🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
STAY PERIOD

Justiça decide prorrogar blindagem da Oi (OIBR3) contra credores para garantir recuperação judicial da operadora

O juízo da 7ª vara empresarial da comarca da capital do Rio de Janeiro aprovou a prorrogação do “stay period” da operadora por 90 dias corridos

Camille Lima
Camille Lima
12 de dezembro de 2023
11:35 - atualizado às 10:56
oi oibr3 telecom
Imagem: Shutterstock

A Justiça concordou em prorrogar a “blindagem” da Oi (OIBR3) contra seus credores por mais três meses. O objetivo da decisão é assegurar a continuidade do processo de recuperação judicial da companhia.

O juízo da 7ª vara empresarial da comarca da capital do Rio de Janeiro aprovou a extensão do stay period — prazo pelo qual as ações e execuções de dívida ficam suspensas durante o processo de reestruturação — por 90 dias corridos.

É importante destacar que a “blindagem” não se restringirá à Oi S.A. Ela também protegerá a Portugal Telecom e a Oi Brasil Holdings contra os credores.

As ações da Oi (OIBR3) operam em alta no pregão desta terça-feira (12). Por volta das 10h38, os papéis avançavam 1,49%, negociados a R$ 0,68.

Os detalhes da blindagem

Segundo a Oi (OIBR3), a necessidade de 90 dias adicionais devia-se à “magnitude e complexidade” da recuperação judicial.

Além disso, como os prazos para apresentação de documentos do plano de recuperação judicial definitivo acabariam após o término inicial do período de blindagem (de 180 dias), isso inviabilizaria a realização da Assembleia Geral de Credores neste mês, de acordo com a operadora telefônica.

Vale lembrar que, caso o stay period chegasse ao fim e a Justiça decidisse não prorrogar a blindagem, as empresas do grupo ficariam sujeitas a execuções de credores e constrição de bens de seu patrimônio — um exemplo disso seria a penhora dos bens como forma de garantir o pagamento das dívidas.

Com a constrição, o grupo Oi perderia o direito de decidir sobre o futuro de seus próprios bens de forma livre, o que impediria eventuais vendas ou outras operações. 

Segundo a Oi, isso causaria um risco iminente de inviabilização da recuperação judicial, o que poderia gerar prejuízo não só para o grupo, como também para todos credores. 

O plano de recuperação judicial da Oi (OIBR3)

Em meados de novembro, o presidente da Oi (OIBR3), Rodrigo Abreu, disse que a operadora está renegociando com os credores os parâmetros do plano de recuperação judicial definitivo

O plano original prevê a venda de ativos, como a ClientCo — unidade de negócios com os clientes de banda larga — e a participação da V.tal, operadora de fibra óptica que se tornou praticamente o único ativo da Oi.

A companhia já deu a largada no processo ao comunicar a contratação do Citi e do BTG Pactual para sondar o interesse de mercado pela ClientCo.

No plano divulgado em maio, a Oi projetou para 2025 a venda de 40% de participação na ClientCo, com valor estimado em R$ 4,8 bilhões. O desfecho do negócio, no entanto, pode ser antecipado. Os valores também podem variar.

Vale lembrar que, em outubro, a Oi (OIBR3) não conseguiu fechar a venda de outro ativo. Isso porque a Sky decidiu voltar atrás na compra da “base DTH”  — base de clientes pós-pagos do serviço de TV por assinatura via satélite — da companhia.

A empresa também está na etapa final do grupamento de ações que começou em dezembro do ano passado na esteira do primeiro processo de recuperação judicial, realizando uma série de leilões dos papéis.

Compartilhe

ATENÇÃO, INVESTIDOR

Dividendos: Banco do Brasil (BBAS3) anuncia R$ 1,1 bilhão em JCP — em proventos antecipados do 2T24

24 de maio de 2024 - 18:52

Para ter direito à remuneração, é necessário possuir ações do BB até o fim do pregão de 23 de junho

TRAGAM A COROA

Tchau, Itaú (ITUB4): Nubank (ROXO34) se torna o banco mais valioso da América Latina pela primeira vez em dois anos

24 de maio de 2024 - 17:24

Atualmente, o banco digital é avaliado em US$ 56,19 bilhões, equivalente a R$ 290,52 bilhões nas cotações atuais

DONA DO CHATGPT

De demissões a polêmicas em Hollywood: por que a gestão de Sam Altman à frente da OpenAI vem sendo alvo de críticas

24 de maio de 2024 - 16:24

Desde que recuperou o trono de CEO em novembro, Sam Altman viu a empresa que fundou adentrar uma nova onda de intrigas — incluindo uma controvérsia com a atriz Scarlett Johansson e acordos altamente restritivos com antigos funcionários

APERTO DE MÃOS

Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) anunciam acordo de cooperação para ‘mesclar’ malhas aéreas em meio a rumores de fusão das empresas

24 de maio de 2024 - 8:34

Entre as novas rotas compartilhadas, os clientes terão à disposição também oportunidades mais convenientes de conexão

UMA BATALHA DE GIGANTES

Mercado Livre quer se tornar maior banco digital do México — mas expansão do Nubank pode atrapalhar os planos

23 de maio de 2024 - 20:04

O banco do cartão roxo liderou a adição de usuários ativos mensais (MAU) no país, de acordo com relatório do Bank of America

UM AUXÍLIO PARA A DANÇA DAS CADEIRAS

Vale (VALE3) contrata consultoria internacional para seleção de novo CEO e dá mais um passo no processo de sucessão do comando

23 de maio de 2024 - 19:22

A escolhida para assessorar o conselho de administração na busca foi a Russell Reynolds, que entregará uma lista de três possíveis nomes para o cargo ao CA

Mais uma espera

Americanas (AMER3) adia novamente a divulgação dos balanços de 2023 e do primeiro trimestre de 2024

23 de maio de 2024 - 19:13

Previsão da empresa era divulgar seus números em 28 de maio, mas investigação de comitê independente ainda não terminou

NOVAS ESTRUTURAS?

Sanepar (SAPR11) estuda criar holding e outras empresas para segregar negócios; entenda

23 de maio de 2024 - 18:46

O levantamento será elaborado pela Fundação Instituto de Administração (FIA), que terá um prazo de 240 dias para concluir os trabalhos

CHUVA DE PROVENTOS?

Petrobras (PETR4) é a segunda empresa que mais pagou dividendos no 1T24 apesar da polêmica com governo; saiba quem foi a campeã

23 de maio de 2024 - 16:15

Entre janeiro e março deste ano, a estatal depositou um total de US$ 2,03 bilhões em remuneração aos acionistas; veja a lista completa

PAPEL FICOU BARATO?

XP quer recomprar até R$ 1 bilhão em ações após papéis despencarem 14% com o balanço do 1T24

23 de maio de 2024 - 13:28

O conselho de administração da companhia aprovou um programa de recompra de ações de papéis classe A no mercado norte-americano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar