossa intenção é manter a liquidez tão disponível quanto seja preciso".

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

O melhor do Seu Dinheiro

A vez dos shoppings voltou: está na hora de investir na ‘praia do paulistano’

Os shopping centers foram por muitos anos apelidados de “praia de paulistano”, principalmente por quem é de fora de São Paulo. Com o tempo e a explosão desses empreendimentos pelo Brasil, o apelido jocoso perdeu força, mas ainda comunica. O fato é que a tal praia do paulistano foi uma das mais duramente afetadas quando […]

COLUNA DO JOJO

Bolsa hoje: licença para gastar

Hoje, a UE deve divulgar as proporções da dívida sobre PIB dos membros para 2020 – os valores deverão ser volumosos, repercutindo a pandemia, que mudou a relação da atuação dos governos na economia

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro amplia queda após Paulo Guedes lavar as mãos para furo no teto de gastos e dólar vai acima de R$ 5,60

No panorama doméstico, o risco fiscal permanece no radar, enquanto a temporada de balanços segue no exterior

MELOU O NEGÓCIO

Ações da Evergrande saem de suspensão e despencam em meio a desacordo sobre venda de fatia da incorporadora

A própria empreiteira chinesa cancelou um acordo para a venda de uma participação de 50,1% em unidade de serviços imobiliários para a Hopson Development Holdings

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: exterior tem dia de correção e bolsa brasileira deve ter desempenho fraco por mais um dia após fala de Paulo Guedes sobre teto de gastos

Os balanços do exterior devem movimentar os negócios, com Evergrande de volta ao radar após fracasso na venda de uma subsidiária

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies