🔴 EVENTO GRATUITO: COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
DIA 38

Os bombeiros chegaram: ata do Copom e Alckmin tentam baixar a temperatura da relação entre Lula e Campos Neto

Do outro lado, parlamentares do PSOL e do PT querem apresentar requerimento para convidar o presidente do BC a comparecer em uma audiência pública na Câmara para explicar as razões dos juros altos

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
7 de fevereiro de 2023
20:42
Lula derruba mercados
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva - Imagem: Montagem Beatriz Azevedo

A temperatura subiu entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do banco central, Roberto Campos Neto, depois que o petista não poupou a autoridade monetária de críticas — nesta terça-feira (7), o chefe do Planalto voltou a atacar RCN e afirmar que ele lhe deve explicações. 

Como as labaredas dos comentários de Lula sobre a inflação, os juros e a independência do BC seguem ardendo, foi preciso chamar os bombeiros para apagar possíveis focos de incêndio na relação do governo com o banco central. 

O primeiro a atender ao chamado foi o Copom, que divulgou hoje de manhã a ata de sua última reunião. O documento mais extenso — foram 32 parágrafos contra 23 — se estendeu mais tanto na parte de cenários e análise de riscos como da discussão sobre a condução da política monetária.

Além de reafirmar o compromisso com as metas de inflação, o Copom estendeu a mão ao novo governo. Em um dos trechos da ata, os diretores apontaram que o pacote fiscal anunciado em janeiro pode atenuar os estímulos fiscais sobre a demanda e, portanto, reduzir o risco de alta sobre a inflação. 

Inicialmente, a temperatura baixou um pouco. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que a ata foi mais "amigável" do que o comunicado divulgado após a reunião do Copom da semana passada, que manteve a taxa Selic em 13,75%. 

No comunicado, o BC alertou para o risco fiscal e a deterioração das expectativas de inflação, sem considerar o plano Haddad. O que mais irritou o governo foi a posição do BC de que poderia manter o atual patamar, considerado alto, por um período a mais.

"A ata do Copom veio melhor que o comunicado. Uma ata foi mais extensa, mais analítica, colocando pontos importantes sobre o trabalho do Ministério da Fazenda. A ata foi, vamos dizer, mais amigável em relação aos próximos passos que precisam ser tomados", disse Haddad pela manhã.

Alckmin faz o rescaldo do dia

O vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, fez o rescaldo do dia. 

Em encontro fechado com parlamentares da Frente Parlamentar do Empreendedorismo (FPE), Alckmin tentou amenizar a crise e negou que exista qualquer tipo de animosidade contra Campos Neto, segundo relato feito pelo presidente da frente, Marco Bertaiolli (PSD-SP). 

O deputado contou que Alckmin comparou a situação a uma "divergência de entendimento" e que nenhuma crítica pode ser levada a Campos Neto na figura de pessoa física.

Apagando o fogo com gasolina?

Parlamentares do PSOL e do PT querem apresentar requerimento para convidar Campos Neto a comparecer em uma audiência pública na Câmara para explicar as razões dos juros altos. 

Por ter integrado o governo de Jair Bolsonaro, Campos Neto é visto pelos políticos da esquerda como uma espécie de "cavalo de Troia" para atrapalhar o governo e a retomada do crescimento.

Esses deputados falam em propor mudança na autonomia do BC, mas nem mesmo o governo vê chances de um projeto desse tipo passar no Congresso.

Compartilhe

PEC DO QUINQUÊNIO E MAIS

O que é a ‘pauta-bomba’ no Congresso que preocupa Tebet e pode dificultar ainda mais a situação fiscal brasileira

23 de abril de 2024 - 16:33

A expressão é usada para denominar projetos que geram gastos públicos e que estão na contramão do ajuste fiscal

COBROU OS MINISTROS

A bronca de Lula surtiu efeito? Haddad diz que texto da reforma tributária pode ser entregue ao Congresso nesta semana

22 de abril de 2024 - 18:30

De acordo com o ministro da Fazenda, falta apenas discutir “dois pontos” com o presidente para fechar o projeto e levá-lo aos parlamentares

EM BUSCA DE APOIO

‘Minuta do golpe’, Musk e Moraes: o que esperar dos discursos no ato pró-Bolsonaro no Rio

21 de abril de 2024 - 9:06

Com avanço da investigações da Política Federal, o ex-presidente convoca uma nova manifestação neste feriado de Tiradentes

CETICISMO

Nem o FMI acredita mais que Lula vai entregar meta fiscal e diz que dívida brasileira pode chegar a nível de países em guerra

17 de abril de 2024 - 11:38

Pelos cálculos da instituição, o País atingiria déficit zero apenas em 2026, último ano da gestão de Lula

INTERNACIONAL

Haddad nos Estados Unidos: ministro da Fazenda tem agenda com FMI e instituição chefiada por brasileiro Ilan Goldfajn; veja

14 de abril de 2024 - 16:44

De segunda (15) a sexta-feira (19), o ministro participa, em Washington, da reunião de primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial

NOVO CAPÍTULO

Entrou na briga: após críticas de Elon Musk a Alexandre de Moraes, governo Lula corta verba de publicidade do X, antigo Twitter

13 de abril de 2024 - 16:43

Contudo, a decisão só vale para novos contratos, porque há impedimento de suspensão com os que já estão em andamento

APÓS APAGÕES

Na velocidade da luz: Enel terá um minuto para responder os consumidores, decide Justiça de São Paulo

13 de abril de 2024 - 15:20

Desde novembro do ano passado, quando milhões de consumidores ficaram sem energia após um temporal com fortes rajadas de vento

MINISTRO E BILIONÁRIO

Em meio a embate de Elon Musk com Alexandre de Moraes, representante do X (ex-Twitter) no Brasil renuncia ao cargo

13 de abril de 2024 - 12:55

Em sua conta no LinkedIn, o advogado Diego de Lima Gualda data o fim de sua atuação na empresa em abril de 2024

META FISCAL

Mal saiu, e já deve mudar: projeto da meta fiscal já tem data, mas governo lista as incertezas sobre arrecadação

13 de abril de 2024 - 11:49

A expectativa é para a mudança da meta fiscal a ser seguida no próximo ano devido a incertezas sobre a evolução na arrecadação

ELEIÇÕES 2024

São Paulo já tem oito pré-candidatos na disputa por nove milhões de votos; conheça os nomes

7 de abril de 2024 - 15:45

Guilherme Boulos (PSOL) e o atual prefeito Ricardo Nunes (MDB) lideram as pesquisas de intenção de votos a seis meses das eleições municipais

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar