🔴 SÉRIE EMPIRICUS IN$IGTS: +100 RELATÓRIOS CORTESIA – LIBERE GRATUITAMENTE

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
LUZ NA CARTEIRA

Safra eleva Cemig (CMIG4) e Auren (AURE3) para compra, mas outras três ações do setor de energia é que vão brilhar agora

O banco apagou a luz para outras quatro empresas do segmento — uma delas realmente ficou no escuro com a recomendação de venda dos papéis

Montagem com torres de transmissão de energia com gráficos ao fundo | Dividendos
Montagem com torres de transmissão de energia com gráficos ao fundo -

O investidor que quiser jogar uma luz sobre a carteira de ações deve olhar com mais atenção para Cemig (CMIG4) e Auren (AURE3) — as duas empresas acabaram de ter a recomendação elevada para compra pelo Safra, as queridinhas do banco no setor de energia são outras.

Eletrobras (ELET3), Copel (CPLE6) e Equatorial (EQTL3) são as preferidas do Safra por estarem preparadas para se beneficiar de ganhos de eficiência, da tendência de recuperação dos preços de energia e do crescimento dos volumes.

"Vemos impacto limitado de eventos regulatórios, crescimento decente de volume, recuperação nos preços de geração de energia e crescimento dos ativos em construção", diz o Safra.

O preço-alvo para Eletrobras é de R$ 54,40 para a ação ordinária (ON) e de R$ 59,40 para a ação preferencial (PN) — o que representa potenciais de valorização de 25,92% e de 24,76% sobre o fechamento de segunda-feira (26). Acompanhe nossa cobertura ao vivo dos mercados.

Já Copel tem preço-alvo de R$ 11,30 para a ON e de R$ 12,30 para a PN — potenciais de alta de 23,36% e de 20,94%, respectivamente. Equatorial tem preço-alvo de R$ 41,40, o que representa potencial de valorização de 23,32%.

As ações que ficaram no escuro

Se Cemig e Auren agora brilha junto com Eletrobras, Copel e Equatorial com recomendações de comprar do Safra, algumas empresas do setor de energia ficaram no escuro com a nova avaliação do banco para o segmento. 

Engie (EGIE3), CPFL (CPFE3) e Alupar (ALUP11) foram rebaixadas para recomendação neutra. Mas a ação que realmente ficou no escuro foi a Taesa (TAEE11), rebaixada para venda.

O quadro geral da energia no Brasil

O Safra reavaliou o setor de energia brasileiro por quatro fatores: 

  • Um novo cenário macro com IPCA de 3,3%, PIB de 2,5% e taxa Selic de 8,75% em 2024; 
  • balanços divulgados recentemente; 
  • novos preços para contratos de longo prazo (média de R$ 156/MWh), preço spot de R$ 95 em 2024 e GSF de 15,4%; e 
  • novo custo médio de capital próprio fixado em 9,3% (real) para o setor.

Segundo banco, embora o setor tenha tido um bom desempenho em 2023, subindo 24,4% e atingindo uma taxa interna de retorno (TIR) real implícita média de 8,5% no final de 2023 — contra cerca de 10,1% em janeiro de 2023 — ainda há alguma vantagem para o setor, uma vez que o spread médio em relação aos bonds está atualmente em 4,0%, versus média histórica de 3,6%. 

No entanto, a avaliação não está livre de riscos. Os principais, segundo o Safra, são: 

  • riscos regulatórios relacionados a renovações de concessões;
  • nova legislação tarifária, Rede Básica do Sistema Existente (RBSE) e metodologia para custos de referência na próxima revisão tarifária; 
  • excesso de oferta ainda pressionando negativamente os preços; e 
  • estratégia de alocação de capital.

Luz sobre as geradoras e as transmissoras de energia

Para as geradoras de energia, a expectativa do Safra é de que uma recuperação nas tendências de preços ajude as empresas a celebrar novos acordos energéticos, embora o cenário ainda aponte para um excesso significativo de oferta até 2026/2027. 

Já para as empresas de transmissão de energia, o banco acredita que as novas exigências de investimento devem continuar proporcionando boas oportunidades de crescimento para as empresas em leilões futuros.

Compartilhe

FABRICANTE DE CHIPS

Mesmo com lucro quase 10% maior, por que investidores penalizam as ações da “rival” da Nvidia, a TSMC?

18 de abril de 2024 - 10:29

Os lucros da TSMC são vistos como um indicador para a demanda global por chips, devido ao seu papel fundamental na indústria de fabricação e à importância de seus clientes

OFERTA DE AÇÕES

Sabesp (SBSP3): governo Tarcísio define modelo de privatização e autoriza aumento de capital de até R$ 22 bilhões; saiba como vai funcionar

18 de abril de 2024 - 10:21

Venda do controle da Sabesp ocorrerá via oferta de ações, com seleção de acionista de referência pelo mercado a partir das duas melhores propostas

O TAL DO MULTIFAMILY

Dona de 5 mil apartamentos, Brookfield aposta no mercado residencial para a renda e diz o que falta para o segmento decolar no Brasil

18 de abril de 2024 - 6:05

Demanda não falta, mas o vice-presidente sênior da gestora lista duas grandes dificuldades que o multifamily enfrenta no país

AS ÁGUAS VÃO ROLAR

A privatização da Sabesp vem aí: cidade de São Paulo dá um passo fundamental para a desestatização da companhia

17 de abril de 2024 - 20:18

Entre os cerca de 370 municípios atendidos pela Sabesp, São Paulo representa entre 45% e 50% da receita total da empresa de saneamento

MERCADO LOGÍSTICO

Muito além de Cajamar: Log (LOGG3) prevê maior demanda por galpões fora do Sudeste, mas ainda nos grandes centros

17 de abril de 2024 - 16:31

No quarto trimestre, por exemplo, a companhia entregou 131 mil metros quadrados em Salvador, Brasília e Maceió

POR QUE A PRESSA?

Vale (VALE3): a surpresa dos dados que fazem as ações subirem e os bancões correrem

17 de abril de 2024 - 14:47

A mineradora apresentou dados operacionais do primeiro trimestre de 2024 e o mercado refez as contas sobre como será o desempenho financeiro da companhia, que ainda tem pedras no caminho — saiba se é hora de comprar ou vender

ELE MERECE?

Tesla pede a acionistas que votem para aprovar pagamento de US$ 56 bilhões a Elon Musk barrado pela Justiça; entenda o caso

17 de abril de 2024 - 13:17

O bônus ao bilionário foi aprovado em 2018, mas o Tribunal de Delaware barrou o pacote após uma extensa disputa judicial entre um dos acionistas da Tesla e o CEO da companhia

O MERCADO NÃO GOSTOU

Vai decidir quando? Oi (OIBR3) adia pela quarta vez assembleia de credores que votará plano de recuperação judicial  — ações tocam mínima na bolsa

17 de abril de 2024 - 12:11

Os papéis da companhia caíram 1,47% e atingiram o menor valor do dia depois que a votação foi postergada junto com o stay period; confira a nova data e o novo horário

ATENÇÃO, ACIONISTAS

Klabin (KLBN11) e Gerdau (GGBR4) vão distribuir mais de R$ 5,5 bilhões em ações; veja como vai funcionar a bonificação

17 de abril de 2024 - 9:56

O bônus funciona como uma distribuição gratuita de novos papéis para os acionistas das empresas — mas existe data de corte para receber a “remuneração”

DADOS OPERACIONAIS

Quem foi bem e quem foi mal entre as construtoras listadas na B3 nas prévias de resultados do 1T24

17 de abril de 2024 - 6:07

Incorporadoras se aproveitaram do cenário favorável para lançar mais empreendimentos neste começo de ano; saiba quem se destacou, na visão dos analistas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar