🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cede à pressão de Vale (VALE3) e inicia junho em queda; dólar cai a R$ 5,23

RESUMO DO DIA: O Ibovespa até tentou deixar o tom negativo para trás, mas pressões de todos os lados limitaram o fôlego e o apetite dos investidores.

O principal índice da bolsa brasileira fechou com baixa de 0,05%, aos 122.031 pontos. O dólar, que encostou em R$ 5,25 no início da sessão, terminou o dia a R$ 5,23, um recuo de 0.32% no mercado à vista.

Por aqui, Vale (VALE3) pressionou o Ibovespa na esteira da forte queda do minério de ferro na China. Ainda no cenário corporativo, Braskem (BRKM5) chamou as atenções para si com rumores da indicação de Guido Mantega ao conselho da petroquímica.

Além disso, o Boletim Focus consolidou a aposta do mercado de taxa Selic a 10,25% ao ano, com a projeção de último corte nos juros na próxima reunião do Copom, que acontece em 19 de junho.

Lá fora, os dados de atividade econômica dos Estados Unidos deram novo fôlego para o corte dos juros pelo Federal Reserve (Fed) até setembro. Na Europa, a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) dará início a um ciclo de corte de juros a partir da quinta-feira (6) animou os investidores.

Confira o que movimentou os mercados nesta segunda-feira (03): 

MAIORES ALTAS E QUEDAS DO IBOVESPA

As ações do GPA (PCAR3) avançaram mais de 7% na tentativa de recuperação das perdas da última sexta-feira (31).

LWSA (LWSA3) subiu com o anúncio de um novo programa de recompra de ações.

Confira as maiores altas do Ibovespa hoje:

CÓDIGONOMEULTVAR
PCAR3GPA ONR$ 3,087,32%
HYPE3Hypera ONR$ 28,615,38%
LWSA3LWSA ONR$ 4,503,93%
FLRY3Fleury ONR$ 14,543,49%
BPAC11BTG Pactual unitsR$ 32,563,07%

Na ponta negativa, Suzano (SUZB3) recuou com pressão do dólar, além de rumores de que a International Paper (IP) reafirmou as negociações para a fusão com a DS Smith — o que minimiza a nova oferta da Suzano pela IP de 5,8 bilhões de libras. Há a expectativa de uma nova oferta da produtora de celulose brasileira.

As companhias de metalurgia e siderurgia operaram em forte queda com a desvalorização de mais de 2% do minério de ferro na China.

Confira as maiores quedas do Ibovespa hoje:

CÓDIGONOMEULTVAR
SUZB3Suzano ONR$ 47,11-3,26%
DXCO3Dexco ONR$ 6,97-3,19%
GGBR4Gerdau PNR$ 17,59-2,87%
CSNA3CSN ONR$ 12,74-2,60%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PNR$ 10,44-2,52%
FECHAMENTO DO IBOVESPA

O Ibovespa terminou o pregão em leve queda de 0,05%, aos 122.031,58 pontos

Por aqui, o mercado repercutiu a queda de mais de 2% do minério de ferro na China, que pressionou as ações da Vale (VALE3) — uma das ações com maior peso no Ibovespa. O Boletim Focus também apontou aumento das projeções de inflação e taxa Selic.

No radar, os investidores operaram na expectativa pelo PIB brasileiro no primeiro trimestre.

Lá fora, dados mistos de atividade industrial nos Estados Unidos aumentaram as apostas de corte de juros pelo Federal Reserve (Fed) até setembro.

.

EMBRAER (EMBR3) VAI VOAR NO MÉXICO COM ACORDO DE R$ 7 BILHÕES COM AÉREA ESTATAL MEXICANA

A carteira de clientes da Embraer (EMBR3) acaba de receber uma adição para voar no México. A companhia aérea estatal Mexicana de Aviación fez um pedido de 20 jatos da brasileira.

O acordo inclui dois modelos de aeronaves da família E2, linha que conta com aeronaves mais modernas e que consomem menos combustível que os aviões comerciais tradicionais.

Atualmente, existem três tipos de aeronaves comerciais de modelo E2: o E175, menor de todos, comporta até 90 pessoas; o E190, modelo intermediário, tem capacidade para até 114 passageiros, em classe única; e o E195, mais amplo, pode ter até 146 assentos.

A aquisição da Mexicana envolve 10 jatos E190-E2 e 10 aviões E195-E2. As entregas estão previstas para o segundo trimestre de 2025. 

Leia mais.

FECHAMENTO DE NOVA YORK

As bolsas de Nova York fecharam sem direção única em meio à divulgação de novos dados de atividade econômica.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial dos Estados Unidos recuou a 48,7 em maio, segundo dados do ISM. O resultado foi de queda maior que o previsto a 49,7 no mês.

Após a divulgação do dado, os investidores aumentaram as apostas de cortes de juros até setembro. Os traders agora veem 59,0% de chance de o banco central norte-americano reduzir os juros, hoje na faixa de 5,25% a 5,50% ao ano, de acordo com a ferramenta de monitoramento do CME Group. Antes do PMI do ISM, essa probabilidade era de 55,6%.

Confira o fechamento dos índices de Wall Street:

  • S&P 500: +0,11%, aos 5.283,40 pontos;
  • Dow Jones: -0,30%, aos 38.571,03 pontos;
  • Nasdaq: +0,56%, aos 16.828,67 pontos.

FECHAMENTO DO DÓLAR

O dólar fechou a R$ 5,2340, com queda de 0,325 no mercado à vista.

A moeda norte-americana recuou após dados de atividade industrial, que vieram abaixo do esperado e reforçaram a expectativa de corte nos juros nos Estados Unidos até setembro. O alívio nos rendimentos dos Treasurys também refletiram na cotação do dólar hoje.

GOL (GOLL4) ANUNCIA TROCA DE DIRETOR FINANCEIRO. QUEM VAI ASSUMIR O CARGO DE CFO?

Os passos de uma dança das cadeiras corporativa começaram a desenrolar nos céus da bolsa brasileira. Em meio à recuperação judicial nos Estados Unidos, a Gol (GOLL4) anunciou nesta segunda-feira (3) uma troca em cargos da diretoria.

A aérea aprovou na última sexta-feira (31) a renúncia do diretor financeiro (CFO) e de relações com investidores (DRI), Mario Tsuwei Liao, após um ano ocupando as posições.

Liao também pediu demissão de outros cargos que ocupava na companhia, como de membro dos comitês de políticas financeiras e de risco e do subcomitê de políticas contábeis, tributárias e demonstrações financeiras.

Vale destacar que o executivo iniciou carreira na Gol há quase duas décadas, quando ingressou como analista de planejamento financeiro.

Leia mais.

FECHAMENTO DO PETRÓLEO

O petróleo fechou em queda de mais de 3% em meio a preocupações sobre a oferta da commodity após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e Aliados (Opep+) estender os cortes na produção do óleo, de 2,2 milhões de barris por dia.

Os contratos mais líquidos do petróleo Brent, com vencimento em agosto, terminaram o dia com baixa de 3,39%, a US$ 78,36 o barril na Intercontinental Exchange (ICE).

Já os contratos mais líquidos do petróleo WTI, com vencimento em julho, caíram 3,60%, a US$ 74,22 o barril na New York Mercantile Exchange (Nymex).

A INCRÍVEL HISTÓRIA DA RAINHA CRIPTO: ELA DEU UM GOLPE DE MAIS DE R$ 20 BILHÕES

Ruja Ignatova encabeça a lista de mulheres mais procuradas do FBI, a polícia federal norte-americana. O que ela fez para chegar a essa posição é uma daquelas histórias nas quais a realidade supera a ficção.

Nascida na Bulgária em 1980 e criada na Alemanha, Ruja Ignatova trilhou uma carreira de sucesso no mundo das finanças até 2014.

Foi quando ela lançou a OneCoin e ficou conhecida pelos apelidos de “doutora Ruja” e "rainha cripto".

Mediante a promessa de retornos financeiros que deixariam na pista os ganhos observados durante o primeiro grande boom do bitcoin (BTC), Ruja captou US$ 4,5 bilhões junto a investidores de todo o mundo para sua suposta criptomoeda alternativa.

Leia mais.

PETRÓLEO CAI 3%

Os contratos mais líquidos do petróleo Brent recuam mais de 3%, repercutindo a decisão da Opep+ em estender os cortes na produção da commodity, de 2,2 milhões de barris por dia, a despeito da queda dos preços.

A aversão ao risco deve-se ao cenário macroeconômico, com as taxas de juros elevadas nas principais economias e preocupações com crescimento mais lento da demanda da China.

DÓLAR A R$ 5,21

O dólar à vista acelerou o ritmo de queda e renovou a mínima intradiária na esteira do recuo dos Treasurys.

A moeda norte-americana cai 0,66%, a R$ 5,2162.

DASA (DASA3) SOBE 13%

As ações da Dasa (DASA3) operam em alta de 13,74%, a R$ 3,89. Os investidores precificam a eventual combinação de negócios da companhia com a Amil, retomando rumores iniciados na semana passada.

IBOVESPA SOBE

O Ibovespa voltou ao tom positivo com a redução de perdas de Vale (VALE3). O principal índice da bolsa brasileira sobe 0,18%, aos 122.318 pontos.

Mais cedo, os papéis VALE3 caíam mais de 2%. Agora, as perdas estão no nível de 1%.

BRASKEM CAI MAIS DE 2%

As ações da Braskem (BRKM5) perdem força na Bolsa brasileira e caem mais de -2,17% às 15h07. O mercado repercute a fala do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega sobre ter sido sondado pelo governo para integrar o conselho da petroquímica.

Em entrevista à Bloomberg, Mantega disse que aceitaria o cargo e se colocou “à disposição”. “Se acaso os acionistas e a Assembleia decidirem isso, então eu irei para o conselho da Braskem.”

VALE (VALE3) E SIDERÚRGICAS

As companhias do setor de mineração e siderurgia operam em queda pressionadas pelo forte recuo do minério de ferro na China.

A commodity caiu mais de 2% e atingiu a menor cotação desde 16 de abril.

Vale (VALE3), que é uma das empresas com maior peso no Ibovespa, recua mais de 2% e pressiona o índice.

Confira:

CÓDIGONOMEULTVAR
CSNA3CSN ONR$ 12,65-3,29%
CMIN3CSN Mineração ONR$ 4,78-3,24%
GGBR4Gerdau PNR$ 17,59-2,87%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PNR$ 10,46-2,33%
VALE3Vale ONR$ 61,75-2,29%
USIM5Usiminas PNAR$ 7,52-0,66%
COMO ANDAM OS MERCADOS

O Ibovespa opera instável desde o início do pregão, com pressão das companhias de commodities metálicas e o tom misto das bolsas de Nova York. O principal índice da bolsa brasileira cai 0,02%, aos 122.077 pontos.

Por aqui, o mercado repercute a queda de mais de 2% do minério de ferro na China, que pressiona as ações da Vale (VALE3) — uma das ações com maior peso no Ibovespa. O Boletim Focus também apontou aumento das projeções de inflação e taxa Selic.

No radar, os investidores operam na expectativa pelo PIB brasileiro no primeiro trimestre.

Lá fora, dados mistos de atividade industrial nos Estados Unidos aumentaram as apostas de corte de juros pelo Federal Reserve (Fed) até setembro.

O dólar à vista recua 0,24%, a R$ 5,2380.

Já os juros futuros (DIs) avançam em toda a curva repercutindo o Boletim Focus, apesar do alívio nos rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, os Treasurys.

FECHAMENTO DA EUROPA

As bolsas da Europa fecharam sem direção única em meio às expectativas de que o Banco Central Europeu (BCE) inicie o ciclo de corte nos juros.

As apostas são de que o BCE corte 0,25 ponto percentual na taxa de juros, o que seria a primeira redução desde 2019.

  • DAX (Frankfurt): +0,60%, aos 18.609,34 pontos;
  • FTSE 100 (Londres): -0,11%, aos 8.266,13 pontos;
  • CAC 40 (Paris): +0,12%, aos 8.002,47 pontos;
  • Stoxx 600: +0,33%, aos 519,86 pontos.
FIIs HGLG11 XPLG11 VÃO DE RIVAIS A SÓCIOS

Vizinhos e rivais, os fundos imobiliários CSHG Logística (HGLG11) e XP Log (XPLG11) deverão tornar-se sócios em breve após firmarem um acordo de compra e venda de dois condomínios logísticos localizados próximo ao Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro.

O primeiro a testar a região foi o XPLG11, que comprou o empreendimento Syslog Galeão em julho de 2020. Na época, o imóvel apresentava uma vacância de 74%, mas, com o trabalho da gestão, a taxa de ocupação atual chegou aos 93%.

Um ano depois, em julho de 2021, o HGLG11 também chegou a Duque de Caxias com a aquisição do HGLG WL, localizado ao lado do Syslog Galeão. O empreendimento registrava uma vacância de 31% na época e aluguel médio de R$ 16,44.

Atualmente, o indicador de espaços vagos baixou para 11% e o aluguel subiu para R$ 19,75. Mas, apesar dessa evolução, o fundo do Credit Suisse destaca que a dinâmica comercial da região permanece "extremamente desafiadora".

Leia mais.

IBOVESPA DRIBLA VALE

O Ibovespa opera instável com pressão de Vale (VALE3) e perda de força das bolsas de Nova York.

O principal índice da bolsa brasileira sobe 0,08%, aos 122.199 pontos.

EDUCACIONAIS SOBEM

As companhias do setor de educação operam em alta com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a constitucionalidade do programa Mais Médicos, bem como a abertura de novos cursos de medicina.

CÓDIGONOMEULTVAR
COGN3Cogna ONR$ 1,91+2,69%
ANIM3Ânima ONR$ 3,55+2,01%
YDUQ3Yduqs ONR$ 12,18+0,58%

BOLSAS DE NOVA YORK

As bolsas de Nova York reduziram os ganhos, com S&P 500 invertendo o sinal para queda.

Os investidores repercutem dados mistos sobre a atividade industrial nos Estados Unidos, na expectativa pela decisão do Federal Reserve (Fed) — que acontece na próxima semana.

  • S&P 500: -0,22%;
  • Dow Jones: -0,51%;
  • Nasdaq: +0,20%.
PROBLEMAS TÉCNICOS

A New York Stock Exchange (Nyme) informou que investiga um "problema técnico", que resultou na paralisação das negociações de vários papéis em Wall Street.

Em um comunicado, a NYSE explicou que os erros estão relacionados ao dispositivo que limita as oscilações que podem causar distorções para cima e para baixo, conhecido como "Limit Up Limit Down Band", diz a nota.

GIRO DO MERCADO

TOP PICK: AS MELHORES AÇÕES PARA INVESTIR EM JUNHO E BUSCAR BATER O IBOVESPA (IBOV)

O Ibovespa (IBOV) seguiu pressionado em maio, fechando o mês com uma queda de -3,0%. Mas apesar do cenário negativo, nem tudo está perdido, e segundo os analistas da Empiricus Research, ainda existem boas oportunidades para buscar lucros em junho.

No Giro do Mercado desta segunda-feira (3), Larissa Quaresma revela as melhores ações para investir em junho, e buscar bater o principal índice acionário brasileiro, seguindo a carteira recomendada de top picks de cada setor.

ACOMPANHE AO VIVO:

JUROS NOS EUA

Após uma série de dados de atividade econômica, entre eles, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial abaixo do esperado do ISM, a chance de corte de juros pelo Federal Reserve (Fed) avançou.

Os traders agora veem 59,0% de chance de o banco central norte-americano reduzir os juros, hoje na faixa de 5,25% a 5,50% ao ano, de acordo com a ferramenta de monitoramento do CME Group. Antes do PMI do ISM, essa probabilidade era de 55,6%.

Em detalhes, há chance de 51,4% de corte de 0,25 ponto percentual, o que levaria os juros ao intervalo de 5,00% e 5,25% ao ano. Para o corte de 0,50 ponto percentual, a probabilidade é de 7,6%.

ATIVIDADE ECONÔMICA DOS EUA

Nos Estados Unidos, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial subiu de 50 em abril para 51,3 em maio, segundo dados finais publicados hoje pela S&P Global.

O resultado ficou acima do esperado. Os analistas consultados pela FactSet esperavam queda a 50,8.

Já segundo o ISM, o PMI industrial recuou a 48,7 em maio, queda maior que o previsto a 49,7 no mês.

A NOTÍCIA QUE FAZ AS AÇÕES DA LWSA, EX-LOCAWEB (LWSA3), SUBIREM FORTE NA B3 HOJE

Mais uma empresa acaba de movimentar o mercado de capitais brasileiro com um programa de recompra de ações milionário. Em uma estratégia para dar retorno aos acionistas, a LWSA, ex-Locaweb (LWSA3), quer abocanhar até 30,94 milhões de papéis na B3.

Combinada ao total de ações já em tesouraria, a cifra equivale a 10% do total de ativos LWSA3 atualmente em circulação.

A companhia não informou o montante que pretende desembolsar nas aquisições, mas destacou que a recompra será realizada a preço de mercado.

Já em relação à origem dos recursos, a empresa pode optar por duas opções — ou ainda combiná-las, se desejar. São elas as reservas de lucro e de capital disponíveis e o resultado já realizado do exercício social em andamento.

Leia mais.

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

Confira as maiores altas do Ibovespa até agora:

CÓDIGONOMEULTVAR
LWSA3LWSA ONR$ 4,688,08%
FLRY3Fleury ONR$ 14,452,85%
TRPL4Isa Cteep ONR$ 25,712,31%
RECV3PetroReconcavo ONR$ 21,202,22%
EMBR3Embraer ONR$ 36,871,77%

Confira as maiores quedas do Ibovespa até agora:

CÓDIGONOMEULTVAR
RRRP33R Petroleum ONR$ 27,47-2,59%
CSNA3CSN ONR$ 12,78-2,29%
RDOR3Rede D'Or ONR$ 26,86-2,19%
ALPA4Alpargatas PNR$ 9,46-2,17%
CMIN3CSN Mineração ONR$ 4,84-2,02%
IBOVESPA RECUA

Com pressão de Vale (VALE3), o Ibovespa opera em queda de 0,37%, aos 121.640 pontos.

ABERTURA DE NOVA YORK

As bolsas de Nova York operam sem direção única após a abertura das negociações.

Os investidores ainda repercutem a inflação, medida pelo PCE, em linha com o esperado e a divulgação de novos dados econômicos, na expectativa pela decisão do Federal Reserve (Fed) — que acontece na semana que vem.

  • S&P 500: +0,37%, aos 5.297,25 pontos;
  • Dow Jones: -0,07%, aos 38.659,45 pontos;
  • Nasdaq: +0,91%, aos 16.887,95 pontos.
ABERTURA DO IBOVESPA

O Ibovespa opera em leve alta de 0,06%, aos 122.175,41 pontos após a abertura.

O principal índice da bolsa brasileira avança na esteira dos índices futuros de Nova York.

Por aqui, a queda de mais de 2% do minério de ferro na China e o aumento das projeções para a inflação e a Selic, apontadas pelo Boletim Focus, pressionam o índice. O mercado espera a divulgação do PIB do primeiro trimestre, prevista para amanhã (4).

DÓLAR INVERTE SINAL

O dólar à vista inverteu o sinal há pouco e opera em queda ante o real.

A moeda norte-americana cai 0,19%, a R$ 5,2402.

ADRS DE VALE E PETROBRAS

Os recibos de ações (ADRs) de Vale e Petrobras acompanham o desempenho das commodities com os índices futuros de Nova York em alta no pré-mercado.

Vale recua com o tombo de mais de 2% do minério de ferro em Dalian, na China. Petrobras repercute a decisão da Opep+ sobre a oferta de petróleo.

Confira o desempenho dos ADRs no pré-mercado em NY:

  • Vale (VALE): -0.58%, a US$ 11,98;
  • Petrobras (PBR): +0,32, a US$ 15,60
MERCADO DE COMMODITIES

O mercado de commodities operam em queda

O minério de ferro terminou as negociações com queda de 2,65%, a US$ 116,47 em Dalian, na China. Essa foi menor cotação da commodity desde 16 de abril, quando fechou cotado a US$ 114,47.

Os contratos mais líquidos do petróleo Brent iniciaram o dia em alta, mas passaram a operam em queda de 0,32%, a US$ 80,86 o barril. A commodity repercute a decisão da Opep+ em estender os cortes na produção, de 2,2 milhões de barris por dia, a despeito da queda dos preços.

MERCADO EM 5 MINUTOS: RUY HUNGRIA

TEREMOS SAUDADES DE 2024?

Os mercados operam mistos mas sem grande volatilidade, com perdas na Ásia, ganhos nos Estados Unidos – com uma recuperação do sentimento positivo com tech, após semana ruim para a Nasdaq (-1,4%) – e também na Europa, com expectativa de corte de juros ainda nesta semana (mais sobre isso abaixo).

É bom que todos estejam bem descansados depois do feriadão, porque a semana trará dados bastante importantes, no Brasil e no exterior.

Na quinta-feira (6) teremos a decisão do Banco Central Europeu (BCE) sobre a taxa de juros.

Até a semana passada, tudo apontava para que o primeiro corte do ciclo acontecesse já nesta reunião, mas os números de inflação na zona do euro divulgados na última sexta-feira (31) mostraram aceleração e podem atrapalhar os planos.

Nos Estados Unidos, atenções voltadas para o Payroll na sexta-feira (7), com expectativas de criação de 180 mil vagas, 5 mil a mais do que na leitura anterior.

Caso o número aponte desaceleração da economia norte-americana, o mercado deve aumentar as apostas em cortes de juros até o fim do ano.

No Brasil, o grande destaque será a divulgação do PIB referente ao 1T24 amanhã.

Depois de dois trimestres seguidos com crescimento praticamente nulo, a expectativa é que o PIB tenha voltado a crescer com mais intensidade no início de 2024 – estimativas apontam para alta trimestral de +0,7% e crescimento de +2,2% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Quem sabe as novidades não ajudem a melhorar a perspectiva para o Ibovespa nesta reta final do primeiro semestre, já que até aqui o cenário não tem sido muito animador?

01:43 — Teremos saudade de 2024?

Com um desempenho de -3% do Ibovespa no mês, maio não vai deixar saudades. A pergunta que fica é sobre 2024: será que o ano deixará alguma lembrança boa? Se depender do que aconteceu até aqui, a resposta é um sonoro não.

O índice acumula uma queda de -9% até agora, o que se configura como o pior desempenho para os primeiros cinco meses desde 2013 – estou excluindo 2020 por conta da pandemia.

Sim, os ativos brasileiros seguem baratos sob diversas métricas, mas já estamos cansados de saber que isso não basta, ainda mais quando há receios fiscais e agora também maiores preocupações com o verdadeiro interesse do BC em combater a inflação a partir do ano que vem.

A parte boa é que não dependemos apenas de nós, e podemos começar a ter uma ajuda da inflação e do Fed.

02:31 Pequeno alívio

O PCE, indicador preferido de preços do Fed, mostrou desaceleração e veio melhor que as estimativas, com alta mensal de +0,26%. O núcleo, que exclui medidas mais voláteis, também desacelerou para +0,25%.

Além de as duas medidas ficarem abaixo das expectativas, tivemos uma boa desaceleração no setor de Serviços (de 0,44% para 0,27% na comparação mensal).

Isso não bastou para mudar o humor por aqui na última sexta-feira, mas lembre-se que o Ibovespa engatou uma alta fulminante de +20% no fim de 2023, muito em função da melhora da inflação nos Estados Unidos na época.

Uma sequência de dados favoráveis lá fora combinados com um abrandamento do discurso do Fed e valuations muito pressionados no Brasil e, pronto, o trem passou e você nem viu.

Se a China parar de atrapalhar, melhor ainda.

03:35 Muito ajuda quem não atrapalha

Ontem à noite (2) foi divulgado o PMI Caixin Industrial da China referente ao mês de maio, que não apenas mostrou expansão, como atingiu o maior nível desde junho de 2022.

Depois do anúncio de vários estímulos nas últimas semanas, esse é mais um dado que pode ajudar a melhorar o sentimento com relação à China e, indiretamente, influenciar o fluxo para o Brasil.

Goste ou não, a verdade é que ainda somos vistos como uma proxy de China para muito investidor gringo, e isso também parece estar pesando um pouco.

O MSCI China já cai mais de 50% desde as máximas em 2021, entre outras coisas, por desconfianças sobre a capacidade de crescimento do país e uma possível bolha imobiliária.

Com o MSCI China negociando por 10x lucros, o menor patamar dos últimos 10 anos, quem sabe o humor com a China não começa a melhorar um pouco? Eu sei que ainda teríamos muita lição de casa para fazer, mas já ajudaria não ter mais esse vento contrário.

04:28 Mais oferta

Em reunião da Opep+ neste fim de semana, o grupo decidiu retirar os cortes de produção atuais, que somam 2,2 milhões de barris por dia.

Apesar de a retomada da produção ser gradual e começar apenas a partir de outubro deste ano, é importante lembrar que esse é mais um fator que joga contra os preços, pois aumenta a oferta de longo prazo em meio às preocupações com a demanda da China, por conta de sua desaceleração econômica, e dos Estados Unidos caso os juros permaneçam em patamares elevados.

Por outro lado, lembramos que abaixo dos US$ 70 muitos produtores serão obrigados a interromper a produção, e a situação no Oriente Médio também segue como um risco altista para os preços.

Fato é que o petróleo tipo Brent caiu mais de -7% em maio, e contribuiu para a derrocada de várias petroleiras brasileiras no mês. Entendo que surgiu uma oportunidade. Pelo bom histórico operacional, PRIOrizo uma entre elas.

AÇÃO DA AMBIPAR (AMBP3) ESTÁ MUITO BARATA? POR QUE A EMPRESA QUER TIRAR ATÉ 37% DOS PAPÉIS DE CIRCULAÇÃO DO MERCADO

A Ambipar (AMBP3) está insatisfeita com o preço das suas ações na bolsa brasileira — e após uma desvalorização de cerca de 50% só em 2024, a empresa decidiu retirar milhões de papéis de circulação do mercado.

A companhia anunciou um programa de recompra de até 20,8 milhões de ações na B3, equivalente a mais de um terço dos papéis atualmente negociados — mais especificamente, correspondente a 37,35% dos ativos AMBP3 hoje em circulação.

Já o valor das ações a serem adquiridas pela empresa será de R$ 8,07, considerando o fechamento do pregão de 31 de maio deste ano.

A companhia separou R$ 167,9 milhões em reservas de capital para garantir a aquisição do teto de papéis proposto.

Leia mais.

ABERTURA DOS JUROS FUTUROS

Os juros futuros (DIs) abriram com viés de estabilidade em toda a curva, com a virada dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, os Treasurys, para queda e o Boletim Focus — que apontou alta do IPCA e da taxa Selic.

Hoje, segundo o relatório semanal, o mercado financeiro projeta taxa Selic em 10,25% ao ano em dezembro de 2024.

Confira como abriram os DIs hoje:

CÓDIGONOME ABE FEC
DI1F25DI Jan/2510,40%10,39%
DI1F26DI Jan/2610,79%10,80%
DI1F27DI Jan/2711,14%11,14%
DI1F28DI Jan/2811,46%11,46%
DI1F29DI Jan/2911,60%11,64%
DI1F30DI Jan/3011,78%11,77%
DI1F31DI Jan/3111,81%11,85%
ABERTURA DO IBOVESPA FUTURO

O Ibovespa futuro opera com queda de 0,18%, aos 122.408 pontos após a abertura.

O índice recua na expectativas por dados de atividade econômica no exterior e de crescimento econômico (PIB) do Brasil.

Além disso, a extensão do corte de produção de petróleo pela Organização dos Países Exportadores do Petróleo e Aliados (Opep+) pode repercutir no mercado local.

ABERTURA DO DÓLAR

O dólar à vista abriu a sessão desta segunda-feira (03) em alta de 0,07%, a R$ 5,2544.

BOLETIM FOCUS

O Copom divulgou nesta segunda-feira (03) o boletim Focus.

As principais mudanças foram na projeções do mercado foram: alta das expectativas para a inflação em quase todos os anos, exceto para 2027; as projeções para a taxa Selic subiram para 2024 e 2025. Confira:

Inflação

IPCA 2024: saiu de 3,86% para 3,88% (↑)
IPCA 2025: foi 3,75% para 3,77% (↑)

Atividade econômica

PIB 2024: permaneceu em 2,05% (=)
PIB 2025: manteve em 2,00% (=)

Câmbio

Dólar 2024: continuou em R$ 5,05 (=)
Dólar 2025: permaneceu em R$ 5,05 (=)

Taxa de juros

Selic 2024: foi de 10,00% para 10,25% (↑)
Selic 2025: passou de 9,00% em 9,18% (↑)

AGENDA DA SEMANA: CONFIRA OS PRINCIPAIS DESTAQUES DOS PRÓXIMOS DIAS

Estamos nos aproximando da metade do ano. Além de olhar o para-brisa deste carro chamado 2024, cada um de nós começa também a mirar o retrovisor.

Aquele plano de ler tantos livros até o fim do ano, perder peso ou finalizar aquele curso… Tenho certeza de que pelo menos uma dessas coisas passa pela sua cabeça.

Ainda que o calendário oficial esteja marcando o mês 6, a metade dos 366 dias cai exatamente no dia 2 de julho. Porém, o efeito psicológico de que “estamos na metade de algo” começa a aparecer.

Mas não se afobe. Com um bom planejamento, ainda dá para fazer tudo isso e mais um pouco.

Leia mais.

FUTUROS DE NOVA YORK AMANHECEM NO AZUL

Os índices futuros das bolsas de valores de Nova York iniciaram a semana no azul.

Wall Street sugere uma abertura em alta antes da divulgação do PMI industrial dos EUA.

Para os próximos dias, o destaque é o relatório mensal de emprego, conhecido como payroll, mas a divulgação ocorrerá apenas na sexta-feira.

Confira:

  • S&P 500 futuro: +0,19%
  • Dow Jones futuro: +0,47%
  • Nasdaq futuro: -0,01%
BOLSAS DA EUROPA ABREM EM ALTA

As principais bolsas de valores da Europa abriram em alta nesta segunda-feira.

Os investidores estão na expectativa quanto ao início de um ciclo de corte de juros pelo Banco Central Europeu (BCE).

A decisão de política monetária da autoridade monetária da zona do euro é esperada para a quinta-feira.

Confira as bolsas na Europa agora:

  • DAX (Frankfurt): +0,79%
  • CAC 40 (Paris): +0,30%
  • FTSE 100 (Londres): +0,13%
  • Euro Stoxx 600: +0,46%
BOLSAS DA ÁSIA FECHAM EM ALTA

As principais bolsas de valores da Ásia fecharam em alta nesta segunda-feira.

Os investidores repercutiram o alívio com a preocupação com a inflação e os juros nos Estados Unidos.

Na última sexta-feira, a inflação de gastos com consumo nos EUA veio em linha com as estimativas e reforçou a expectativa de que o Federal Reserve promova algum corte nos juros ainda em 2024.

A exceção foi a bolsa de Xangai, que fechou em leve queda.

Veja como fecharam as bolsas europeias hoje:

  • Tóquio: +1,13%
  • Xangai: -0,27%
  • Seul: +1,74%
  • Hong Kong: +1,79%
  • Taiwan: +1,71%
ATIVIDADE DA INDÚSTRIA DA CHINA ATINGE MAIOR NÍVEL DESDE JUNHO DE 2022

A atividade da indústria da China encontra-se no maior nível desde junho de 2022.

É o que sugere a leitura de maio do índice de gerentes de compras (PMI) da indústria chinesa.

O indicador saiu de 51,4 em abril para 51,7 no mês passado.

O resultado veio levemente acima das estimativas dos analistas e mostra o setor industrial chinês em um momento de expansão.

PMIs DA INDÚSTRIA EUROPEIA MOSTRAM RECUPERAÇÃO EM MARÇO

A atividade da indústria europeia mostrou alguma melhora em maio.

É o que indicam os índices de gerentes de compra (PMI) da indústria divulgados na manhã de hoje pelas agências de estatísticas da União Europeia, da Alemanha e do Reino Unido.

Na zona do euro, o PMI da indústria avançou de 45,7 em abril para 47,3 em maio.

Na Alemanha, o indicador passou de 42,5 em abril para 45,4 no mês passado.

Já no Reino Unido, o PMI industrial saiu de 49,1 para 51,2 no mesmo intervalo.

Em todos os casos, os números vieram em linha ou próximos das estimativas dos analistas.

Em relação à zona do euro e à Alemanha, o resultado abaixo de 50 indica que a produção manufatureira segue em contração, apesar da recuperação.

No Reino Unido, a leitura acima de 50 sugere que a indústria saiu da zona de contração para a de expansão.

INFLAÇÃO ACELERA NA TURQUIA

A Turquia tornou-se conhecida em anos recentes pela inflação galopante.

Em luta constante para colocar os preços sob controle, o Banco Central da Turquia perdeu a disputa em maio.

A inflação acumulada em 12 meses acelerou de 69,8% em abril para 75,45% em maio.

Na leitura mensal, a alta do índice de preços ao consumidor turco ficou em +3,37% em maio, de +3,18% em abril.

CLAUDIA SHEINBAUM É ELEITA PRESIDENTE DO MÉXICO

A governista Claudia Sheinbaum será a próxima presidente do México.

Projeções da comissão eleitoral mexicana indicam que Claudia venceu por ampla margem as eleições de domingo.

A expectativa é de que ela alcance entre 58% e 60% dos votos ao término da apuração.

A empresária Xóchitl Gálvez deve ficar com cerca de 30% da votação.

Ex-prefeita da Cidade do México, Claudia é aliada do presidente Andrés Manuel López Obrador.

A posse está prevista para 1º de outubro.

Ela será a primeira mulher a presidir o México.

IBOVESPA ENCERROU MAIO EM QUEDA

O principal índice da B3 até tentou reverter as perdas no pregão de sexta-feira (31), mas a bolsa brasileira não conseguiu acompanhar a alta em Wall Street.

O Ibovespa registrou queda de 0,5% e fechou o dia aos 122.098 pontos. Já no acumulado do mês, o tombo chegou aos 3%.

Por outro lado, o dólar à vista disparou e encostou na maior cotação em seis semanas. A moeda norte-americana avançou 0,81%, cotada em R$ 5,2508. Em maio, a alta acumulada do dólar foi de 1,13%.

Confira o que movimentou as bolsas na última sexta-feira (31).

OPORTUNIDADE PARA INVESTIR? CCR (CCRO3) TEM PISTA LIVRE NO BRASIL — E CEO REVELA OS PLANOS PARA OS PRÓXIMOS 10 ANOS

O Brasil deve vivenciar um recorde de investimentos em infraestrutura em 2024 — e a CCR (CCRO3) tem a “pista livre” para aproveitar as oportunidades no mercado local, na visão de Marcelo Sandri, sócio e gestor de portfólio da Perfin Investimentos, que atualmente possui mais de R$ 35 bilhões em ativos sob administração.

Para Sandri, a CCR atualmente corre em uma estrada praticamente sem concorrentes — e pode se beneficiar disso na disputa por novas concessões a serem leiloadas pelo governo.

“O governo tem o desejo de licitar dezenas de estradas nos próximos anos. A boa notícia para quem está no setor e com capital é que tem pouco player para muito projeto, e isso resulta numa competição baixa para ativos bons com retornos altos e muitas vezes com investimentos que cabem no bolso da CCR”, disse o gestor ao Seu Dinheiro.

“A CCR tem capacidade de alavancagem, tem balanço, uma robustez financeira e vai ter muita oportunidade para alocação de capital. E, muitas vezes, esses projetos vêm com retornos maiores do que a TIR [taxa interna de retorno] implícita da própria companhia.”

Leia mais.

Compartilhe

APOSTAS PARA O CÂMBIO

O dólar não vai mais cair? Alckmin diz que governo tem “absoluta confiança” sobre a trajetória da moeda norte-americana

13 de junho de 2024 - 17:52

O presidente em exercício falou sobre o tema um dia após a moeda americana ter ultrapassado a cotação de R$ 5,40 pela primeira vez desde janeiro de 2023

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Dólar fecha próximo da mínima intraday com rescaldo de Haddad sobre fiscal; Ibovespa sustenta os 119 mil pontos

13 de junho de 2024 - 17:17

RESUMO DO DIA: O cenário fiscal roubou a cena mais um vez no mercado acionário brasileiro. Se ontem foram as falas do presidente Lula que aumentaram a aversão ao risco, hoje o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, ficou encarregado de ‘reduzir os danos’. Apesar dos esforços do ministro, o Ibovespa não deixou o tom negativo. […]

CAI, CAI

Fuga dos investidores? Como a B3 contribuiu para a forte queda do Ibovespa em maio; ações B3SA3 recuam 

13 de junho de 2024 - 15:59

A dona da bolsa registrou volume médio diário de negociações 8,8% menor em maio na comparação anual; Goldman Sachs mantém a recomendação

PROTEÇÃO NA CARTEIRA

O dólar já subiu 10% em 2024: essas são as 5 ações para lucrar com o real fraco, segundo o BTG Pactual

13 de junho de 2024 - 14:28

Os analistas também escolheram cinco papéis para ficar longe em meio à disparada da moeda norte-americana neste ano — duas aéreas integram essa lista

STF DECIDIU

Fim do impasse sobre remuneração do FGTS deve beneficiar as ações de construtoras de baixa renda — e o BTG Pactual diz qual é a sua favorita no segmento

13 de junho de 2024 - 13:01

Vale relembrar que o fundo é uma de suas principais fontes de recursos para o setor imobiliário

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Fed mantém juros inalterados pela sétima vez consecutiva e dólar sobe a R$ 5,40; Ibovespa cai 1% de olho no fiscal

12 de junho de 2024 - 17:21

RESUMO DO DIA: Se enganou quem achou que a decisão dos juros nos Estados Unidos seria o único destaque do dia. O cenário fiscal doméstico roubou a cena e o Ibovespa voltou ao território negativo. O principal índice da bolsa brasileira fechou em baixa de 1,40%, aos 119.936 pontos, renovando a mínima do ano e […]

FECHAMENTO DOS EUA

Inflação e juros: o combo que fez o S&P 500 e o Nasdaq saltarem para um outro recorde intradiário

12 de junho de 2024 - 17:06

De um lado, o CPI de maio veio melhor do que as projeções. De outro, o Fed manteve a taxa de juros inalterada e reduziu para um o número de cortes neste ano

REPORTAGEM ESPECIAL

Exclusivo: Controladores da Méliuz (CASH3) montam posição em opções com ações da empresa, que quer apertar “pílula de veneno”

12 de junho de 2024 - 15:22

Ações da Méliuz (CASH3) dispararam mais de 15% após empresa divulgar que pessoas ligadas ao controle “venderam opções de venda” de ações da companhia

OPERAÇÃO GREENWASHING

Como uma operação da polícia federal deve afetar os dividendos de dois fiagros com mais de 40 mil cotistas

12 de junho de 2024 - 13:26

Os proventos do AZ Quest Sole (AAZQ11) e do AZ Quest negociado na Cetip, devem ser afetados pelos desdobramentos de uma operação deflagrada na semana passada

TERREMOTO NO MERCADO

Dólar dispara a R$ 5,42 e Ibovespa atinge menor nível em um ano: o que Lula tem a ver com isso?

12 de junho de 2024 - 12:35

Declarações do presidente da República suscitaram mais preocupações sobre o cenário fiscal; mercado vê enfraquecimento de Haddad

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar