🔴 É HOJE! COMO COMPRAR CARROS COM ATÉ 50% DE DESCONTO NA TABELA FIPE – CONHEÇA A ESTRATÉGIA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
SEDE DE PODER?

A mão de ferro de Netanyahu: entenda a polêmica decisão de “Bibi” que levou a uma onda de fúria em Israel

O líder da oposição israelense, Yair Lapid, chamou as greves e manifestações de “a maior crise da história do país”

Carolina Gama
27 de março de 2023
18:54
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel. - Imagem: Alexandros Michailidis/Shutterstock

As ruas de Jerusalém foram tomadas por protestos sem precedentes na história recente de Israel — o país está prestes a passar por uma reforma do sistema judiciário. Mas não foi a polêmica mudança que levou uma multidão a contrariar o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. 

O gatilho para as greves e manifestações em massa foi outra: a decisão de Bibi, como Netanyahu é conhecido, de demitir o ministro da Defesa depois que ele se manifestou contra a reforma. 

Em eventos sem precedentes, o maior sindicato do país convocou uma greve e os israelenses viram a sociedade se fechar.

Do aeroporto principal às lojas e bancos — até mesmo em hospitais — os serviços foram interrompidos. O líder da oposição, Yair Lapid, classificou a situação como "a maior crise da história do país".

A ação coordenada foi projetada para afastar Netanyahu da iminência de aprovar as reformas até o final desta semana.

Afinal, o que Netanyahu quer?

A reforma do judiciário que Netanyahu está tentando emplacar deve aumentar ainda mais os poderes do primeiro-ministro israelense. 

Isso porque o atual governo — um dos mais direitistas de todos os tempos em Israel — está tentando assumir o controle decisivo sobre o comitê que nomeia os juízes.

Com a mudança, o parlamento teria autoridade para anular as decisões da Suprema Corte com uma maioria simples e tornaria difícil declarar um primeiro-ministro inapto para o cargo e removê-lo do poder.

Segundo Netanyahu, as mudanças impediriam que os tribunais extrapolassem seus poderes, mas os críticos alegam que a reforma ajudaria Bibi, enquanto enfrenta um julgamento por corrupção. 

Ele foi julgado por acusações de suborno, fraude e quebra de confiança em três casos. O primeiro-ministro nega qualquer irregularidade e afirma ser vítima de uma "caça às bruxas".

  • Já sabe como declarar seus investimentos no Imposto de Renda 2023? O Seu Dinheiro elaborou um guia exclusivo onde você confere as particularidades de cada ativo para não errar em nada na hora de se acertar com a Receita. Clique aqui para baixar o material gratuito.

Onda de fúria toma conta de Israel

As mudanças propostas provocaram uma onda de fúria em quase todas as partes da sociedade israelense, incluindo o poderoso exército, desde que foram anunciadas em 4 de janeiro.

Quando Netanyahu finalmente se dirigiu à nação nesta segunda-feira (27), ele foi rápido em atribuir culpas para justificar suas intenções. 

O primeiro-ministro acusou, por exemplo, uma minoria extremista de tentar dividir a nação e criticou os reservistas que se opuseram ao projeto de lei dizendo que não se apresentariam para o serviço.

O adiamento da reforma proposto por Netanyahu lhe dará tempo, mas não resolverá o problema — os manifestantes querem que o projeto de lei seja descartado, não adiado.

Por isso, mais protestos podem estar a caminho. O parceiro de coalizão de extrema-direita de Netanyahu, o partido Poder Judaico, disse que retirou o veto a qualquer atraso na aprovação das reformas em troca de uma garantia de que o premiê as aprovaria durante a próxima sessão do parlamento — o que pode acontecer a qualquer momento a partir do final de abril, quando o Parlamento retornar após um recesso que começa no domingo.

*Com informações da BBC e da CNN Internacional

Compartilhe

NÃO DEIXOU BARATO

Na mira de Xi Jinping: China impõe sanções à Boeing e mais duas empresas dos EUA por venda de armas a Taiwan

20 de maio de 2024 - 19:22

A medida é a mais recente de uma série de sanções anunciadas pelo Gigante Asiático nos últimos anos contra companhias pelo fornecimento de armamento a Taipé

INTERNACIONAL

Presidente do Irã morre em queda de helicóptero; aiatolá já decidiu quem será o sucessor

20 de maio de 2024 - 7:53

Além de Ebrahim Raisi, seu ministro das Relações Exteriores e mais 7 pessoas morreram no incidente, ocorrido no norte do Irã

LOBBY DE BANCOS

CEO do JP Morgan levou outros presidentes de bancos para pressionar Federal Reserve por normas mais frouxas

19 de maio de 2024 - 16:47

Agora, o Fed e dois outros reguladores querem um novo plano, que reduziria o aumento obrigatório de capital — de quase 20% — para os maiores bancos dos EUA

NO ORIENTE MÉDIO

Membro do gabinete de Guerra de Israel ameaça pedir demissão caso não haja plano para conflito em Gaza

19 de maio de 2024 - 14:55

Benny Gantz reconheceu o impacto prejudicial que a guerra está tendo sobre os civis, mas insistiu que a “decisividade” é necessária

NO ORIENTE MÉDIO

Helicóptero que levava presidente e ministros do Irã faz pouso forçado; equipes tentam acessar o local

19 de maio de 2024 - 13:23

Houve registro de chuva forte e neblina com algum vento, o que poderia ter causado uma instabilidade na aeronave

SÓ UMA PROMESSA?

Vai fechar o banco central, Milei? A nova declaração do presidente da Argentina sobre o futuro do BC do país

17 de maio de 2024 - 18:45

O presidente argentino está na Espanha e deu diversas declarações polêmicas a um público que o aplaudiu calorosamente; veja o que mais ele disse

O CUSTO DA NOVA ORDEM MUNDIAL

Xi Jinping na Rússia: o presidente da China está disposto a pagar o preço pela lealdade de Putin?

16 de maio de 2024 - 18:37

O líder chinês iniciou nesta quinta-feira (16) uma visita de Estado de dois dias à Rússia e muito mais do que uma parceria comercial está em jogo, mas o momento para Pequim é delicado

UM SUSPIRO

Os juros continuarão altos nos EUA? Inflação de abril traz alívio, mas Fed ainda tem que tirar as pedras do caminho

15 de maio de 2024 - 14:54

O índice de preços ao consumidor norte-americano de abril desacelerou para 3,4% em base anual assim como o seu núcleo; analistas dizem o que é preciso agora para convencer o banco central a iniciar o ciclo de afrouxamento monetário por lá

DESINFLAÇÃO ACELERADA

Boas notícias para Milei: Argentina tem inflação de um dígito e Banco Central promove corte de juros maior que o esperado

15 de maio de 2024 - 10:19

Os preços tiveram alta de 8,8% em abril, em linha com o esperado pelo mercado, que estimavam um avanço de preços entre 8% e 9%

UM PRATO QUE SE COME FRIO

A vingança da China: EUA impõem pacote multibilionário de tarifas a carros elétricos chineses e Xi Jinping quer revanche

14 de maio de 2024 - 20:03

O governo chinês disse que o país tomaria medidas resolutas para defender os seus direitos e interesses e instou a administração Biden a “corrigir os seus erros”

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar