🔴 [TESTE GRÁTIS] NOVO APP PODE GERAR ATÉ R$ 680 POR DIA COM 3 CLIQUES – CONHEÇA

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
RISCOS DO PAPEL

Três fundos imobiliários despencam na B3 após calote de CRI; devedor promete quitar saldo ainda hoje

Os fundos deveriam ter recebido o pagamento de juros e amortização do CRI Circuito de Compras em 22 de fevereiro

Larissa Vitória
Larissa Vitória
7 de março de 2023
14:29 - atualizado às 14:51
Imagem mostrando casas de brinquedo enfileiradas, com uma seta vermelha que sobe e desce sobre os telhados. É um símbolo do desempenho dos fundos imobiliários (FIIs) | Dividendos RECR11 fundo imobiliário Maxi Renda MXRF11 KINP11 CPTS11 HCTR11
Fundos imobiliarios (FIIs) - Imagem: iStock

Os fundos Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11), Hectare CE (HCTR11) e Versalhes RI (VSLH11) iniciaram a semana com o pé esquerdo. Após anotarem os maiores recuos do IFIX — índice que reúne os principais FIIs da B3 — ontem, os fundos seguem em forte queda nesta terça-feira (7).

E o motivo por trás do mau desempenho é o mesmo para os três ativos: a inadimplência de um Certificado de Recebível Imobiliário (CRI) presente nos portfólios. 

Os fundos deveriam ter recebido o pagamento de juros e amortização do CRI Circuito de Compras em 22 de fevereiro. O título estruturado pela Forte Securitizadora foi emitido para financiar a construção de um shopping popular no Brás, bairro da capital paulista, e vence em junho de 2025.

Com o calote, os três fundos já acumulam quedas bruscas nesta semana. O maior recuo é o de 10% registrado pelo DEVA11, enquanto HCTR11 e VSLH11 caem 7,7% e 6,6%, respectivamente, desde a última segunda-feira (6).

Os tombos não são proporcionais à participação do CRI nos portfólios. Segundo o último relatório gerencial, o Hectare CE é quem está mais exposto ao título, com uma alocação que corresponde a 7,32% do patrimônio líquido.

Na carteira do Devant Recebíveis Imobiliários essa participação é de 4,88%, enquanto no portfólio do Versalhes RI a exposição do PL ao CRI é de 3,57%.

Fundos imobiliários devem receber pagamento ainda hoje

Em comunicado enviado à Vórtx, administradora dos três fundos imobiliários, a Fortsec informou que mantém contato com a emissora do CRI para esclarecer o inadimplemento e regularizar a situação financeira.

Vale destacar que, como é de praxe no mercado, o título oferece garantias para situações como essa. Entre elas, está a alienação de 90% da participação do devedor no empreendimento e a cessão dos recebíveis atrelados ao imóvel.

Mas, de acordo com a securitizadora, o acionamento dessas garantias não será necessário: a devedora comprometeu-se a quitar os valores devidos ainda hoje.

Procurada pelo Seu Dinheiro, a gestora do FII HCTR11 confirmou o recebimento do pagamento com atraso e os juros previstos no contrato.

Já a RCap, responsável pela gestão do VSLH11, afirmou que publicará, em conjunto com a administradora, uma nota sobre o tema mais tarde, após o fechamento do mercado.

A Devant Asset ainda não enviou um posicionamento oficial. Essa nota será atualizada caso a posição da gestora do FII DEVA11 seja recebida.

Compartilhe

FECHAMENTO DO MERCADO

Dólar supera os R$ 5,46: por que a moeda norte-americana voltou a subir e fechou no maior nível em quase dois anos

20 de junho de 2024 - 17:34

O dólar abriu o dia em queda, mas o alívio pós-decisão do Copom durou pouco e a moeda emendou o quinta pregão consecutivo de ganhos

GESTORAS

Studio Investimentos muda gestão de fundo após queda acumulada de mais de 30% no ano

20 de junho de 2024 - 16:57

A saída aconteceu pela necessidade de “alterar e reforçar a gestão” da família de fundos da casa, de acordo com a Studio, que tem R$1 bilhão sob gestão

(MAIS) DINHEIRO NO BOLSO

Os dividendos deste fundo imobiliário com mais de 40 mil cotistas devem subir nos próximos meses, segundo os cálculos da gestão

20 de junho de 2024 - 15:07

O SNCI11 já pagará proventos cerca de 5% maiores neste mês e, com um novo cenário macroeconômico traçado pelo mercado, a gestão espera dividendos ainda maiores

LADEIRA ABAIXO

Ações da rede social de Trump chegam a cair 15% hoje — o que explica a queda livre dos papéis?

20 de junho de 2024 - 14:11

A empresa que controla Truth Social perdeu US$ 2 bilhões em valor desde o início do mês; entenda o que está acontecendo com os papéis

AS QUERIDINHAS DA BAIXA RENDA

Cinco fatores por trás do otimismo com as ações de Direcional (DIRR3) e Cury (CURY3) — e qual delas é a favorita do Itaú BBA

20 de junho de 2024 - 13:21

O banco de investimentos revisou as suas estimativas para ambas as companhias e reforçou a visão positiva para o setor

MERCADOS HOJE

Lula não gostou, mas o mercado sim: após decisão de manter Selic em 10,5% e comunicado duro, Ibovespa salta 1% hoje

20 de junho de 2024 - 12:15

No mesmo horário, o dólar à vista era negociado próximo da estabilidade, ainda na faixa de R$ 5,40, reagindo ao cenário internacional

REPORTAGEM ESPECIAL

Taesa (TAEE11) e ISA Cteep (TRPL4): por que parte do mercado aposta na queda das ações preferidas dos “caçadores de dividendos”

20 de junho de 2024 - 6:18

Duas das principais transmissoras de energia do País, Taesa e ISA Cteep vêm recebendo desde o ano passado recomendações de “venda” de analistas

MOEDA EM ALTA

Não para de subir: dólar salta para R$ 5,47 hoje — e desta vez, o responsável não é (só) Lula

19 de junho de 2024 - 11:46

O feriado nos Estados Unidos reduziu a liquidez do dia, contribuindo com a volatilidade, além da aversão ao risco em relação à expectativas com o fim da reunião do Copom

DESTAQUES DA BOLSA

Ações de desenvolvedora imobiliária disparam mais de 5% na bolsa após contratação de banco para venda de ativos, incluindo hotéis em SP

18 de junho de 2024 - 11:22

A HBR Realty contratou o Bradesco BBI para ajudar na execução da estratégia de reciclagem de ativos da companhia

DE OLHO NAS REDES

O Brasil não tem condições para uma Selic de um dígito em 2024: por que este estrategista acredita ser impossível juros abaixo de 10% em 2024

17 de junho de 2024 - 16:41

Com a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) se aproximando, o mercado parece está cada vez menos esperançoso sobre os cortes na taxa básica de juros, a Selic. Para Rogério Benevente, sócio da GWM Investments e convidado desta semana do podcast Touros e Ursos, “é impossível pensar numa Selic abaixo de 10% em […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar