A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2022-08-04T16:34:43-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Quebrando o porquinho

Saques da caderneta de poupança chegam a R$ 12,7 bilhões em julho e já ultrapassam os R$ 63 bilhões no ano

Mês tem terceira maior captação líquida negativa do ano para a aplicação mais popular do país, que só teve captação positiva em maio

4 de agosto de 2022
16:34
Porquinho quebrado com dinheiro dentro e um martelo ao lado | Poupança Reserva de emergência
O brasileiro anda precisando de dinheiro, e quem tem dinheiro guardado está quebrando o porquinho. Imagem: Shutterstock

Para enfrentar a inflação e tentar voltar à vida normal após a pandemia, o brasileiro está sacando as suas economias em 2022. Segundo o último relatório de poupança do Banco Central, a caderneta de poupança teve resgates líquidos no valor de R$ 12,7 bilhões em julho, mês com a terceira maior captação negativa do ano para a aplicação mais popular do país.

A cifra corresponde à diferença entre depósitos no valor de R$ 290,4 bilhões e resgates no valor de R$ 303,1 bilhões.

Com isso, a caderneta de poupança totaliza mais de R$ 63 bilhões em saques líquidos no acumulado do ano, com R$ 2,048 trilhões em depósitos e R$ 2,111 trilhões em resgates. O saldo na aplicação no fim do mês passado era de pouco mais de R$ 1 trilhão.

Neste ano, a captação líquida da poupança só foi positiva no mês de maio, quando os brasileiros fizeram depósitos líquidos no valor de R$ 3,5 bilhões.

Os meses de janeiro e março tiveram os maiores resgates líquidos, nos valores de R$ 19,7 bilhões e R$ 15,4 bilhões, respectivamente.

Brasileiro anda precisando de dinheiro

Essa tendência de resgate líquido da poupança no ano de 2022 pode ser explicada por basicamente dois fenômenos interligados: a retomada econômica após a forte redução na atividade durante o pior momento da pandemia e a escalada da inflação.

Na última terça-feira (02), o presidente do Fórum de Distribuição da Anbima, Ademir Correa, já havia comentado sobre o fenômeno durante uma entrevista coletiva da entidade, relembrando que, de março a dezembro de 2020, fase mais aguda da pandemia, a poupança viu depósitos líquidos em todos os meses, terminando o ano com captação líquida positiva.

No momento do aperto e com a concessão de auxílios sociais por parte do governo, o brasileiro optou por poupar mais; mas desde que as restrições da pandemia começaram a se afrouxar e os auxílios foram sendo reduzidos, a tendência contrária pôde ser observada.

No ano passado, por exemplo, a poupança já teve resgate líquido no ano, no valor de R$ 35,5 bilhões, refletindo o fim dos auxílios e a retomada econômica. O processo prossegue neste ano, mas com o aumento do valor do Auxílio Brasil pelo governo, pode ser que a caderneta volte a ter captação líquida positiva nos próximos meses.

Além disso, a escalada da inflação obrigou o brasileiro a pagar mais caro por praticamente tudo e, com isso, ele precisou mexer mais nas suas economias. Ao mesmo tempo, a própria retomada do consumo ao longo de 2021 e 2022 já é, por si só, um dos fatores que alimentam a inflação.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

A Itaúsa (ITSA4) esperou até o último dia da temporada de balanços para revelar os números do segundo trimestre. E a paciência dos investidores não foi recompensanda: a companhia lucrou R$ 3 bilhões, uma queda de 12,5% na comparação com o mesmo período do ano passado. O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) sobre o […]

BALANÇO

Resultado da Méliuz (CASH3) piora e empresa de cashback registra prejuízo líquido de R$ 28,2 milhões no segundo trimestre

15 de agosto de 2022 - 19:07

Os papéis da Méliuz amargam perdas de 87% no ano, mas entraram no mês de agosto em tom mais positivo, com ganho mensal de 7%

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Magazine Luiza (MGLU3) dá a volta por cima, XP vai às compras e futuro do ethereum; confira os destaques do dia

15 de agosto de 2022 - 18:52

Há pouco mais de dois meses, quando conversei com diversos analistas e gestores de mercado sobre as expectativas para o segundo semestre, poucos foram aqueles que apostaram nos setores de grande exposição à economia doméstica como boas alternativas para a segunda metade do ano.  Não que empresas ex-queridinhas como Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e […]

ACIONISTAS FELIZES

Dividendos: Itaúsa (ITSA4) pagará JCP adicional e data de corte é nesta semana; veja como receber

15 de agosto de 2022 - 18:47

Vale lembrar que, após a data de corte, as ações serão negociadas “ex-direitos” e passarão por um ajuste na cotação referente aos proventos já alocados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies