Menu
2019-05-10T08:46:19+00:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Balanço da tragédia

Despesas da Vale por Brumadinho ultrapassam a marca de US$ 4,5 bilhões

A Vale divulgou nesta quinta-feira (9) seu balanço referente aos três primeiros meses de 2019 — o primeiro a contabilizar os impactos do rompimento da barragem em Brumadinho. E a mineradora teve um prejuízo bilionário.

9 de maio de 2019
19:45 - atualizado às 8:46
Desabamento de barragem da Vale em Brumadinho (MG)
Vale teve prejuízo bilionário e encerrou o trimestre com Ebitda negativo - Imagem: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Quase quatro meses depois do rompimento da barragem I na mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, o mercado finalmente consegue ter uma dimensão mais concreta dos impactos financeiros da tragédia para a Vale. E as despesas são bilionárias.

Ao todo, a mineradora estima que os custos relacionados a Brumadinho cheguem a US$ 4,504 bilhões. Desse montante, US$ 2,423 bilhões dizem respeito a provisões para os programas e acordos de compensação, enquanto as provisões para o descomissionamento de barragens soma US$ 1,855 bilhão.

Despesas incorridas no processo totalizam US$ 104 milhões, enquanto outros gastos respondem por US$ 122 milhões. A Vale ressalta que as cifras relacionadas a Brumadinho são resultado de estimativas com base nos fatos conhecidos até o momento.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Com os efeitos de Brumadinho, a empresa encerrou o primeiro trimestre de 2019 com prejuízo líquido de US$ 1,642 bilhão, revertendo o ganho de US$ 1,590 bilhão apurado no mesmo período do ano passado.

Além disso, o Ebitda ajustado da mineradora — isto é, o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização — ficou negativo em US$ 652 milhões entre janeiro e março deste ano, ante Ebitda positivo de US$ 3,926 bilhões nos primeiros três meses de 2018.

Trata-se de uma situação sem precedentes na história da Vale: é a primeira vez na que a mineradora fecha um trimestre com Ebitda negativo.

A receita operacional líquida também recuou na base anual, somando US$ 8,203 bilhões no primeiro trimestre de 2019 — cifra 4,6% menor que a apurada há um ano.

Investimentos caem

Os investimentos da Vale no trimestre somaram US$ 611 milhões, uma queda de 31,3% ante os US$ 890 milhões investidos nos três primeiros meses de 2018. No entanto, na comparação com o período entre outubro e dezembro do ano passado — quando os desembolsos chegaram a US$ 1,498 bilhão — o recuo foi bem maior: de 59,2%.

Desses US$ 611 milhões investidos, a maior parte diz respeito à manutenção dos projetos já existentes, com US$ 512 milhões. Também neste caso, os montantes gastos diminuíram: a cifra é 3,2% menor que a alocada no primeiro trimestre de 2018 e 60,5% inferior à contabilizada no quarto trimestre do ano passado.

Dívida de US$ 12 bi

A dívida líquida da Vale ficou em US$ 12,031 bilhões ao fim de março. Em relação ao mesmo mês de 2018, o endividamento recuou 19,2%, mas, na comparação com o nível de dezembro, a dívida da mineradora saltou 24,6%.

Com isso, a alavancagem da Vale, medida pela relação entre dívida líquida e o Ebitda ajustado dos últimos 12 meses, fechou o primeiro trimestre deste ano em uma vez — mesmo patamar registrado há um ano. No fim de 2018, contudo, a alavancagem era menor: de 0,6 vez.

Receitas diminuem em todas as divisões

As três principais divisões de negócio da Vale — minerais ferrosos, carvão e metais básicos — tiveram queda na receita operacional líquida no trimestre.

A principal área de atuação da Vale, minerais ferrosos, gerou US$ 6,343 bilhões de receita entre janeiro e março deste ano, uma retração de 2,81% na mesma base de comparação. O setor de metais básicos foi responsável por US$ 1,451 bilhão (-11,2%), e o de carvão respondeu por US$ 333 milhões (-12,4%).

Os dados operacionais da Vale, divulgados na quarta-feira (8), já davam uma pista de que as receitas da Vale poderiam cair na base anual. A produção de minério de ferro totalizou 72,870 milhões de toneladas, queda de 11% ante os primeiros três meses do ano passado.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Novidades na prateleira

RCI Brasil, das montadoras Renault e Nissan, passa a oferecer CDB com liquidez diária e rentabilidade de 102% do CDI

A desvantagem é que o valor inicial de aplicação do investimento é um pouco alto. No caso do Banco Sofisa, por exemplo, o valor inicial de aplicação é de R$ 1. Já no Inter e no C6 Bank, a aplicação inicial é de R$ 100

Aos números

Economia com reforma da Previdência após 1º turno fica em R$ 914,3 bilhões

Impacto fiscal ao longo de 10 anos sobe a R$ 933,5 bilhões, considerando aumento CSLL sobre os bancos. MP de fraudes pode render outros R$ 200 bilhões

alteração na agenda

Anúncio sobre FGTS fica para a próxima semana, diz Onyx

Segundo o ministro, as equipes técnicas do Ministério da Economia ainda trabalham em cima dos ajustes necessários

dinheiro na mão

Economistas recomendam sacar recursos do fundo

Aprovada a medida do governo para o saque das contas do FGTS, a orientação dos especialistas é para que os trabalhadores quitem débitos ou invistam

controvérsia

Setor de construção critica liberação de saques do FGTS

Recursos para o trabalhador devem diminuir o total disponível para a construção, o que pode aumentar o déficit habitacional do País, diz vice-presidente de sindicato

Reforma tributária em pauta

‘Ambiente é favorável à reforma ampla’

Bernard Appy, diretor do Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e autor do texto da proposta de reforma tributária encampada pela Câmara, contesta a posição do governo de começar a reforma só com a criação de um IVA dos tributos federais

Dinheiro na mão

Liberação do FGTS pode dar fôlego à economia e elevar PIB em até 1,1%

A medida deverá ser anunciada nesta quinta-feira, 18, e valerá para contas ativas e inativas (de contratos de trabalho anteriores)

Crypto news

Os desafios do Facebook para enfrentar os burocratas e defender a Libra, a sua moeda digital

Na primeira audiência realizada sobre a criptomoeda no Senado dos EUA, os parlamentares não pegaram leve. E não será nada fácil convencer a todos, já que a moeda está ligada a uma rede com mais usuários do que a população dos Estados Unidos

saindo do buraco

Confiança dos industriais cresce em julho com melhora de expectativas econômicas

Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) teve alta de 0,5 ponto em julho, atingindo 57,4 pontos, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira pela CNI

dinheiro na mão

Governo deve anunciar liberação do saque do FGTS hoje, diz Bolsonaro

Expectativa é de que isso aconteça durante a cerimônia pelos 200 dias de governo Bolsonaro, que será realizada às 16h no Palácio do Planalto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements