🔴 QUER SAIR DO ALUGUEL? NÃO USE O FGTS PARA FINANCIAR O IMÓVEL – CONHEÇA ESTA ESTRATÉGIA

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
ENTREVISTA EXCLUSIVA

CEO da Dimensa prevê crescimento de até 4 vezes em cinco anos — e IPO está nos planos

Ao Seu Dinheiro, Wagner Gramigna revelou as expectativas para novas aquisições e investimentos; veja o que esperar da empresa de software financeiro

Camille Lima
Camille Lima
26 de junho de 2024
6:08 - atualizado às 16:12
Wagner Gramigna, CEO da Dimensa
Wagner Gramigna, CEO da Dimensa - Imagem: Divulgação

Diante da crescente demanda por novas tecnologias no setor financeiro, a Dimensa encontrou um leque de oportunidades no mercado brasileiro, segundo o CEO Wagner Gramigna, que chegou à companhia no fim de 2023. A empresa considera inclusive a possibilidade — adiada pelo fechamento da última janela de IPOs — de abrir o capital na bolsa.

“Eu vim com um mandato de crescimento importante, com o objetivo de preparar a organização para esse avanço e criar alicerces para que a empresa continue crescendo”, afirmou o executivo, em entrevista exclusiva ao Seu Dinheiro.

Fruto da união de duas gigantes do mercado financeiro brasileiro — a Totvs (TOTV3) e a B3 (B3SA3) —, a Dimensa já encheu o carrinho com cinco negócios desde a sua criação, e pretende acelerar ainda mais a expansão daqui para frente.

“Eu tenho uma visão tanto orgânica quanto inorgânica, em busca das opções de mercado que possam se encaixar bem dentro do meu portfólio de projetos e complementar a minha capacidade de servir melhor o meu cliente.”

Para Gramigna, apesar da sofisticação do mercado de finanças, existe uma “demanda relevante” das instituições por inovação — e diversas possibilidades de aquisições, seja em segmentos em que a Dimensa já atua ou em novas indústrias ainda por explorar.

Atualmente, a empresa possui mais de 3 mil clientes de diferentes setores do mercado financeiro, indústrias, distribuidores, varejistas — e atende a 90% dos maiores bancos do Brasil.

  • As melhores recomendações da Empiricus na palma da sua mão: casa de análise liberou mais de 100 relatórios gratuitos; acesse aqui

O que está no radar da Dimesa

Segundo o CEO, existem oportunidades em todas as três unidades de negócio da Dimensa: operações financeiras, crédito e risco e seguros.  

“Temos planos de crescimento e demanda dos acionistas em todas elas, e em cada uma eu estou de olho nos espaços de mercado onde eu posso ser oportunístico no ponto de vista de aquisição”, disse o executivo.

Questionado sobre quem seriam os principais alvos de aquisições, o CEO revelou que atualmente busca “empresas de alto crescimento baseado em produtos tecnológicos modernos e que já venham com uma boa rentabilidade e uma boa receita recorrente”.

Já em relação à possibilidade de novas aquisições ainda em 2024, Gramigna deixou a porta aberta para potenciais negócios. “Eu não consigo cravar nada, até por uma questão de sigilo de discussões, mas a gente está muito ativo no mercado.”

Vem IPO pela frente

Outro pilar da estratégia da Dimensa é abrir o capital na bolsa brasileira para impulsionar o ritmo de aquisições e investimentos orgânicos em pesquisa e desenvolvimento.

“Um evento de liquidez me abre ainda mais possibilidades de continuar investindo nesse mercado, mas com ‘esteroides’. Ou seja, com capacidade e velocidade muito maiores”, disse Gramigna.

Entretanto, os planos de IPO da Dimensa não devem se concretizar em 2024. Na realidade, de acordo com o CEO, a ideia é que a companhia estreie na bolsa apenas após o reaquecimento do mercado de capitais brasileiro.

“Com outras empresas entrando no mercado e voltando a ter melhores avaliações e múltiplos, isso pode acelerar ou substanciar o nosso processo de ida ao mercado”, disse o executivo.

Vale lembrar que a B3 encontra-se em meio a uma verdadeira seca de IPOs, sem novas aberturas de capital desde 2021 — e, na avaliação do CEO da Dimensa, o aquecimento deve começar entre o segundo semestre deste ano e 2025.

“Queremos ir a mercado no momento certo e não temos nenhuma intenção de atropelamento. A operação tem que fazer sentido dentro de uma estratégia para que eu cresça um passo ainda maior”, afirmou Gramigna. 

“A gente vislumbra esse IPO como uma possibilidade para daqui dois três anos”, acrescentou.

Na visão de Wagner Gramigna, a Dimensa pode se tornar até três ou quatro vezes maior do que é hoje nos próximos cinco anos.

“Seremos uma empresa que terá atraído outras companhias para esse nosso ecossistema e isso vai criar um crescimento substancial.”

Compartilhe

BALANÇO DO MÊS

IRB (IRBR3) registra lucro de R$ 28,4 milhões em maio, mesmo com peso da tragédia do Rio Grande do Sul

24 de julho de 2024 - 9:42

Os resultados trimestrais do IRB Re estão programados para serem publicados no dia 14 de agosto

DANÇA DAS CADEIRAS

Ambipar (AMBP3) volta aos holofotes com reestruturação da diretoria; veja quem serão os novos CFO e DRI

24 de julho de 2024 - 9:15

Com a mudança, Thiago da Costa Silva deixará as duas funções para ocupar a cadeira de diretor de integração e finanças

SEMANA TECH

A bolha estourou ou só está murchando? Ações da Tesla e do Google reagem em queda a balanços — e isso explica o momento das grandes empresas de tecnologia

24 de julho de 2024 - 8:13

Para os próximos dias, nomes como Microsoft, Visa, IBM, Qualcomm e Amazon também publicam seus dados do segundo trimestre

BALANÇO

Santander (SANB11): lucro cresce 44% no 2T24 e fica acima do esperado; veja os destaques do balanço

24 de julho de 2024 - 7:31

Lucro líquido do Santander foi de R$ 3,332 bilhões no segundo trimestre de 2024 e rentabilidade supera o patamar de 15%

TENDÊNCIAS DO VAREJO

É o fim do multimarcas no varejo? Por que a Americanas (AMER3) decidiu encerrar os sites Shoptime e Submarino

24 de julho de 2024 - 6:10

No início de julho, a gigante do varejo, em recuperação judicial, anunciou a incorporação das duas marcas à plataforma principal. Entenda o que está por trás da decisão

PROPAGANDA ENGANOSA

Oi, Vivo e Tim vão ter que pagar milhões: operadoras de celular são enquadradas por crime contra o consumidor

23 de julho de 2024 - 18:01

As empresas foram acusadas pela Senacon de propaganda enganosa sobre 5G, mas ainda podem recorrer

CHEQUE DE QUASE R$ 7 BI

Privatização da Sabesp (SBSP3) é concluída e Equatorial (EQTL3) tem que pagar a conta: presidente da companhia diz ter mais ativos prontos para vender e levantar recursos

23 de julho de 2024 - 16:45

Augusto Miranda destacou que a empresa tem tempo para estruturar uma saída do empréstimo ponte tomado junto a um grupo de bancos

DESTAQUES DA BOLSA

Carrefour Brasil (CRFB3) volta a ter lucro e supera expectativas no 2º trimestre – mas o que explica a queda das ações na B3 hoje?

23 de julho de 2024 - 14:17

Grupo anunciou um lucro líquido de R$ 330 milhões e a abertura de novas lojas da rede de varejo; analistas, contudo, não são unânimes sobre a compra da ação

DESTAQUES DA BOLSA

Embraer arremete e volta a voar na B3; EMBR3 lidera os ganhos do Ibovespa hoje. O que está por trás da alta da ação?

23 de julho de 2024 - 13:59

O desempenho positivo das ações da Embraer hoje vem na esteira do anúncio de mais uma encomenda de aviões militares no exterior; veja os detalhes

SÓ AS PONTINHAS

Após privatização, Sabesp (SBSP3) anuncia corte nas tarifas de água — mas você nem deve perceber

23 de julho de 2024 - 11:43

Também passam a vigorar no novo estatuto social da companhia e novas políticas internas, relacionadas à distribuição de dividendos e governança corporativa

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar