Menu
2019-08-28T12:09:49+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
25 Anos do Real

Campos Neto não falou de dólar, mas reforçou que papel do BC é manter inflação baixa

Presidente também disse que com cautela e perseverança, BC seguirá contribuindo para um ambiente de crescimento econômico sustentável

28 de agosto de 2019
12:09
Campos Neto
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado - Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Os colegas jornalistas e fomos eu até o Museu de Valores do Banco Central para ouvir o presidente Roberto Campos Neto. O mote era a abertura de uma exposição sobre os 25 anos do Plano Real e o lançamento de uma moeda comemorativa.

Nada emocionante para o mundo dos mercados, mas é a famosa pauta “vai que”. Vai que ele resolve falar algo de dólar ou taxa Selic.

Não foi. O presidente se manteve fiel ao tema e perguntando se poderia comentar a movimentação do câmbio, enquanto exibia as novas moedas às câmaras, disse que veio para falar de beija-flor. Ave que estampa a moeda em referência à primeira cédula de R$ 1, lançada em 1994.

real moeda
Moeda comemorativa dos 25 anos do Real. Foto: - Imagem: Raphael Ribeiro/BCB

Mas seu discurso serviu para reafirmar alguns princípios:

- A principal contribuição que a política monetária pode dar é a inflação baixa e estável, objetivo cumprido com os recentes resultados na meta para a inflação.

- É com estabilidade monetária que conseguiremos convergir para taxas de juros a níveis mais adequados, a começar pela taxa básica, que se encontra no mínimo histórico. Com cautela e perseverança, seguiremos contribuindo para um ambiente de crescimento econômico sustentável.

O uso dos termos “cautela e perseverança” remeteu a uma mensagem de política monetária que o BC reafirmou do fim da gestão Ilan Goldfajn até a reunião de maio, quando os membros do Comitê de Política Monetária (Copom) optaram por não mais repetir essa mensagem em sua comunicação, “posto que se trata de questão principiológica que já deveria estar bem assimilada”.

A mensagem em questão, que servia como senha para manutenção da taxa em 6,5% ao ano, era a seguinte: “O Copom avalia que cautela, serenidade e perseverança nas decisões de política monetária, inclusive diante de cenários voláteis, têm sido úteis na perseguição de seu objetivo precípuo de manter a trajetória da inflação em direção às metas”.

Como isso agora é uma questão principiológica não dá para falar que o BC mudou sua mensagem atual, de que há espaço para corte adicional da Selic, mas que o Copom vai seguir avaliando o balanço de risco, projeções e expectativas até a reunião do dia 18 de setembro.

O aumento da incerteza externa e seus reflexos sobre o dólar são, justamente, os dois grandes pontos de incerteza. No mercado, a posição majoritária é de que um dólar mais alto não barraria novos reduções da Selic. A conferir até o dia 18 de setembro.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Olho na Vale

Polícia apresentará em breve acusações criminais por Brumadinho, diz fonte

Autoridades devem acusar formalmente entre oito e 12 pessoas pelo crime de falsa representação na primeira de uma série de acusações

Seu Dinheiro na sua noite

Sobre a bolsa, datas e fatos relevantes

No dia 17 de setembro de 2010, o Ibovespa fechou aos 67.089 pontos, em queda de 0,85%. Me arrisco a dizer que nada muito digno de nota tenha acontecido nesse pregão específico da bolsa. Mas para mim ocorreu um fato mais do que relevante: o nascimento da minha filha mais nova. Voltei à redação dias […]

Fica pra próxima

Sem acordo, senadores recuam em projeto que beneficiaria partidos

Relator da proposta no Senado, Weverton Rocha (PDT-MA), retirou todos os demais trechos do texto em uma nova versão de seu parecer

Linha VIP

Bradesco e Itaú preparam crédito imobiliário ajustado pelo IPCA para endinheirado

Bancos privados correm atrás da concorrente Caixa Econômica Federal, que ofereceu a modalidade para o público em geral

Grana solta

Onyx anuncia liberação de R$ 8,3 bilhões em recursos do Orçamento

Informações do ministro mostram que, do total desbloqueado, R$ 1,9 bilhão ficará para a Educação

De olho nas cotações

Preocupações com a alta do petróleo diminuem após declarações de ministro saudita

O ministro de Energia da Arábia Saudita, Abdulaziz bin Salman, afirmou que a oferta do petróleo voltou ao nível visto antes do ataque

Leilão em outubro

17 empresas se inscrevem para 16ª rodada de petróleo, diz ANP

Entre as inscritas, 15 são estrangeiras. Na 16ª Rodada de Licitações, vão ser oferecidos 36 blocos de pós-sal

De olho nos bons modelos

Por que Elon Musk acha que a Tesla tem que ser mais parecida com a Amazon?

Em uma ligação, Musk sugeriu que a Amazon não sobreviveria se utilizasse um modelo de entregas similar ao que a Tesla utiliza

boas novas

Desde lançamento, 20% dos financiamentos pela Caixa foram IPCA, diz CEO da Tecnisa

Linha de crédito atualizada pela inflação vale para imóveis residenciais enquadrados no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e no Sistema Financeiro Imobiliários (SFI)

Dicas valiosas

5 coisas que os ultrarricos estão fazendo (e que você deveria fazer) para proteger seu patrimônio

Pauta de uma recessão financeira entrou de vez na lista de grandes especialistas e proteger o seu patrimônio deve ser uma de suas prioridades

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements