🔴 MELHORES MOMENTOS DO MACRO SUMMIT BRASIL 2024 – ASSISTA AQUI

Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Petróleo à vontade

Petrobras (PETR4) bate recorde de produção em 2022 e cumpre as metas operacionais para o ano; veja os destaques

A Petrobras (PETR4) atingiu um novo patamar de produção operada no ano; no refino e vendas, a gasolina e o querosene de aviação foram destaque

petrobras gas natural
Petrobras - Imagem: Petrobras/Divulgação

Os investidores podem até estar com um pé atrás em relação à Petrobras (PETR4) — a troca no comando, as dúvidas quanto ao futuro da política de preços e a possibilidade de revisão do plano estratégico têm gerado ruído no mercado. Mas, no lado operacional, não há do que reclamar: a petroleira tem cumprido com o combinado.

A empresa divulgou há pouco suas métricas de produção e vendas no quarto trimestre de 2022 e, consequentemente, os números referentes ao ano completo. E os números de produção de óleo e gás natural ficaram rigorosamente dentro das projeções fornecidas pela própria companhia.

O dado mais importante, o de produção de óleo e gás natural liquefeito (LGN), foi de 2.154 mil barris de petróleo por dia (Mbpd); a meta era de 2.100, com margem de erro de 4%, para mais ou para menos. A história se repetiu nas métricas de extração de óleo, LGN e gás comercial, assim como nas de óleo e gás total.

Outra informação relevante é a de produção operada: média de 3,64 milhões de barris de óleo por dia (MMboed), um novo recorde anual para a Petrobras — ao longo de 2022, entraram em operação o navio petroleiro Guanabara e a plataforma P-71, ambos na região da bacia de Santos.

Além disso, outras instalações da companhia continuaram se desenvolvendo e ampliando suas atividades, caso da plataforma P-68 e dos navios FPSO Carioca e Guanabara, todos também em campos localizados ao longo da bacia de Santos.

"Fechamos 2022 com a antecipação do 1º óleo da P-71, sexta e última da série de plataformas replicantes a entrar em
operação", destaca o diretor de desenvolvimento da produção da Petrobras, João Henrique Rittershaussen, em comunicado. "Esse projeto nos trouxe aprendizados importantes que nos preparam para os desafios das próximas unidades a entrar em operação”.

Há, ainda, outro ponto relevante: um recorde anual de produção própria da região do pré-sal. A média foi de 1,97 milhões de barris de óleo equivalente por dia, o que representa 73% do total da Petrobras no ano — o número representa um salto de 83% em relação ao que era produzido nessa área há cinco anos.

Petrobras (PETR4): como foi o quarto trimestre?

Considerando apenas os números dos três últimos meses de 2022, a produção média de óleo, LGN e gás natural da Petrobras (PETR4) foi de 2,65 milhões de barris de óleo equivalente por dia, volume estável em comparação com o terceiro trimestre; o pré-sal, sozinho, respondeu por 1,98 MMboed, ou 75% do total.

Já a produção total operada pela Petrobras no quarto trimestre de 2022 foi de 3,70 milhões de barris/dia, uma expansão modesta de 1,5% em relação aos três meses imediatamente anteriores.

Refino e vendas

No que diz respeito às atividades de refino, transporte e comercialização da Petrobras, há uma certa tendência de estabilidade no quarto trimestre em relação ao terceiro: a produção total foi de 1.724 mil barris por dia (-1,5%), enquanto o volume de vendas no mercado interno foi de 1.796 Mbpd (-0,1%).

"As vendas de derivados no quarto trimestre ficaram em linha com as do terceiro, refletindo maiores vendas de gasolina e querosene de aviação (QAV) e redução de vendas nos demais derivados", diz a estatal, destacando que houve um menor consumo de diesel no período; além disso, vendas de nafta foram antecipadas no terceiro trimestre.

E, de fato, o diesel teve um desempenho mais fraco, com a produção recuando 3,8% na base trimestral e as vendas ao mercado interno diminuindo 1,9% — a Petrobras atribui essa baixa à sazonalidade, uma vez que o terceiro trimestre traz um pico de demanda relacionado ao plantio da safra de verão e à atividade industrial.

Gasolina, por sua vez, foi um destaque positivo, com crescimento de 2,6% no volume produzido na base trimestral e as vendas domésticas saltando 10,4%; novamente, a sazonalidade é apontada como fator crucial, desta vez com o crescimento no tráfego de veículos leves no fim de ano.

Petrobras: energia vai bem

Se o segmento de refino e as vendas internas desses produtos não foram particularmente empolgantes no último trimestre de 2022, o mesmo não pode ser dito quanto ao braço de energia da Petrobras: a geração de eletricidade aumentou 41% em relação ao terceiro trimestre, beneficiada pelo retorno à operação da Usina Termorio.

As vendas de gás natural para o consumo interno chegaram a 53 bilhões de litros por dia, baixa de 3,6% na base trimestral; a importação da Bolívia compensou parcialmente a redução na regaseificação do gás liquefeito.

Compartilhe

A PARTIR DE 2025

Saiba como a maior produtora de alumínio do país pretende reduzir emissões em até 30% — parte da resposta: com um investimento de R$ 1,6 bilhão

13 de abril de 2024 - 13:13

A multinacional norueguesa Hydro do ramo de alumínio projeta reduzir em cerca de um terço a intensidade de emissão de dióxido de carbono (CO2) nas operações brasileiras a partir de 2025.  A controladora das maiores operações de alumina e alumínio primário no Brasil diz que a previsão é que a meta seja alcançada após a […]

VITÓRIA!

Prio (PRIO3) fica com 100% de Wahoo: como a vitória deve aumentar a produção da petroleira; ações sobem na bolsa

12 de abril de 2024 - 13:05

A empresa recebeu uma decisão favorável da Câmara de Comércio Internacional em um processo arbitral relacionado à concessão BM-C-30, no campo de Wahoo

REESTRUTURAÇÃO DE DÍVIDAS

Light (LIGT3) assina acordos com credores, em novo passo em direção ao fim da recuperação judicial; ações caem na B3

12 de abril de 2024 - 11:46

Foram celebrados dois acordos com credores e debenturistas envolvendo as subsidiárias Light Sesa e Light Energia; entenda o que vem pela frente

ENGORDOU O PATRIMÔNIO

CEO da Nvidia fica quase R$ 3 bilhões mais rico em um dia. Conheça o bilionário que quase dobrou de fortuna em 2024

11 de abril de 2024 - 18:03

Jensen Huang é a 19º pessoa mais rica do planeta, de acordo com a revista Forbes, com um patrimônio avaliado em US$ 79,5 bilhões (R$ 404 bilhões)

ENTENDA O CASO

Justiça embarga obras de complexo bilionário da JHSF (JHSF3) no interior de São Paulo

11 de abril de 2024 - 16:01

A decisão aconteceu após pedido do Ministério Público, que afirma que a JHSF e outras duas companhias burlaram regras de licenciamento ambiental

DESISTIU DA BATALHA?

Gafisa (GFSA3): Esh Capital diminui participação após perder disputa sobre assembleia; ações caem 6% na B3

11 de abril de 2024 - 11:24

A gestora de Vladimir Timerman reduziu a participação na Gafisa de 20% para 4% do capital

FOI DADA A LARGADA

Oferta de ações da Boa Safra (SOJA3): companhia pretende levantar até R$ 388 milhões com nova emissão

11 de abril de 2024 - 9:48

Empresa pretende usar os recursos para expandir o negócio de armazenamento; controladores se comprometeram a colocar dinheiro novo na oferta

VOO DE FRANGO?

BRF (BRFS3) volta a ser empresa “de dono” e mais que dobra de valor na B3. O que está por trás da disparada — e o que esperar das ações

11 de abril de 2024 - 6:13

Agora “oficialmente” sob controle da Marfrig, BRF acumula alta de mais de 170% em 12 meses na B3; saiba o que os analistas pensam da empresa de proteínas

DINHEIRO NO BOLSO

Santander (SANB11) vai depositar R$ 1,5 bilhão na conta dos acionistas; saiba mais sobre os proventos anunciados pelo banco

10 de abril de 2024 - 18:37

Terá direito ao provento quem estiver na base de investidores do banco ao final do pregão de 19 de abril

PISOU NO ACELERADOR

Cury (CURY3) inicia o ano lançando quase R$ 2 bilhões e executivo diz por que a construtora foi na contramão do mercado

10 de abril de 2024 - 18:24

De acordo com Leonardo Mesquita, vice-presidente comercial da construtora, a decisão de lançar mais no início do ano já é adotada há alguns anos e tem um propósito

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies