Menu
2019-05-22T14:51:23+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Um passo de cada vez

Maia defende implementar capitalização somente quando economia voltar a crescer

Presidente da Câmara lembrou que a sociedade demanda saúde, educação e infraestrutura, enquanto o gasto público se concentra na Previdência

22 de maio de 2019
14:51
Rodrigo Maia
Maia confirmou que BPC e aposentadoria rural estão fora da reforma da Previdência - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta quarta-feira, 22, que a criação de um novo regime de capitalização para a Previdência seja aprovada agora, mas implementada apenas quando a economia brasileira voltar a crescer com solidez.

"Podemos aprovar capitalização agora, mas deixar regulamentação para outro momento, quando Brasil voltar a crescer. Capitalização como está proposta pelo governo está muito cara. Custo de R$ 400 bilhões é alto para um momento de recessão", afirmou, no Seminário Previdência, organizado pelo jornal Correio Braziliense.

Maia lembrou que a sociedade demanda saúde, educação e infraestrutura - enquanto parte significativa do gasto público se concentra na Previdência. "Também olhamos para frente, para reformas tributária e administrativa", completou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Previdência equilibrada é a chave

Maia também afirmou que o equilíbrio da Previdência é decisivo para que o Brasil comece a organizar gasto público.

Maia confirmou que as mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e nas aposentadorias rurais já estão fora do texto em discussão na Câmara.

Segundo ele, porém, é preciso achar uma solução para as discussões sobre o abono salarial para que a proposta tenha condições de ser aprovada no plenário.

Ele defendeu ajustes na proposta para garantir uma regra de transição mais adequada para os servidores públicos, mas disse ser "100% defensor" da alíquota progressiva para o funcionalismo.

Maia disse que "solitariamente" defende que a reforma da Previdência valha também para os Estados. Para ele, os governos estaduais precisam de recursos para investirem em segurança pública.

"Acho que Estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul precisam inclusive de alíquotas maiores para os servidores estaduais. O Rio de Janeiro precisaria de alíquota de 30%. Nem me candidato ao governo estadual porque não vou mentir sobre isso", afirmou, no Seminário Previdência, organizado pelo jornal Correio Braziliense.

O presidente da Câmara voltou a dizer que o orçamento público foi capturado por corporações públicas e privadas, o que levou à perda de qualidade do serviço público. "A estrutura do Estado inviabiliza soluções universais para demandas da sociedade. A Previdência é a primeira de todas as reformas que o Brasil precisa", enfatizou.

Na avaliação do deputado, os governos do PT geraram uma estrutura salarial no setor público muito acima da praticada pelo setor privado.

"Essa desestruturação levou o Brasil à recessão que vivemos hoje. Vemos que a pobreza, o desemprego e o desalento estão aumentando, e é preciso coragem para construir uma nova Previdência e novo Estado", acrescentou.

O presidente da Câmara admitiu que o custo da administração pública é responsável por boa parte dos problemas orçamentários do País.

"Temos uma gratificação para cada dois funcionários no Legislativo e no Judiciário. Não sou contra os servidores públicos, mas esse sistema está falido. A modernização das leis é obstruída por aqueles que vivem da burocracia", concluiu.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Será que cai mais?

Selic em 5,0% ao ano? Na contramão do mercado, Itaú segue mais conservador

Segundo relatório da instituição, o banco seguirá observando os dados para a inflação e a taxa de câmbio do Banco Central para decidir por uma nova reavaliação

'impacto nulo'

Relator da reforma da Previdência apresenta novo parecer e acata apenas uma das 77 emendas

Emenda acatada retira do texto ponto que obrigava os servidores que entraram antes de 2003 a contribuírem por 35 anos, no caso dos homens, e 30 das mulheres, para ter direito à totalidade de gratificação por desempenho

Startup

Airbnb quer se hospedar na bolsa e anuncia planos para oferta de ações em 2020

Empresa que conecta usuários interessados em alugar apartamentos ou quartos por temporada com os proprietários foi avaliada em mais de US$ 30 bilhões

Negócio fechado

Superintendência do Cade aprova operação entre Allianz e Sul América Seguros

De acordo com informações do parecer, para a realização da operação, o negócio-alvo da Salic será transferido para a Sapi, que será adquirida pela Allianz Seguros e a Sasp será adquirida pela Allianz do Brasil Participações Ltda

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Giro dos BCs

Banco da Inglaterra decide manter taxa básica de juros em 0,75% ao ano

Inflação medida pelo índice de preços ao consumidor (CPI), que desacelerou para 1,7% anual em agosto, deve permanecer ligeiramente abaixo da meta de 2% no curto prazo, espera o BoE

Day after

Ibovespa sobe aos 105 mil pontos após decisões do Copom e do Fed; dólar avança

O Ibovespa reage positivamente às indicações do Copom, chegando a tocar o nível dos 106 mil pontos na máxima. O dólar à vista, por outro lado, segue pressionado e é negociado a R$ 4,14

Novidade na área

Toyota anuncia investimento de R$ 1 bi em fábrica de SP para produzir novo carro

Na unidade já são produzidos os modelos Etios e Yaris. Detalhes sobre o novo carro e a data de lançamento não foram divulgados

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

E a Magalu? Quem pegou, pegou, pegou…

Se tem uma empresa que fez a alegria dos seus investidores nos últimos anos foi o Magazine Luiza. Em 2015, o valor de mercado da varejista foi abaixo de R$ 200 milhões, um valor pífio comparado ao atual, acima de R$ 50 bilhões. Quem comprou os papéis do Magalu teve bons motivos para sorrir. Também se […]

Crise no Oriente Médio

Arábia Saudita procura importar petróleo para manter exportações, dizem fontes

De acordo com fontes, o país também consultou o Iraque sobre o possível fornecimento de até 20 milhões de barris de petróleo bruto para manter suas refinarias abastecidas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements