🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Carolina Gama
O SOL NASCEU QUADRADO

Putin na cadeia: Tribunal Penal Internacional emite mandado para o presidente russo, mas ele pode ser preso? Veja as chances disso acontecer

O mandado é o primeiro emitido pelo TPI por crimes cometidos na guerra da Ucrânia, e é uma das raras ocasiões em que o tribunal emitiu um pedido de prisão para um chefe de Estado em exercício

Carolina Gama
17 de março de 2023
18:02 - atualizado às 17:13
NÃO USAR ESSA FOTO - Vladimir Putin, presidente da Rússia
Vladimir Putin, presidente da Rússia - Imagem: Sergei KarpukhinTASS/Getty Images

O Tribunal Penal Internacional (TPI) em Haia emitiu nesta sexta-feira (17) um mandado de prisão para Vladimir Putin por supervisionar o sequestro de crianças ucranianas. Mas será que o presidente russo pode realmente parar na cadeia?

Ao conceder o pedido de mandados pelo promotor do TPI, um painel de juízes concordou que havia motivos razoáveis para acreditar que Putin e a comissária dos direitos infantis, Maria Alekseyevna Lvova-Belova, eram responsáveis pela deportação ilegal de crianças ucranianas.

Os mandados são os primeiros emitidos pelo TPI por crimes cometidos na guerra da Ucrânia, e é uma das raras ocasiões em que o tribunal emitiu um pedido de prisão para um chefe de Estado em exercício, colocando Putin na companhia do líder líbio, Muammar Gaddafi, e do presidente sudanês, Omar al-Bashir.

Putin vai ser realmente preso?

A deportação forçada de populações é reconhecida como crime pelo estatuto de Roma que instituiu o TPI. A Rússia era signatária, mas retirou-se em 2016, alegando que não reconhecia a jurisdição do tribunal.

Embora a própria Ucrânia não seja signatária do tribunal de Haia, concedeu ao TPI jurisdição para investigar crimes de guerra cometidos em seu território.

Como a Rússia não reconhece o tribunal e não extradita seus cidadãos, é altamente improvável que Putin ou Lvova-Belova sejam entregues à jurisdição do TPI.

A emissão do mandado, no entanto, continua sendo um momento altamente significativo:  envia um sinal para os russos — militares e civis — que podem ser vulneráveis a processos agora ou no futuro e limitam ainda mais a capacidade de viajar ao exterior, inclusive para participar de fóruns internacionais.

No caso do líder líbio, ele foi deposto e morto meses depois que seu mandado foi emitido. Já o sudanês, que também foi deposto, está atualmente preso no Sudão, embora ainda não tenha sido transferido para Haia. 

O mais provável, segundo especialistas, é que Putin fuja da justiça em um futuro próximo. Só que até para isso terá problemas já que enfrentará limites em sua liberdade de viajar para os estados membros do TPI, aprofundando ainda mais seu isolamento.

  • Você investe em ações, renda fixa, criptomoedas ou FIIs? Então precisa saber como declarar essas aplicações no seu Imposto de Renda 2023. Clique aqui e acesse um tutorial gratuito, elaborado pelo Seu Dinheiro, com todas as orientações sobre o tema.

Um precedente importante para Putin

Embora o TPI não reconheça imunidade para chefes de Estado em casos envolvendo crimes de guerra, contra a humanidade ou genocídio, em um precedente importante, a África do Sul se recusou a cumprir um mandado do tribunal para a prisão de al-Bashir durante uma visita em 2015.

Pretória argumentou que não via “nenhum dever sob o direito internacional e o estatuto de Roma de prender um chefe de estado em exercício de um partido não estatal [ICC] como Omar al-Bashir”, e vários outros países que ele visitou também se recusaram a prendê-lo.

Já a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet em Londres, em 1998, por ordem internacional expedida pelo juiz espanhol Baltasar Garzón, ilustra as dificuldades envolvidas em questões de imunidade.

Pinochet reivindicou imunidade como ex-chefe de Estado — uma reivindicação rejeitada pelos tribunais britânicos — mas, no final das contas, o ministro do Interior britânico, Jack Straw, permitiu que Pinochet voltasse para casa por motivos de saúde.

*Com informações do The Guardian e da CNN Internacional

Compartilhe

SEM CÉU DE BRIGADEIRO

Vai desbancar a Airbus? A gigante “Made in China” que pode provocar turbulência na aviação global

20 de fevereiro de 2024 - 19:58

Pequim criou uma empresa de aviação para bater de frente com rivais estrangeiras — e Airbus responde a concorrência à altura

COM OS DIAS CONTADOS

A China vai tombar de vez? O empurrão dos EUA que pode colocar a segunda maior economia do mundo em xeque

19 de fevereiro de 2024 - 19:50

No passado, o governo de Xi Jinping já alertou Washington sobre o “erro histórico” de impor limites à Pequim

SÓ DOR DE CABEÇA

A nova insônia da Argentina: o dado que vai tirar o sono de Javier Milei — e não é a inflação

19 de fevereiro de 2024 - 19:09

O governo já se defendeu dos números que devem trazer mais dor de cabeça para a Casa Rosada

SOB A LUPA EUROPEIA

Mais problemas para o TikTok? Rede social das dancinhas cai na mira da União Europeia — e pode receber multa pesada

19 de fevereiro de 2024 - 18:15

A UE vai investigar se a rede social viola as regras de conteúdo online destinadas a proteger as crianças na plataforma

O PODER DE UMA PAIXÃO

O caso amoroso que pode salvar Trump de ser condenado

19 de fevereiro de 2024 - 15:15

O romance em questão não está diretamente ligado ao ex-presidente dos EUA, mas pode ajudá-lo no processo sobre a tentativa do republicano reverter a derrota nas eleições de 2020

ANO NOVO, VIDA NOVA?

Viagens e gastos de turistas durante ano-novo na China superam níveis pré-pandemia, mas algo ainda incomoda os economistas

19 de fevereiro de 2024 - 11:37

Deslocamentos internos e gastos em viagens pela China mostram recuperação enquanto governo tenta impulsionar o consumo

MARCADOS PELA OPOSIÇÃO

Todos contra Putin: os inimigos que ousaram desafiar o homem mais poderoso da Rússia e não tiveram um final feliz

16 de fevereiro de 2024 - 19:43

A lista de desafetos do presidente russo é longa. O Seu Dinheiro separou os principais nomes de oposição e conta para você o destino — às vezes trágico — de cada um deles

"PASSOU MAL"

Quem foi Alexei Navalny, o opositor de Putin que denunciou a corrupção na Rússia e morreu na prisão

16 de fevereiro de 2024 - 10:01

Advogado e ativista anticorrupção, Navalny tinha 47 anos e entrou para a lista de opositores de Vladimir Putin que morreram nos últimos anos

TREMOR NA ÁSIA

A queda de um gigante: Japão perde posto de terceira maior economia do mundo; saiba qual país roubou o lugar

15 de fevereiro de 2024 - 16:44

A bolsa de valores japonesa, no entanto, reagiu bem à dança das cadeiras econômica; entenda por que o principal índice de ações de lá subiu mesmo com a confirmação da recessão

FICHA SUJA

Caso Sarkozy: por que um dos homens mais poderosos da França foi condenado e pode parar na cadeia

14 de fevereiro de 2024 - 19:31

Ele foi presidente de 2007 a 2012, segue como uma figura influente entre os conservadores e mantém relações amigáveis ​​com o atual chefe do Eliseu, Emmanuel Macron

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies