🔴 FENÔMENO QUE TRANSFORMOU 1.500 PESSOAS EM MILIONÁRIAS PODE SE REPETIR – VEJA COMO SER O PRÓXIMO

Ricardo Gozzi
HISTÓRIA (DO) REAL

O dia em que Plano Real quase foi pelo ralo: um relato de Gustavo Franco

Durante evento realizado na semana passada em SP, Gustavo Franco contou os motivos que deixaram o Plano Real por um fio antes mesmo de seu lançamento

Ricardo Gozzi
11 de junho de 2024
6:27 - atualizado às 12:04
Gustavo Franco, ex-Presidente do Banco Central do Brasil
Gustavo Franco falou sobre o Plano Real durante participação na MKBR24. - Imagem: Divulgação

O Plano Real completa 30 anos em 2024, mas quase não saiu do papel.

Pior: foi por muito pouco que a proposta que finalmente estabilizou a moeda e colocou os preços sob controle depois de anos de hiperinflação não entrou para a lista dos malfadados planos econômicos que bagunçaram a vida financeira dos brasileiros entre o fim dos anos 1980 e o início da década de 1990.

Aconteceu em 27 de fevereiro de 1994, véspera da publicação da Medida Provisória 434 daquele ano.

Ela estabelecia, entre outras coisas, a unidade real de valor (URV), moeda virtual que ancorou a transição do Cruzeiro Real para o Real como o conhecemos hoje.

Cada URV equivalia a um dólar, seguindo uma cotação fixada pelo Banco Central ainda em cruzeiros reais.

“Era o coração do Plano Real”, disse o ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco durante a MKBR24, realizada na última quinta-feira (6) em São Paulo pela Anbima e pela B3.

O que aconteceu naquele dia

Era um domingo e o presidente Itamar Franco convocou uma reunião com alguns ministros com o objetivo de bater o martelo quanto ao lançamento de um novo plano econômico.

O então ministro da Fazenda de Itamar, Fernando Henrique Cardoso, levou consigo dois assessores: o próprio Gustavo Franco e Murilo Portugal, que mais tarde seria nomeado secretário do Tesouro Nacional — “o melhor que o Brasil já teve”, intercalou o ex-ministro da Fazenda Pedro Malan durante o painel.

Foi uma reunião longa. Começou por volta das 10h da manhã e terminou somente à noite, quando Itamar Franco assinou a MP.

A MP 434/1994 estabeleceu as bases do Plano Real.

Bastante extenso para uma MP, o texto continha dezenas de parágrafos e artigos trazendo um roteiro detalhado para a implementação da medida.

Mas foi por muito pouco que o Plano Real não saiu do papel — pelo menos na forma como o conhecemos.

“Na véspera de o Plano Real ir para a rua, nós quase tivemos que fazer um Plano Cruzado de novo”, disse Gustavo Franco.

Isso porque algumas propostas consideradas inaceitáveis pela equipe econômica ainda estavam em pauta naquele domingo e contavam com o apoio de alguns ministros de Itamar.

Eram elas:

  • a conversão dos salários pelo pico;
  • o salário mínimo de US$ 100; e
  • o congelamento de preços.

A conversão pelo pico referia-se à fórmula pela qual seriam ajustados os salários dos trabalhadores diante da implementação da URV.

Já o salário mínimo de US$ 100 era uma proposta de outras alas do governo concorrente à da equipe econômica do Plano Real.

Se o valor fosse adotado na ocasião, o salário mínimo passaria por um reajuste imediato de 54,34%. É um número atraente à primeira vista, mas um veneno contra o mal que se pretendia combater em meio a um cenário de baixo crescimento econômico.

Por sua vez, o congelamento de preços remetia ao período de escassez do Plano Cruzado, quando muitas mercadorias simplesmente desapareceram das prateleiras.

Na visão daquela equipe econômica, esses três elementos poderiam ter transformado aquele em mais um plano econômico frustrado.

“Se for para fazer desse jeito, não vamos fazer”, disse FHC segundo o relato de Gustavo Franco.

Em um outro momento, FHC teria dito: “Pode até fazer, mas não comigo”.

Como ficou o Plano Real

No fim, a ideia de congelar preços acabou descartada e os salários foram convertidos em URVs pela média aritmética dos quatro meses anteriores ao lançamento do plano.

A mesma média valeu para o salário mínimo, estipulado então em US$ 64,97.

Para Gustavo Franco, o Plano Real só não foi pelo ralo por causa de uma combinação de integridade técnica e liderança política.

A URV vigorou do fim de fevereiro até 30 de junho de 1994. No dia seguinte, passou a valer o real.

No primeiro ano de vigência da nova moeda, a inflação em 12 meses desabou de 4.005,08% em julho de 1994 para 27,45% em julho de 1995.

Hoje, o salário mínimo no Brasil supera com folga não os US$ 100, mas os US$ 250, e a inflação precisaria disparar para chegar aos 10% ao ano.

Leia também

Compartilhe

DESESTATIZAÇÕES

A privatização da Sabesp (SBSP3) não foi suficiente? Tarcísio agora fala em vender a Petrobras (PETR4) e o Banco do Brasil (BBAS3), mas não tem a caneta

25 de julho de 2024 - 10:11

O governador de São Paulo acredita que há espaço para avançar nas privatizações de companhias estatais no Brasil inteiro

FALA MINISTRO

Eleições nos EUA não devem afetar relações com o Brasil, diz Haddad; ministro busca parceiros ‘além da China’ e fala em acordos com União Europeia

25 de julho de 2024 - 8:04

Haddad destacou que não existe transformação ecológica sem novos instrumentos financeiros e cita os ‘green bonds’ do governo

LOTERIAS

Depois de mais de 2 anos encalhada, loteria mais difícil de todos os tempos sai pela primeira vez e paga o segundo maior prêmio da história

25 de julho de 2024 - 5:49

Abandonado numa caderneta de poupança, o segundo maior prêmio individual da história das loterias no Brasil renderia cerca de R$ 1,5 milhão por mês

MOEDAS VIRTUAIS

Banco Central vai seguir na regulação independente do PL sobre os criptoativos, diz técnico da autoridade monetária

24 de julho de 2024 - 18:31

Segundo Nagel Paulino, BC pretende concluir a sua estratégia regulatória de criptoativos até o início de 2025

DINHEIRO NO BOLSO

Receita abre consulta ao terceiro lote de restituição do IR 2024; veja se o seu dinheiro já está disponível

24 de julho de 2024 - 10:01

Este é o primeiro lote de restituição do IR 2024 a incluir os contribuintes não-prioritários. O pagamento será feito até 31 de julho

LOTERIAS

Uma baba! Lotofácil tem 4 acertadores, mas ninguém fica milionário; Mega-Sena acumula e prêmio vai a R$ 65 milhões

24 de julho de 2024 - 5:54

Enquanto a Mega-Sena e a Quina “se fazem” de difíceis, a Lotofácil continua justificando o nome e distribuindo prêmios nada desprezíveis na faixa principal

A LUTA PELO DÉFICIT ZERO

Corte de gastos: governo detalha na próxima semana áreas afetadas pela contenção bilionária, diz Tebet

23 de julho de 2024 - 19:05

Equipe econômica oficializou o corte de R$ 15 bilhões em 2024, em meio a despesas crescentes e dificuldades para compensar a desoneração da folha

COMPRINHAS ONLINE

Atenção cliente da Shein, AliExpress e Shopee: compras internacionais já podem ter nova taxação a partir de sábado

23 de julho de 2024 - 16:32

No final de maio, a Câmara dos Deputados determinou uma taxação de 20% de imposto de importação sobre as compras internacionais de até US$ 50 a partir do dia 1º de agosto

VOLTOU A RELUZIR

O que fez o ouro voltar a subir após sequência de quedas? Preço do metal fecha em alta pela primeira vez desde as máximas históricas

23 de julho de 2024 - 15:38

Os preços sobem de olho na política monetária dos EUA e na demanda global, que ainda parece contida na visão dos analistas

LOTERIAS

Aposta do interior de SP fatura mais de R$ 43 milhões na Quina e ofusca Lotofácil; hoje tem Mega-Sena acumulada

23 de julho de 2024 - 5:56

A Quina estava acumulada havia 20 sorteios e saiu para uma aposta efetuada em uma casa lotérica de uma cidade de pouco mais de 30 mil habitantes

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar