Menu
2019-03-10T10:42:56+00:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
NÃO É TÃO SIMPLES ASSIM

Lamento informar, mas você não deve ser esta pessoa

Se você é desses que buscam uma resposta rápida à pergunta “onde eu invisto para ganhar mais que a poupança?”, lamento informar que não é tão simples assim

10 de março de 2019
10:42

Foi durante o café, depois de um almoço de família num dia quente em Niterói, que uma das minhas irmãs lançou a questão: “Julia, estou com um dinheiro para investir e pensei no Tesouro Direto. Que título você acha que eu devo comprar?”

Perguntei se ela já tinha reserva de emergência e qual era a finalidade daquele dinheiro. Depois, comecei a explicar o que é um título público, como funciona o Tesouro Direto, as características de cada título, a dinâmica dos preços e a sua relação com taxa de juros e inflação. Aliás, se você tem dúvida nisso, eu explico o sobe e desce dos preços dos títulos e como eles são calculados nesta matéria.

Fui veementemente interrompida. “Tá bom, Julia, mas eu não quero saber de tudo isso. Só me diz qual título eu compro!”

Veja bem, não é que eu estivesse sendo prolixa ou enrolando a minha irmã. É que como ela se definiu como “muito conservadora”, achei importante dizer que o Tesouro Direto não é tão trivial quanto parece, e que alguns títulos podem dar retorno negativo em certos cenários caso sejam vendidos antes do vencimento. E achei que seria bom ela entender por que isso acontece.

Infelizmente, a maioria das pessoas é como a minha irmã. É certo que ninguém precisa ser profissional do mercado financeiro para investir bem e ter uma vida financeira saudável.

Sei também que a maior parte dos investidores não tem muito tempo para se dedicar às finanças, já que esta não é a sua principal ocupação. Eu até já escrevi um guia, no Seu Dinheiropara quem quer investir bem sem ter muito trabalho.

Mas se você é desses que buscam uma resposta rápida à pergunta “onde eu invisto para ganhar mais que a poupança?”, lamento informar que 1) não é tão simples assim e 2) dispensar educação financeira e não se preocupar em entender no que você está investindo pode fazer muito mal à saúde do seu bolso.

Você vai ter que aprender sobre investimentos sim

O problema é que a pergunta “onde eu invisto?” não tem uma resposta única. Não existe um investimento mágico, que dê alto retorno com baixo risco, onde você possa deixar todo o seu dinheiro e esquecer.

Tem gente por aí prometendo isso, mas se você se deparar com alguma oferta dessas, pode ter certeza de que tem alguma coisa muito errada. Nessa semana mesmo nós contamos a história da JJ Invest, uma empresa que deixou 3 mil investidores na mão e provavelmente os levou a perder milhões de reais. Essas coisas são mais comuns do que você pensa.

A verdade é que, em algum momento durante a construção do seu patrimônio, você vai começar a ter necessidade de diversificar a sua carteira.

Primeiro, para manter uma boa relação risco-retorno, isto é, ter um retorno bacana com um risco ok. Segundo, porque a escolha dos investimentos depende dos seus objetivos, do prazo de cada um deles e da sua tolerância emocional a risco.

Em outras palavras, a rentabilidade não é, nem de longe, a única coisa que importa. Uma reserva de emergência não pode ser alocada em um investimento de baixa liquidez, mas um investimento de longo prazo, sim. Uma jovem solteira e sem filhos como eu tem, ao menos por ora, mais condição de tolerar perdas pontuais do que a minha irmã com seus três filhos. E por aí vai.

Não terceirize a responsabilidade pelo seu dinheiro

Finalmente, saber o básico sobre investimentos é fundamental para tomar decisões acertadas.

A educação financeira é o que evita surpresas desagradáveis, como não entender por que o seu saldo investido em Tesouro IPCA+ ficou menor (ué, não é renda fixa?); descobrir, um pouco tarde demais, que fundos imobiliários não permitem resgates, e que você vai precisar vender as cotas por um preço mais baixo do que as comprou; ou, ainda, que você não vai conseguir resgatar aquela LCI porque o investimento tem carência de três meses, e só se passaram dois.

Além disso, o conhecimento te ajuda a se defender de golpes, conversar de igual para igual com o seu gerente ou assessor de investimentos, evitar investimentos caros e pouco rentáveis, e driblar os conflitos de interesses dos profissionais de mercado.

Afinal, a menos que você tenha um consultor 100% independente, é muito provável que a pessoa que te assessora tente, em algum momento, levar você a investir em um produto que pague uma boa comissão para ela, ainda que não seja o mais interessante para você.

Nós, aqui no Seu Dinheiro, acreditamos que a pessoa física pode sim investir por conta própria, sem a necessidade de um assessor. Mas também entendemos que algumas pessoas se sentem mais seguras quando amparadas por um profissional, e tudo bem também.

Só nunca, em hipótese alguma, dispense educação financeira e informação sobre investimentos, porque ninguém sabe mais das suas inseguranças e necessidades em relação a dinheiro do que você mesmo. Eu e toda a equipe do Seu Dinheiro estaremos aqui para te ajudar na sua jornada.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Começando os trabalhos

Petrobras começa a negociar ATC 2019 e Eletrobras vai para 4ª reunião

Empresa estatal vai juntar os 18 sindicatos da categoria em um único encontro nesta quarta-feira, 22

Contrato assinado!

Valid anuncia que vai imprimir as provas do Enem 2019

Empresa ficará responsável pela diagramação, manuseio, embalagem, rotulagem e entrega aos Correios do caderno de provas

Novata no ar?

Anac deve aprovar autorização para Air Europa operar voos domésticos no país

Há expectativa de aprovação do processo incluído na pauta da reunião da direção do órgão marcada para 16h30 da quarta-feira

Corre-corre

Líder do governo no Senado anuncia acordo para votar 4 MPs até quinta-feira

Entre as pautas estão a abertura do setor aéreo para o capital estrangeiro, a ajuda financeira a Roraima, a criação da NAV Brasil e a reforma administrativa

Seu Dinheiro na sua noite

Um passeio pelas dunas do Ibovespa

Aos turistas que contratam um passeio de buggy nas dunas das praias nordestinas são dadas duas opções: com ou sem emoção. Já para quem investe na bolsa cabe apenas a segunda alternativa, e à bordo de uma velha Brasília. Na última descida, muita gente quase foi arremessada ou se jogou para fora do veículo em […]

Desconto de até 90%

Caixa fará mutirão para renegociar dívidas de 3 milhões de clientes

Expectativa da instituição é recuperar pelo menos R$ 1 bilhão em créditos que já estavam fora do balanço, lançados como prejuízo

Mudanças nos impostos

Com reforma tributária, poder de compra poderá crescer 10% em 15 anos, diz Appy

Projeto unifica três tributos federais (IPI, PIS e Cofins), o ICMS e o ISS num único tributo, batizado de Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS)

Tocando o projeto do Congresso

Presidente da CCJ da Câmara diz que não vai esperar proposta de reforma tributária do governo

Fala de Felipe Francischini ocorre na semana em que um texto apresentado pelo deputado Baleia Rossi pode ser votado na comissão

Sem movimento no mercado

Vendas baixas fazem estoques do varejo ficarem estáveis em maio, diz FecomercioSP

Estabilidade nos estoques sinaliza que as vendas estão abaixo do esperado e que houve pausa na reposição dos produtos

A pauta é reforma da Previdência

Mudanças no BPC podem aumentar desigualdade e judicialização, diz pesquisadora

Governo Bolsonaro sugere que o BPC, que hoje é pago aos beneficiários (idosos e deficientes em situação de extrema pobreza) com 65 anos, passe para 70 anos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements