Menu
2019-09-20T15:49:50+00:00
Tesourada no governo também

Ministério da Economia corta projeção da Selic em 2019 de 6,2% para 5,9%

Projeção para o câmbio médio deste ano passou de R$ 3,8 para R$ 3,9. Já a estimativa para a alta da massa salarial passou de 5,5% para 4,9%

20 de setembro de 2019
15:49
O ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência pública da Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.
Paulo Guedes, ministro da Economia - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Após o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central ter cortado a taxa Selic para 5,50% ao ano nessa semana, a atualização da grade de parâmetros macroeconômicos do Ministério da Economia prevê que a Selic média de 2019 será de 5,9%. Até o documento anterior, a projeção era de uma taxa média de 6,2% neste ano.

Já a projeção para o câmbio médio deste ano passou de R$ 3,8 para R$ 3,9. A estimativa para a alta da massa salarial passou de 5,5% para 4,9%.

A estimativa para o preço do barril de petróleo no mercado internacional passou de US$ 64,5 para US$ 62,9. A projeção foi feita antes dos ataques a refinarias de petróleo na Arábia Saudita no último fim de semana, que já elevaram o preço do óleo no mercado internacional.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

No dia 10 deste mês, a equipe econômica antecipou a divulgação das projeções para o crescimento econômico neste ano, que foi atualizada de 0,81% esperados em julho para 0,85%. Na ocasião, a projeção oficial para a inflação medida pelo IPCA passou de 3,8% para 3,6%, enquanto a estimativa para o INPC passou de 4,0% para 3,7%.

O Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do quarto bimestre, divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério da Economia, alterou ainda a previsão para as receitas totais do governo federal em 2019 de R$ 1,540 trilhão para R$ 1,547 trilhão. A elevação foi de R$ 6,934 bilhões em relação ao relatório anterior, de julho.

Já a estimativa para a receita líquida este ano passou de R$ 1,264 trilhão para R$ 1,270 trilhão, com acréscimo de R$ 6,458 bilhões.

Do lado das despesas primárias, a projeção para o gasto total em 2019 passou de R$ 1,403 trilhão para R$ 1,397 trilhão, com redução de R$ 6,000 bilhões.

Variações

Com a política de antecipação do pagamento de dividendos pelos bancos púbicos, a estimativa para as receitas com dividendos de estatais aumentou R$ 7,602 bilhões, passando de R$ 8,449 bilhões para R$ 16,052 bilhões.

Por outro lado, as receitas previstas com concessões caíram R$ 8,351 bilhões, passando de R$ 17,066 bilhões para R$ 8,715 bilhões. O motivo é a retirada das receitas esperadas com dois leilões de áreas de petróleo programados para o fim do ano. Como mostrou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estad, o Tribunal de Contas da União (TCU) emitiu alerta sobre o risco de frustração dessas receitas, uma vez que seu ingresso é previsto para 27 de dezembro, o que poderia levar à violação da meta fiscal. O descumprimento da meta é crime de responsabilidade do presidente da República.

O relatório também mostra que a projeção para arrecadação com royalties neste ano caiu R$ 1,133 bilhão, de R$ 66,369 bilhões para R$ 65,236 bilhões. O valor foi fechado antes do salto nos preços do óleo no mercado internacional, decorrente dos ataques a refinarias na Arábia Saudita no último fim de semana.

Já a previsão para os pagamentos de pessoal e encargos sociais caiu R$ 5,792 bilhões, de R$ 324,593 bilhões para R$ 318,801 bilhões. O gasto previsto com subsídios e subvenções ficou R$ 1,092 bilhão menor, passando de R$ 19,277 bilhões para R$ 18,185 bilhões.

A previsão de gastos com benefícios previdenciários subiu R$ 100 milhões em relação ao relatório anterior, para R$ 630,959 bilhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Posição gerou polêmica

Presidente da CCJ da Câmara diz que vai pautar PEC da regra de ouro na quarta-feira

Decisão atropela um entendimento feito entre Maia e a equipe econômica de esperar a proposta do governo para avançar na discussão no Parlamento

Seu Dinheiro na sua noite

A pergunta que não quer calar

Como jornalista, estou acostumado a fazer perguntas, mas de vez em quando me vejo em uma situação em que sou obrigado a respondê-las. Na sexta-feira à noite fui a Santos fazer uma palestra na faculdade onde estudei sobre a profissão e os livros que escrevi, inclusive o primeiro deles – que surgiu do meu trabalho […]

Paralelo à reforma principal

Presidente da comissão especial na Câmara quer votar reforma da Previdência dos militares nesta semana

Na reunião de terça-feira, marcada para as 14h, deve ser iniciada a discussão que antecede a votação

Amigos, amigos...

OCDE diz que Brasil já é um parceiro-chave da OCDE, que já está perto da organização

Diretor para a América Latina na Organização diz que o Brasil se destaca em pesquisas no sentido de competitividade global

vestuário na bolsa

IPO da C&A: começa hoje a reserva de ações da varejista

Faixa de preço dos papéis — que serão negociados sob o código CEAB3 — ficará entre R$ 16,50 e R$ 20,00; montante mínimo a ser solicitado é de R$ 3 mil

Saiu perdendo

Firjan diz que mudança nos royalties pode trazer perda de R$ 30 bilhões em 4 anos ao Rio de Janeiro

O Estado, maior produtor brasileiro de petróleo e gás natural do Brasil (60% do total), perderia R$ 6,4 bilhões por ano

Me segue!

Ex-ministro da Fazenda, Meirelles diz que grande mérito do atual governo é manter diretrizes econômicas de Temer, mas aponta erros

Secretário da Fazenda paulista afirmou que muitos dos pontos da MP da Liberdade Econômica foram traçados durante sua gestão no Ministério da Fazenda

admirável mundo novo

Economia digital vira gargalo para tributação

Na era dos aplicativos de serviços, impressoras 3D, robôs, moedas virtuais e marketplaces, o sistema tributário ficou obsoleto e tem tirado o sono do Fisco

mudança de cenário

Com queda nos juros, busca por crédito tem o maior crescimento em 9 anos

Desde janeiro, o aumento do número de pessoas que buscaram crédito foi de 10,3%, em relação a igual período do ano passado, segundo a Serasa Experian

dia de otimismo

Ações do Banco Inter sobem forte após possível parceria com Uber

No mês, as units ainda acumulam queda de 7%; segundo a Coluna Broadcast, conversas envolveriam a entrega pela empresa brasileira de estrutura para que a Uber possa oferecer serviços bancários

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements