Menu
2019-10-14T15:59:51-03:00
Sob nova direção

Via Varejo tira diretora do Magazine Luiza

Roberto Fulcherberguer, presidente da companhia, prometeu reduzir o espaço que a dona da Casas Bahia e do Ponto Frio vem perdendo para o Magazine Luiza

3 de julho de 2019
8:04 - atualizado às 15:59
Fachada da loja Casas Bahia, rede pertencente à Via Varejo
Casas Bahia é uma das redes de lojas operadas pela Via Varejo - Imagem: Shutterstock

A Via Varejo, novamente sob o controle da família Klein, escolheu o executivo Roberto Fulcherberguer como presidente da companhia e começou a fazer uma ofensiva sobre executivos da concorrência, em especial do Magazine Luiza, rede que tem crescido e conquistado claramente a preferência do mercado financeiro.

Foi na rival que a Via Varejo encontrou o nome para tocar sua operação online: Ilca Sierra, que estava no Magazine havia 10 anos e comandava a área de marketing multicanais da varejista. A atuação online é considerada uma das principais deficiências da Via Varejo. A companhia anunciou ainda a contratação de cinco outros executivos, com passagens por varejistas como Walmart e Carrefour.

Em vídeo divulgado pela Via Varejo para funcionários na segunda-feira, Fulcherberguer, que atua no varejo há mais de 20 anos, com passagens por companhias como Arapuã e Pão de Açúcar, prometeu reduzir o espaço que a dona da Casas Bahia e do Ponto Frio vem perdendo para o Magazine Luiza.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Endereçando diretamente o fato de a Via Varejo ter cedido espaço nos últimos anos para a vice-líder do setor, Fulcherberguer afirmou que “tem alguma coisa errada” com a proprietária da Casas Bahia. “Vendemos R$ 10 bilhões a mais do que nossa principal concorrente, mas eles valem R$ 34 bilhões a mais na Bolsa”, disse.

Fulcherberguer também criticou a gestão do GPA. “Temos de voltar a fazer o básico bem feito”, disse. “Vamos ter um rumo certo e preciso porque a Via Varejo tinha um rumo a cada ano.”

Demandas

Desde 2013, quando deixou a vice-presidência comercial da Via Varejo, Fulcherberguer atuava só no conselho da varejista. Ele também afirmou que haverá mudanças na atuação online e prometeu reformas nas lojas, mas não “do dia para a noite”. “Sei que tem muita demanda por fachada nova, por ar condicionado, por reforma de piso”, afirmou.

Com a saída do Grupo Pão de Açúcar da sociedade da varejista de eletrodomésticos, um total de 12 altos executivos serão substituídos. O ex-presidente da Via Varejo Peter Estermann, que segue à frente do GPA, renunciou ao cargo após a saída do grupo do rol de acionistas da empresa de eletrodomésticos.

Tirar a atual vantagem do Magazine Luiza será uma corrida ladeira acima. Segundo dados de 2018, a Via Varejo é maior do que o Magazine Luiza, com receita bruta de mais de R$ 30 bilhões. Mas a empresa está bem atrás em lucratividade e relevância no mundo online: enquanto a concorrente arrecada 38% das receitas na internet, a Via Varejo só soma 19%.

Procurada, o Magazine Luiza não quis comentar.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

INVESTIMENTOS

Suzano anuncia investimentos de R$ 4,4 bilhões em 2020

Além disso, a Suzano vai investir mais R$ 400 milhões em aquisição e/ou formação de terras e florestas

acordo EUA x CHINA

Casa Branca sinaliza que assinará acordo comercial limitado entre EUA e China

Trump se reuniu com importantes assessores econômicos e comerciais por uma hora nesta quinta-feira. A fonte disse que o acordo pode ser confirmado já nesta sexta-feira

INVESTIMENTOS

Para Freitas, decisão da S&P é “excelente” para atrair investimentos

O ministro prevê que a melhora de perspectiva para o Brasil pelas agências de rating vai impulsionar investimentos para as mais de 40 concessões que pretende vender em leilões em 2020

seu dinheiro na sua noite

Café com gosto amargo para a B3

Estive na manhã de hoje em um evento promovido pela bolsa brasileira B3 com advogados, representantes de bancos e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a xerife do mercado de capitais brasileiro. Com o Ibovespa alcançando mais um recorde hoje, em meio a um volume histórico de ofertas de ações realizadas no mercado brasileiro, 2019 […]

112.199,74 pontos

Copom, S&P e Trump dão força ao mercado e fazem o Ibovespa quebrar novos recordes

Impulsionado pelo corte na Selic, pela visão otimista da S&P em relação ao Brasil e pela perspectiva de acerto entre EUA e China, o Ibovespa rompeu o nível dos 112 mil pontos pela primeira vez

PROBLEMAS NO BALANÇO

Via Varejo confirma fraude contábil, com impacto de até R$ 1,4 bilhão no resultado do 4º trimestre

Segundo o documento, houve manipulação da provisão trabalhista da companhia e diferimento indevido na baixa de ativos e contabilização de passivos

RECOMENDAÇÃO

UBS eleva ações da Localiza para compra e inicia cobertura de Unidas e Movida como neutra

O UBS também aumentou o preço-alvo dos papéis ordinários da empresa para R$ 56, ante R$ 47,80, o que representaria uma alta de quase 23% em relação ao fechamento do pregão da última terça-feira

Altas e baixas

Sabesp, MRV e varejistas: os destaques da bolsa nesta quinta-feira

As ações da MRV e das varejistas aparecem entre as maiores altas do Ibovespa nesta quinta-feira, enquanto os papéis da Sabesp têm o pior desempenho do dia

Elevando as recomendações

Varejo em foco: o Credit Suisse está otimista com as ações da B2W e das Lojas Americanas

O Credit Suisse elevou as recomendações e preços-alvo para as ações da B2W e Lojas Americanas, citando perspectivas mais favoráveis para ambas as empresas no futuro

COM MENOS DÍVIDAS

CSN espera reduzir endividamento em quase R$ 8 bilhões

De acordo com Ribeiro, as principais medidas serão o pagamento mínimo de dividendos e a venda de ativos como a subsidiária da CSN na Alemanha. “Estamos em um processo bastante avançado de venda”, afirmou

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements