🔴 DESCUBRA O ‘SEGREDO’ PARA BUSCAR ATÉ R$ 14 MIL POR MÊS EXTRA – SAIBA MAIS

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
FICOU BARATA?

Ação da Suzano não para de cair na B3 — e esse bancão vê dois futuros possíveis para SUZB3. É hora de abocanhar os papéis?

O BTG Pactual acredita que a intensa desvalorização recente abriu uma oportunidade de se tornar sócio da companhia a preços muito baixos — mas há riscos no radar

Camille Lima
Camille Lima
21 de maio de 2024
12:28 - atualizado às 17:55
Suzano (SUZB3)
Suzano (SUZB3) - Imagem: Divulgação

Quem investe em Suzano (SUZB3) experimentou de fortes emoções em maio ao acompanhar as fortes oscilações das ações na bolsa brasileira. Em um mês, os papéis despencaram quase 19% na B3, resultando em uma perda de quase R$ 13 bilhões em valor de mercado.

O recuo acompanhou rumores de que a empresa teria tentado abocanhar outra papeleira. Segundo a Reuters, a Suzano abordou a empresa norte-americana International Paper (IP) com uma proposta de aquisição de quase US$ 15 bilhões, a um preço de aproximadamente US$ 42 por ação.

Nesta terça-feira (21), os papéis da empresa de papel e celulose operaram entre as maiores quedas do Ibovespa e terminaram o dia com baixa de 3,72%, a R$ 49,15.

Apesar de a queda inevitavelmente ligar um sinal de alerta para os investidores com maior aversão ao risco, o BTG Pactual acredita que é justamente a intensa desvalorização recente que abriu uma oportunidade atraente no mercado: a de se tornar sócio da companhia a preços muito baixos.

Os analistas mantiveram a recomendação de compra para as ações SUZB3, com preço-alvo de R$ 82 para os próximos 12 meses, uma valorização potencial de 60% em relação ao último fechamento.

Suzano (SUZB3) ficou ainda mais barata

Na avaliação do BTG Pactual, mesmo antes do barulho sobre o potencial acordo com a IP, as ações da Suzano (SUZB3) já estavam com grandes descontos na B3, impactadas pelos “crescentes temores de alocação de capital e alavancagem” da companhia.

Para os analistas, o mercado já não estava precificando o potencial de retorno do Projeto Cerrado, uma das iniciativas de maior peso para a companhia para os próximos anos. Nas contas do BTG, a iniciativa é avaliada em cerca de R$ 12 por ação.

Segundo o banco, o receio se intensificou após notícias de um potencial acordo considerado “demasiado grande, complexo e sem potencial de sinergia” pelo mercado. 

“O que já estava descontado ficou ainda mais barato”, afirmou o banco, em relatório.

“Os receios de alocação de capital relacionados a um movimento de internacionalização muito maior e mais arriscado do que os investidores previam deprimiram ainda mais os múltiplos.”

A ação de papel e celulose mais barata do mundo

O BTG avalia que a recente desvalorização das ações levou os papéis SUZB3 a atingirem “um dos níveis múltiplos futuros mais baixos em anos”, tornando-se a empresa negociada no menor múltiplo de toda a indústria global de celulose e papel

Segundo o banco, a Suzano atualmente é negociada a um múltiplo de 4,8 vezes a relação valor de firma sobre Ebitda (EV/Ebitda) — bem inferior aos níveis históricos de cerca de 7 vezes e os múltiplos atuais de outros pares do setor. 

Para fins de comparação, a Klabin (KLBN11) atualmente negocia a 7,5 vezes, enquanto a IP tem um múltiplo de cerca de 7x. Já a Chileans negociam a 6,7 vezes em média, seguida pela Stora Enso, a 8 vezes, e pela Smurfit, a 6,7 vezes. 

“Isto implica um desconto de pelo menos 30% para vários dos seus pares regionais e globais, o que achamos muito difícil de justificar de vários ângulos.”

Além disso, os analistas acreditam que o atual valor de firma (enterprise value) da Suzano está atualmente descontado em mais de R$ 40 bilhões — o que seria “bastante excessivo”, considerando o nível do negócio.

“Para uma empresa com a escala, participação de mercado, competitividade de custos, rentabilidade, potencial de ROIC [retorno sobre o capital investido], credenciais ESG e custo de capital como a Suzano, acreditamos que isso é excessivamente descontado.”

Suzano (SUZB3): vale o risco?

Para o BTG Pactual, a Suzano (SUZB3) agora é uma “história binária de curto prazo”. Os analistas projetam dois cenários possíveis para os papéis, com potenciais oscilações de até 15% na bolsa brasileira:

  • Cenário 1: A empresa acaba não concluindo um acordo com a IP por vários motivos, como preço e falta de engajamento com a placa do IP.

    Nesse cenário, as ações poderiam se recuperar gradativamente de algumas das perdas recentes, especialmente diante da escalada do projeto Cerrado nos próximos trimestres.

  • Cenário 2: A empresa se mostra altamente comprometida em concluir um acordo com a IP e o preço do acordo aumenta em relação ao preço de US$ 42 por ação inicialmente anunciado pela imprensa.

    Nesse caso, os papéis poderiam sofrer perdas adicionais até que houvesse maior previsibilidade sobre potenciais sinergias do negócio e plano de desalavancagem após a transação.

Ou seja: cuidado, investidor. Se você estiver em busca de uma recuperação rápida dos ativos, as ações da Suzano podem não ser uma boa pedida para você, segundo as previsões do BTG.

O banco prevê um “longo caminho” para a reclassificação de SUZB3 na bolsa brasileira, com gatilhos limitados para uma rápida reavaliação no curto prazo.

Para o banco, ainda vale a pena comprar ações da Suzano (SUZB3) na B3. Na avaliação dos analistas, “a administração merece o benefício da dúvida”, considerando o histórico positivo da empresa em fusões e aquisições e geração de valor. 

“Acreditamos que a extensão da desvalorização das ações já é bastante significativa, e o fato de a Suzano ser agora a empresa de papel e celulose mais barata do mundo faz pouco sentido fundamentalmente para nós.”

Compartilhe

EM BUSCA DO ‘SHAPE’

Em busca do “treino perfeito”, Smart Fit (SMFT3) confirma negociações para aquisição da Velocity

24 de junho de 2024 - 9:04

O anúncio foi feito ao mercado após uma matéria do Brazil Journal anunciar que a rede de academias estaria disposta a pagar algo em torno de R$ 180 milhões pela Velocity

POSSÍVEL PARCERIA

Apple e Mark Zuckerberg vão unir forças? Fabricante do iPhone e Meta discutem investida conjunta em inteligência artificial, diz agência

23 de junho de 2024 - 15:21

A empresa da maçã tenta acordar a integração da IA generativa utilizada pela Meta ao Apple Intelligence, lançado pela empresa neste mês

AUXÍLIO DO GOVERNO

R$ 1.412 por funcionário: empresas do Rio Grande do Sul já podem aderir a programa de apoio financeiro do governo

23 de junho de 2024 - 14:08

Serão duas parcelas por empregado, com o pagamento da primeira marcado para 8 de julho e a segunda programada para 5 de agosto

DINHEIRO NO BOLSO

Dividendos e JCP: Localiza (RENT3) vai pagar mais de R$ 400 milhões aos investidores e anuncia aumento de capital milionário

22 de junho de 2024 - 16:37

Terá direito ao pagamento quem estiver na base acionária da companhia de locação de automóveis na próxima quarta-feira (26)

MAIOR OFERTA DO ANO

Privatização da Sabesp (SBSP3) pode movimentar mais de R$ 15 bilhões e ações terão “desconto”; confira os detalhes da oferta

22 de junho de 2024 - 9:58

Se efetivada nesse patamar, essa será a maior operação da bolsa brasileira nos últimos três anos

CHUVA DE PROVENTOS

BB Seguridade (BBSE3) e Multiplan (MULT3) anunciam quase R$ 3 bilhões em dividendos e JCP aos acionistas; veja as condições

21 de junho de 2024 - 19:54

Seguradora do Banco do Brasil (BBAS3) vai distribuir a maior fatia dos proventos: R$ 2,7 bilhões; já a Multiplan anunciou também um novo programa de recompra de ações

TENTATIVA FRUSTRADA

Nada de IPO? Por que oferta de ações da Shein nos Estados Unidos está cada vez mais longe de acontecer

21 de junho de 2024 - 15:50

Varejista de moda chinesa também entrou com um pedido de listagem em Londres

DESTAQUES DA BOLSA

Movida (MOVI3) está andando bem e ação pode se valorizar mais. Vale a pena pegar essa carona? O Citi responde

21 de junho de 2024 - 13:45

Banco norte-americano voltou a cobrir a companhia, mas ainda vê desafios no futuro; saiba o que fazer com os papéis agora

concessionárias de energia

Limite aos proventos das elétricas? Veja o que diz novo decreto do governo

21 de junho de 2024 - 10:47

Aneel será responsável pela avaliação dos indicadores das concessionárias anualmente

VEIO DO RIVAL

De ex-CEO do McDonald’s a futuro presidente da dona do Burger King: ações da Zamp (ZAMP3) saltam 13% com anúncio de novo CEO

21 de junho de 2024 - 10:06

O executivo tem mais de 30 anos de experiência e já foi CEO de diversos setores, incluindo da divisão brasileira da Arcos Dorados

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar