Menu
2019-05-21T14:35:55+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Nada muda (ufa!)

Fitch reafirma rating do Brasil em “BB-“, com perspectiva estável

Nota do País segue limitada pelas fraquezas nas finanças, perspectivas de crescimento fracas, corrupção e um ambiente político turbulento

21 de maio de 2019
12:38 - atualizado às 14:35
Fachada da Fitch Ratings
Fachada da Fitch Ratings - Imagem: Shutterstock

A Fitch reafirmou nesta terça-feira, 21, o rating do Brasil em "BB-", com perspectiva estável.

Em sua decisão, a agência de classificação de risco colocou na mesa uma série de obstáculos para que a nota do País volte a subir. O primeiro deles são as "fraquezas estruturais" nas finanças públicas, que se acentuaram pelo alto endividamento do governo.

Para a Fitch, o cenário nacional fica ainda mais turbulento diante das perspectivas de crescimento "fracas", um ambiente político "difícil" e várias questões relacionadas à corrupção.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Todos esses fatores ganham ares mais negativos diante da ineficácia da política econômica nacional, além das dificuldades do governo em fazer progresso nas reformas.

Pelo lado positivo, o rating soberano brasileiro segue apoiado tanto pela diversidade econômica como pelas instituições civis consolidadas no País. A Fitch também leva em conta fatores como a renda per capita mais alta do que a mediana dos países com rating "BB".

Além disso, a agência destaca que a capacidade do País de absorver choques externos é apoiada por sua taxa de câmbio flexível, pelos baixos desequilíbrios externos, por reservas internacionais robustas, uma posição "forte" soberana líquida, mercados domésticos de dívida "profundos e desenvolvidos", bem como por uma parcela baixa de dívida em moeda estrangeira em relação ao total da dívida do governo.

Tudo vai para a conta

A manutenção da nota pela Fitch nos faz lembrar que o Brasil está uns bons degraus abaixo do grau de investimento em todas as agências de classificação de risco. Desde que perdeu seu selo de bom pagador de suas dívidas - em 2015 na Standard&Poor's e na Fitch e em 2016 na Moody's - o país não consegue entrar em um processo de recuperação dessas notas e inclusive chegou a amargar novas quedas nos últimos anos.

Na Moody's, por exemplo, a nota atual do país é "Ba2", com perspectiva estável, dois patamares abaixo do grau de investimento, que é "Baa3". Já na Fitch e na S&P, a situação é ainda mais complicada: com a nota "BB-" em ambas as agências, o Brasil está três níveis abaixo da nota mínima para o grau de investimento, que é a "BBB-".

*Com agências de notícias.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

O CLIMA ESQUENTOU

Bolsonaro ameaça demitir Levy por nomeação de diretor que trabalhou no governo PT

Na sexta-feira, 14, durante café da manhã com jornalista, Bolsonaro demitiu o presidente dos Correios, general Juarez Cunha

RALI

Nada de Bitcoin: criptomoeda que valorizou 330% em 2019 tem outro nome

Segundo analistas, há pelo menos duas razões claras para o movimento de alta do Litecoin. Entenda o que está causando esse fenômeno

ENTREVISTA

“Não vou impor uma solução e destruir a reforma”, diz Samuel Moreira

Relator da proposta conta ter abdicado inclusive de convicções próprias em favor da construção de um texto com apoio suficiente das lideranças

NOS TRILHOS

Rumo avaliará participar de Fiol e Ferrogrão

Ferrovias estão entre os mais importantes projetos ferroviários para o escoamento de commodities, como grãos e minério de ferro, do Brasil

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: Sai da minha aba, Estado

O Estado é aquele gigante metido que mais atrapalha do que ajuda. Os empreendedores precisam tirar ele do seu caminho. Confira as mais lidas da semana no Seu Dinheiro

O FRUTO DA CANNABIS

Cofres cheios de verde: Colorado atinge US$ 1 bilhão em arrecadação com maconha

Pioneiro na legalização do comércio da erva, estado americano comemora cifra e quer atrair empresas para expandir e lucrar ainda mais com o setor

MAIS UM PRA CONTA

Bolsonaro demite terceiro militar em uma semana

Segundo o presidente, Cunha “foi ao Congresso e agiu como sindicalista” ao criticar a privatização da estatal e tirar fotos com parlamentares da oposição

"Cash is king"

O risco “oculto” que deixa até famílias ricas sem dinheiro para pagar as contas

Já pensou ter milhões em imóveis, mas nem um tostão para o dia a dia? A falta de liquidez é um vilão até para os mais ricos. Saiba como fugir dessa armadilha

Olha ele aí

Michael Klein confirma compra de 1,6% de ações da Via Varejo em leilão da B3

Com o movimento, Klein agora se torna o maior acionista de referência da companhia de varejo

De costas para o ministro

Ramos: não nos contaminaremos pela fala de Guedes num momento bom da reforma

Ministro da Economia, Paulo Guedes, fez críticas nesta sexta-feira, 14, aos deputados depois da apresentação do relatório da reforma

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements