🔴 PRIO3 E +9 AÇÕES PARA COMPRAR AGORA – ASSISTA AQUI

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
PERSEGUIÇÃO OU JUSTIÇA?

Vladimir é preso… Mas não é o Putin! Por que a condenação do jornalista que ousou fazer oposição ao governo russo chocou o mundo

Em um veredicto concedido em minutos, o russo-britânico foi sentenciado a 25 anos de prisão e multa de 400 mil rublos (R$ 24, mil) por traição

Carolina Gama
17 de abril de 2023
15:28 - atualizado às 14:07
Presidente russo, Vladimir Putin, apoiado em uma mesa, com o dedão na boca
O presidente da Rússia, Vladimir Putin - Imagem: Flickr

Há exatamente um mês, o presidente russo teve sua prisão decretada pelo Tribunal Internacional Penal. Nesta segunda-feira (17), Vladimir foi detido e vai cumprir 25 anos de prisão… mas não estamos falando de Putin e sim do jornalista opositor e xará do chefe do Kremlin: Vladimir Kara-Murza

O ativista foi condenado na Rússia por acusações ligadas às suas críticas à guerra na Ucrânia. Ele foi considerado culpado de traição, de espalhar informações consideradas falsas sobre o exército russo e de ser afiliado a uma organização indesejável. 

Kara-Murza, o último de vários opositores de Putin a ser preso ou forçado a fugir da Rússia, negou as acusações.

Assim que recebeu a sentença de 25 anos, o opositor russo-britânico gritou: “A Rússia será livre!”.

Quem é Vladimir Kara-Murza, o opositor de Putin

Kara-Murza, de 41 anos, passou anos falando contra Putin e, junto com a guerra na Ucrânia, também criticou a repressão do governo russo aos dissidentes.

Ele foi preso há um ano em Moscou, inicialmente por desobedecer a um policial. Acusações mais sérias foram feitas a ele quando ele estava sob custódia.

Na semana passada, Kara-Murza afirmou em um comunicado que não se arrependia de nada do que tinha dito — pelo contrário: o jornalista se dizia orgulhoso de cada palavra. 

"Eu sei que chegará o dia em que a escuridão que envolve nosso país se dissipará", afirmou Kara-Murza. "Nossa sociedade abrirá os olhos e estremecerá quando perceber que crimes foram cometidos em seu nome", acrescentou. 

Além de criticar Putin, o jornalista pressionou os governos ocidentais a impor sanções à Rússia e aos russos individualmente por supostas violações dos direitos humanos.

Em uma entrevista à CNN transmitida horas antes de ser preso, Kara-Murza disse que a Rússia estava sendo governada por um “regime de assassinos”. 

Ele também usou discursos nos EUA e em toda a Europa para acusar Moscou de bombardear alvos civis na Ucrânia.

"Eu só me culpo por uma coisa", disse Kara-Murza. "Não consegui convencer o suficiente de meus compatriotas e políticos em países democráticos do perigo que o atual regime do Kremlin representa para a Rússia e para o mundo", acrescentou. 

  • Já sabe como declarar seus investimentos no Imposto de Renda 2023? O Seu Dinheiro elaborou um guia exclusivo onde você confere as particularidades de cada ativo para não errar em nada na hora de se acertar com a Receita. Clique aqui para baixar o material gratuito.

A sentença

Ao contrário do que pode acontecer nos tribunais russos, bastaram apenas alguns minutos para o juiz decidir sobre o caso de Kara-Murza. 

O juiz disse que o opositor de Putin cumpriria pena de 25 anos em uma "colônia correcional de regime estrito" e que seria multado em 400 mil rublos (R$ 24,1 mil).

Segundo especialistas, a dura sentença é um sinal de que na Rússia de hoje as autoridades não estão apenas determinadas a silenciar os críticos, mas também a neutralizar qualquer coisa ou pessoa que acreditem representar uma ameaça ao sistema político.

A imprensa estrangeira não teve acesso ao tribunal e pouco jornalistas da mídia estatal russa tiveram acesso, junto com a mãe e o advogado do réu.

Em vez disso, repórteres e embaixadores internacionais se aglomeraram em uma sala separada para assistir aos trâmites em duas telas de TV.

Falando fora do tribunal após a sentença, Maria Eismon, advogada de Kara-Murza, disse que a sentença foi "aterrorizante", mas também uma "grande apreciação" do trabalho de seu cliente.

"Quando [o Sr. Kara-Murza] soube que eram 25 anos, ele disse: minha auto-estima até aumentou, percebi que estava fazendo tudo certo!", afirmou ela.

Uma chuva de críticas contra Putin

A sentença de Kara-Murza foi amplamente condenada mundo afora, com o governo britânico convocando seu embaixador russo e dizendo que analisaria medidas para responsabilizar os envolvidos na detenção e maus-tratos do jornalista. 

O Reino Unido já havia sancionado o juiz que presidiu o julgamento por envolvimento anterior em violações de direitos humanos.

"A falta de compromisso da Rússia em proteger os direitos humanos fundamentais, incluindo a liberdade de expressão, é alarmante", disse o secretário de Relações Exteriores britânico, James Cleverly, em comunicado.

A Organização das Nações Unidas (ONU), a Alemanha e o Departamento de Estado dos EUA também condenaram o veredicto, com o último descrevendo Kara-Murza como "mais um alvo da crescente campanha de repressão do governo russo".

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, que também está preso, classificou a sentença como  "vingança do Kremlin". 

Já o grupo sem fins lucrativos Human Rights Watch descreveu o veredicto como uma "farsa da justiça" e pediu à Rússia que "revogue imediatamente a decusão e o liberte incondicionalmente".

*Com informações da BBC, da CNN Internacional e da CNBC

Compartilhe

OS ALVOS DO BILIONÁRIO

‘Petróleo branco’, níquel e satélites: conheça interesses de Elon Musk no Brasil

15 de abril de 2024 - 19:06

Entre seus principais alvos está a mineração, que abastece suas indústrias com materiais necessários para produção

O PRATO QUE SE COME FRIO

A resposta de Israel ao Irã ainda não veio: por que você deveria estar preocupado mesmo assim

15 de abril de 2024 - 16:59

Os preços do petróleo ainda rondam patamares elevados e algumas das principais bolsas do mundo operaram em queda nesta segunda-feira (15)

COM O PÉ ESQUERDO

A fortuna evaporou? Trump sai do ranking dos bilionários e ainda pode ser preso no fim do julgamento que começou hoje 

15 de abril de 2024 - 15:44

O republicano, que viu seu patrimônio diminuir em 10%, enfrenta 34 acusações criminais e pode encarar quatro anos de prisão por cada uma delas

PRESIDENTE HERMANO

Javier Milei terá semana decisiva: ministro negocia US$ 15 bilhões com FMI e vice tenta passar “pacotão” para destravar Argentina

14 de abril de 2024 - 12:44

Para atingir seus objetivos ultraliberais, o presidente conta com a ajuda do ministro da Economia, Luis Caputo, e de Victoria Villarruel, vice-presidente do país

TENSÕES AUMENTAM

Ataque do Irã deve fazer petróleo e dólar dispararem — mas o efeito nos juros será mais devastador para a economia

14 de abril de 2024 - 9:33

O Irã confirmou ter iniciado uma ofensiva com drones e mísseis contra Israel, em retaliação pelo ataque aéreo que destruiu o consulado iraniano em Damasco, no começo do mês

NO ORIENTE MÉDIO

Noite de terror: veja o que aconteceu nas últimas 24h entre Irã e Israel e como a escalada do conflito afeta o mundo

14 de abril de 2024 - 8:33

O contra-ataque é uma reação após um suposto ataque à embaixada iraniana em Damasco, que deixou um general e seis oficiais mortos

ACIRRAMENTO DAS TENSÕES

Irã fala em retaliação “calibrada” após ataque à embaixada na Síria e navio é capturado em estreito próximo da região 

13 de abril de 2024 - 10:24

O comando da Guarda Revolucionária, uma força paramilitar do Irã, usou um helicóptero para capturar um navio ligado a Israel perto do Estreito de Ormuz neste sábado

LUZ NO FIM DO TÚNEL?

Milei acertou a mão? Inflação na Argentina desacelera pelo terceiro mês seguido e abre espaço para corte de juros

12 de abril de 2024 - 18:59

A grande surpresa dos dados desta sexta-feira (12) foi o núcleo da inflação — aquele que não considera preços monitorados ou sazonais —, que subiu um dígito pela primeira vez desde outubro

ENCONTRO AGUARDADO

Javier Milei quer ajudar Elon Musk na batalha contra Alexandre de Moraes; confira os destaques do encontro entre o presidente da Argentina e o bilionário

12 de abril de 2024 - 16:23

De acordo o porta-voz da presidência, Milei ofereceu ajuda ajuda a Musk no conflito com o judiciário brasileiro a respeito do X, o antigo Twitter

OS TAMBORES DA GUERRA SOAM ALTO

Ataque em 48 horas e socorro da China: o que você precisa saber sobre a vingança do Irã contra Israel que pode abalar o mundo — as bolsas já sentem

12 de abril de 2024 - 15:05

Os mercados nesta sexta-feira (12) refletem a gravidade da situação geopolítica, com o petróleo tipo Brent batendo em US$ 92 o barril. Por aqui, o Ibovespa cai e o dólar atinge o maior valor em seis meses, a R$ 5,14.

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies