Menu
2018-10-25T10:12:04-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Balanço

Resultado da Ambev mostra impacto da crise na Argentina e vendas fracas no Brasil

Companhia registrou queda de 10,2% no lucro líquido ajustado para o trimestre, a R$ 2,864 bilhões; Goldman Sachs avalia resultados como “decepcionantes”

25 de outubro de 2018
6:53 - atualizado às 10:12
Fábrica da Ambev no Rio de Janeiro
Imagem: shutterstock_

A Ambev divulgou seus resultados do 3º trimestre nesta quinta-feira, 25.

Veja os números comparados ao mesmo período do ano passado e as estimativas do mercado, de acordo com a Bloomberg:

  • Lucro líquido ajustado: R$ 2,864 bilhões. A expectativa era de R$ 2,210 bilhões. Em 2017, foi de R$ 3,100 bilhões no mesmo período
  • Ebitda: recuou a R$ 4,451 milhões e ficou abaixo da expectativa do mercado, que era de R$ 5,133 bilhões. Em 2017, foi de R$ R$ 4,552 bilhões no mesmo período
  • Receita líquida: caiu a R$ 11,064 bilhões. A expectativa era de R$ 12,188 bilhões. Em 2017, foi de R$ R$ 11,362 bilhões no mesmo período

Pior que a indústria

A empresa disse que a queda na receita está relacionada com a variação cambial do período, citando pressões inflacionárias na Argentina e preços mais elevados das commodities.  Segundo a companhia, houve queda de 3,1% no volume de cerveja vendido no país, resultado pior que o desempenho médio da indústria, que teve recuo de 2,5% no período.

'Resultado decepcionante'

O Goldman Sachs avaliou como "decepcionantes" os resultados divulgados pela Ambev, apontando a Argentina como o principal ponto fraco da empresa. "A mudança na contabilidade na Argentina teve um impacto maior do que o esperado nos resultados e pode continuar sendo um problema para o restante do ano", o analista Luca Cipiccia no relatório.

Destaques

Em comunicado aos investidores, a empresa destacou que acredita na aceleração do crescimento do Ebtida no Brasil ainda em 2018: "Permanecemos otimistas quanto às perspectivas de longo prazo no país, na medida em que vemos diversas oportunidades à nossa frente e estamos bem posicionados com um forte portfólio para capitalizar sobre essas oportunidades".

Por outro lado, a fabricante de bebidas optou por reduzir a divulgação de metas para este ano, deixando de informar expectativas para investimentos ou evolução de custos do negócio como um todo no Brasil.

A companhia também disse permanecer cautelosa com os investimentos na Argentina a curto prazo, mas se diz confiante para o médio e longo prazo.

A empresa destacou o bom desempenho das vendas em volume na América Central além de afirmar que continuará comprometida melhorar seu desempenho no Canadá.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Reposicionamento

BNDES não tem pressa de vender ações e quer fomentar indústria de fundos

Presidente do banco, Gustavo Montezano, disse que BNDESPar venderá ações aos poucos durante três anos, à medida que mercado for absorvendo; objetivo é que carteira chegue perto de zero

OLHO NOS JUROS

FED decide manter juros entre 1,50% e 1,75%

No comunicado, o banco ressaltou que a atual política monetária é “apropriada para suportar a expansão econômica, condições mais fortes do mercado de trabalho e o retorno da inflação para perto da meta de 2%”

Privatização à vista

Objetivo é privatizar Eletrobrás no 2º semestre de 2020, diz o presidente Wilson Ferreira

Meta para o primeiro semestre é aprofundar a conversa com o Senado e aprovar capitalização no Congresso.

Rebatendo as críticas

Nenhum governo tem prática tão liberal quanto este, diz Salim Mattar

Secretário responsável pelas privatizações do governo Bolsonaro disse que gasta 80% do tempo para “descontruir o legado” que foi deixado por gestões anteriores

Nova cartada do bilionário

Warren Buffett vende seu império de jornais por US$ 140 milhões e deixa o setor de imprensa

A Berkshire Hathaway, conglomerado de investimentos administrado por Warren Buffett, vendeu hoje sua divisão de jornais à Lee Enterprises

Caixa vai fazer “road show” de IPO da Caixa Seguridade em todos os Estados

O banco pretende fazer a abertura de capital das subsidiárias de seguridade e de cartões neste ano. As outras duas unidades – loterias e gestora de fundos – devem demorar um pouco mais

martelo batido

CVM fecha acordo de R$ 450 mil em caso envolvendo executivos da Biosev

Processo era movido contra três ex-executivos da processadora de cana-de-açúcar; cada um vai ter que pagar R$ 150 mil

pingos os is

Investigação não encontrou irregularidades e não há mais nada a esclarecer, diz presidente do BNDES

Auditoria custou R$ 42,7 milhões; investigações internas do banco não encontraram nenhuma irregularidade nas operações

hora do balanço

Bancos liberam mais crédito no Brasil, mas custo segue elevado

Taxas de juros cobradas de empresas e famílias seguiram em níveis elevados. segundo dados do BC

Painel com gestores

Stuhlberger vê bolha se formando na bolsa, mas segue aplicado

Lendário gestor da Verde Asset diz que “olha porta de saída” da bolsa, mas vê boas perspectivas com avanço do PIB de consumo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements