🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2.000,00 POR DIA – VEJA COMO

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
CAPITAL ABERTO

Giro corporativo: Petrobras, Oi, CSN Mineração e Gafisa

A Petrobras (PETR4) e a CSN Mineração (CMIN3) vão engordar o caixa, mas por motivos bem distintos. Confira alguns dos destaques do giro corporativo

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
17 de janeiro de 2023
9:08 - atualizado às 11:20
Sede da Petrobras
Sede da Petrobras - Imagem: Reprodução

A Petrobras (PETR4) e a CSN Mineração (CMIN3) vão engordar o caixa, mas por motivos bem distintos. A Oi (OIBR3) decidiu jogar a toalha e retirou as projeções para o negócio da empresa dentro do plano estratégico feito em 2021, enquanto a Gafisa (GFSA3) anunciou a convocação de uma nova assembleia de acionistas.

Leia a seguir alguns dos destaques do giro corporativo desta terça-feira:

Petrobras (PETR4): devolução de R$ 456 milhões

O acerto de contas pelo escândalo de corrupção na Petrobras (PETR4) ainda não terminou. A estatal recebeu a devolução de aproximadamente R$ 456 milhões da UOP LLC, uma subsidiária da Honeywell International.

O dinheiro recuperado faz parte de acordo de leniência da empresa com a Controladoria Geral da União (CGU) e a Advocacia Geral da União (AGU).

O acerto envolveu uma atuação coordenada com Ministério Público Federal (MPF) e autoridades norte-americanas, de acordo com a Petrobras, que não teve acesso ao acordo.

CSN Mineração (CMIN3): pré-pagamento de US$ 500 milhões

A CSN Mineração (CMIN3) fechou acordo de fornecimento de longo prazo de minério de ferro com a trader suíça Glencore International. A companhia vai receber um pré-pagamento de até US$ 500 milhões (R$ 2,6 bilhões, no câmbio atual) por aproximadamente 13 milhões de toneladas.

O fornecimento tem prazo de quatro anos, com início em 2024. O desembolso ocorrerá quando forem cumpridas certas condições precedentes, habituais para este tipo de transação, de acordo com a CSN Mineração.

Oi (OIBR3) retira guidance

Os acionistas da Oi (OIBR3) já não podem mais contar com as projeções (guidance) para o negócio da companhia. Isso porque a operadora anunciou a retirada das estimativas operacionais e financeiras divulgadas em julho de 2021.

No documento, a Oi fazia uma série de projeções sobre a receita líquida e crescimento do negócio de fibra ótica dentro do plano estratégico. Havia a expectativa, por exemplo, de que a "nova Oi" registrasse um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) entre R$ 1,9 bilhão e R$ 2,3 bilhão em 2024.

A empresa decidiu retirar o guidance diante das "relevantes mudanças no cenário macroeconômico brasileiro e a consequente contrapartida no ambiente competitivo e nas necessidades de financiamento da companhia". Leia a íntegra do comunicado.

Gafisa (GFSA3) atende pedido da Esh e convoca nova assembleia

Pouco mais de uma semana após a última assembleia geral extraordinária da Gafisa (GFSA3), a companhia anunciou que fará outro encontro de acionistas em 10 de fevereiro. A nova AGE foi solicitada novamente pela Esh Capital, acionista da empresa cujo pedido também foi responsável pela convocação anterior.

A proposta da gestora foi derrotada no encontro de janeiro, mas não desistiu da batalha pública que trava contra o empresário Nelson Tanure e outros controladores da Gafisa. Agora ela pede a suspensão dos direitos políticos da Planner, MAM Asset, Trustee Distribuidora, Banco Master e pessoas físicas e jurídicas que tenham qualquer tipo de ligação com Tanure até que uma oferta pública de aquisição (OPA) seja realizada com base na poison pill — ou pílula de veneno.

O dispositivo está presente no estatuto das empresas e é utilizado para dificultar a tomada de controle de uma empresa com capital pulverizado na bolsa. No caso da Gafisa, o estatuto social determina que qualquer investidor que atingir 30% do capital precisa lançar uma oferta pública de aquisição das ações dos demais acionistas.

Vale destacar que, antes da última assembleia, Nelson Tanure e outros controladores da empresa fortaleceram a posição para a votação. A MAM Asset Management, gestora do Banco Master e veículo de investimentos do empresário, aumentou para 20,54% sua participação na Gafisa.

O argumento da Esh é o de que por mais que a MAM não tenha ultrapassado a linha dos 30%, a fatia detida pela asset, somada a eventuais participações detidas por Tanure e outros veículos ligados a ele, atingiram cerca de 44,33%, marca que dispararia a poison pill e exigiria a realização de uma OPA.

Compartilhe

O boi Subiu no telhado?

Sinal vermelho para a Minerva (BEEF3): autoridade uruguaia barra compra de plantas de abate da Marfrig (MRFG3) no país

21 de maio de 2024 - 18:38

O negócio faz parte de uma transação de R$ 7,5 bilhões anunciada em agosto do ano passado; Minerva deve recorrer da decisão

LUCHA LIBRE DAS FINTECHS

Como o Mercado Livre (MELI34) pretende enfrentar o Nubank em disputa pelo mercado do México

21 de maio de 2024 - 17:26

O Mercado Pago está em busca de uma licença bancária para se estabelecer como “o maior banco digital do México”, em uma briga direta com o Nu

FICOU BARATA?

Ação da Suzano não para de cair na B3 — e esse bancão vê dois futuros possíveis para SUZB3. É hora de abocanhar os papéis?

21 de maio de 2024 - 12:28

O BTG Pactual acredita que a intensa desvalorização recente abriu uma oportunidade de se tornar sócio da companhia a preços muito baixos — mas há riscos no radar

NADANDO COM TUBARÕES

Adeus, Shark Tank? Justiça acata recuperação judicial da Polishop, de João Appolinário

21 de maio de 2024 - 12:16

Em meio a cobranças e ações de despejo, recuperação judicial protege a Polishop de seus credores por 180 dias

TENTATIVA DE RECUPERAÇÃO

Unigel obtém acordo com credores para reestruturar dívida de mais de R$ 4 bilhões

21 de maio de 2024 - 9:40

A empresa de químicos começou a romper compromissos com alguns credores em setembro de 2023, antes de entrar com a proposta de recuperação

REPORTAGEM ESPECIAL

Pão de Açúcar (PCAR3) volta às origens e tenta se reinventar após “desmanche” no fim da era Casino

21 de maio de 2024 - 6:19

Situação do Pão de Açúcar pode mudar à medida que a atual administração consiga trazer a operação de volta à rentabilidade; saiba o que esperar das ações da rede de supermercados

AVAL DOS MUNICÍPIOS

Sinal verde para privatização: Municípios de SP aprovam “último passo” para desestatizar a Sabesp (SBSP3)

20 de maio de 2024 - 18:47

No passo final do processo de desestatização, centenas de prefeitos de São Paulo assinaram um contrato unificado com a companhia de saneamento

DE OLHO NAS REDES

Interferência na Petrobras ainda vai longe? Os planos de Lula para a empresa não agradam nem um pouco o mercado — e agora? 

20 de maio de 2024 - 18:11

Os ruídos dentro na Petrobras (PETR4) não são de agora e a principal preocupação do investidor de PETR4 é a influência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na estatal.  Enquanto o governo quer que a estatal faça cada vez mais investimentos, o mercado enxerga que isso pode ser um perigo, dado o risco de […]

ENTENDA O IMBRÓGLIO

Vibra (VBBR3) compra seu edifício-sede no Rio, mas transação causa impasse para investidores de CRI e fundos imobiliários

20 de maio de 2024 - 17:02

Não se trata de um calote como os vistos no mercado de CRI no ano passado, mas sim de uma situação muito mais complexa do ponto de vista jurídico

MAIOR CAUTELA

Fusão entre Petz (PETZ3) e Cobasi anima analistas — mas esse bancão ainda vê potencial de alta limitado para ações

20 de maio de 2024 - 16:02

Bank of America elevou o preço-alvo dos papéis da Petz nesta segunda-feira (20), mas manteve recomendação neutra; entenda

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar