Menu
2018-10-29T08:58:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
UNIÃO E 'URGÊNCIA'

O que os bancões falaram sobre a eleição de Bolsonaro

Os presidentes do Santander e Bradesco se manifestaram após o resultado da eleição no Brasil com mensagens que pedem união e urgência na retomada da rota de crescimento do país.

28 de outubro de 2018
22:43 - atualizado às 8:58
Agência do Santander na Alemanha
Imagem: shutterstock

Os presidentes do Santander e Bradesco se manifestaram após o resultado da eleição no Brasil com mensagens que pedem união e urgência na retomada da rota de crescimento do país.

O Bradesco cobra "sentido de urgência" do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para fazer o Brasil voltar a crescer de forma sustentada, de acordo com comunicado divulgado na noite deste domingo comentando o resultado das urnas. "A magnitude das tarefas que temos à frente recomenda sentido de urgência na adoção de ações e medidas que nos direcionem para uma vigorosa e sustentada retomada do crescimento", afirmou o presidente do conselho de administração do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi.

No mesmo texto, o presidente do banco, Octavio de Lazari Junior, disse que esta foi uma eleição diferente das experiências anteriores que o País teve. "Uma das razões é que ela aconteceu na saída de uma das mais graves crises econômicas já vividas pelo Brasil", disse ele, destacando que isso amplia bastante a "carga de expectativas" em relação ao aumento dos investimentos e criação de empregos.

"O PIB brasileiro nos posiciona entre as economias mais relevantes do planeta", afirma Lazari.

"Temos uma economia diversificada, empresários competitivos, trabalhadores eficientes e instituições republicanas que funcionam em sua plenitude." Nesse cenário, o executivo diz que "nos sentimos revigorados para dar início a um novo ciclo de reformas estruturais no sentido da modernização do Brasil". "Nós, da iniciativa privada, queremos oportunidades para trabalhar, investir e criar empregos", completou ele.

Ainda no texto, Trabuco destaca que as eleições de 2018 "fortaleceram o Brasil em sua condição de uma das maiores democracias do mundo". "Todos os candidatos expuseram suas propostas e a população escolheu o novo presidente da República de maneira livre e soberana", afirmou o executivo, que era presidente do banco antes de Lazari assumir. "Passado com êxito o momento da escolha do novo chefe do Poder Executivo, o Brasil se encontra na posição ideal para superar uma desafiadora agenda de questões econômicas, nas quais o emprego, a geração de renda e a capacidade de investimentos se tornam pontos centrais e consensuais."

Santander

Já o presidente do Santander no Brasil, Sérgio Rial, cumprimentou o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) pela vitória nas urnas e afirmou que, terminada a campanha eleitoral, é preciso união para trazer o Brasil rapidamente para o século 21 e "abandonar dinâmicas doutrinárias do século passado", de acordo com comunicado enviado à imprensa na noite deste domingo, 28.

"Necessitamos que todos nós, brasileiros e brasileiras, nos juntemos para o bem do nosso País, tentando ajudar a nova administração, sem com isso deixar de pautar visões diferentes, mas fazendo-o com propostas construtivas", afirma o executivo. "Desejamos ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, muito êxito e equilíbrio na missão que lhe foi confiada de governar o Brasil e buscar o desenvolvimento econômico sustentável, com justiça e equidade social."

Ainda no texto, Rial destaca que "estamos no meio de uma maiores revoluções da história econômica recente, promovida, entre outras coisas, pela inovação tecnológica". "Cabe a cada um de nós trazer o Brasil rápido para o século 21 e abandonar dinâmicas doutrinárias do século passado", observa o presidente do Santander. "O Brasil tem pressa, e mais ainda aqueles que precisam e merecem ter oportunidades", conclui o comunicado, destacando que o Santander vai seguir "acreditando, investindo e apoiando" os clientes e o Brasil.

* Com Estadão Conteúdo
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

covid no brasil

Covid-19: Brasil tem 97.256 óbitos e 2,02 milhões de recuperados

Atualmente, 741.180 pacientes estão em acompanhamento

Resultados que mexem o mercado

Braskem, AES Tietê, SulAmérica: os balanços que vão movimentar o mercado nesta quinta

Resultados financeiros do primeiro trimestre afetam mercado em meio à pandemia

seu dinheiro na sua noite

O fim de um ciclo?

Após um ano de cortes sucessivos, o atual ciclo de queda da taxa básica de juros, a Selic, parece ter chegado ao fim nesta quarta-feira. No início da noite, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) anunciou a redução dos juros em 0,25 ponto percentual, para 2,00% ao ano, como já era esperado […]

Novo corte

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 2,00% ao ano

Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central cortou a Selic mais uma vez

Mínima histórica

Banco Central reduz Selic para 2% ao ano e sinaliza fim do ciclo de cortes de juros

Essa foi a nona (e última?) redução consecutiva no atual ciclo de queda da Selic, que começou em julho do ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements