🔴 [TESTE GRÁTIS] NOVO APP PODE GERAR ATÉ R$ 680 POR DIA COM 3 CLIQUES – CONHEÇA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
CAIMENTO PERFEITO

Do guarda-roupa pra carteira: Lojas Renner (LREN3), Guararapes (GUAR3) ou C&A (CEAB3)? XP elege as ações preferidas do varejo de vestuário

Apesar de indicar alguns papéis do setor, a corretora diz que ainda há incertezas importantes sobre uma recuperação mais estrutural da demanda para o segmento

Carolina Gama
20 de setembro de 2022
16:36 - atualizado às 16:45
Magazine Luiza
Imagem: Shutterstock

Assim como uma roupa deve ter um caimento perfeito, uma carteira de ações também precisa estar alinhada com o momento econômico e do mercado. De olho nisso, a XP escolheu entre Lojas Renner, Guararapes (GUAR3) e C&A(CEAB3) as suas favoritas do varejo de vestuário

A corretora iniciou a cobertura de Guararapes com recomendação de compra e preço-alvo de R$15 por ação — o que representa um potencial de valorização de 61% em relação ao fechamento de segunda-feira (20). 

A Lojas Renner também recebeu o selo de indicação de compra da XP, enquanto a C&A ficou de fora desse grupo, com recomendação neutra. 

Por que comprar Guararapes (GUAR3)

A XP baseou a recomendação para Guararapes (GUAR3) baseada em quatro fatores: 

  • posicionamento forte e democrático; 
  • estrutura verticalizada, um diferencial em relação aos pares; 
  • alavancas de crescimento à frente; 
  • valuation atrativo.

De acordo com a corretora, a Guararapes tem um valuation de 11,8 vezes preço/lucro (P/L) em 2023 — um desconto de 42% em comparação aos concorrentes brasileiros, e de 47% em relação aos concorrentes globais.

E Lojas Renner (LREN3) e C&A (CEAB3)?

Na visão da XP, o processo de transformação da Guararapes (GUAR3) vem mostrando resultados, com menor liquidez e riscos de execução. 

Já a Lojas Renner é o nome mais defensivo entre as empresas de varejo de vestuário pela alta liquidez e qualidade do papel, que historicamente supera os concorrentes e está menos exposta ao cenário macroeconômico. 

No caso da C&A, a recomendação seguiu neutra porque a companhia está passando por um forte ciclo de investimentos para cobrir algumas lacunas em relação aos concorrentes, além de ser mais exposta ao cenário macroeconômico dado o posicionamento da empresa. 

Macro permanece um ponto de atenção

O sentimento dos investidores melhorou consideravelmente no último mês, segundo a XP, com as perspectivas do segundo semestre se mostrando melhores do que o esperado inicialmente frente à desaceleração da inflação, ao estímulo de renda, aos dados de emprego melhores do que o esperado; e a uma dívida pública em declínio em base anual.

No entanto, a corretora diz que ainda há incertezas importantes sobre uma recuperação mais estrutural da demanda para o setor varejista, como:

  • riscos de recessão global; 
  • campanhas presidenciais brasileiras; 
  • riscos fiscais.

Compartilhe

Alerta de proventos

Dividendos e JCP: Lojas Renner (LREN3), Copasa (CSMG3) e Sanepar (SAPR4) anunciam distribuição de quase meio milhão de reais; confira os prazos

20 de junho de 2024 - 19:10

Valores serão pagos aos acionistas que tiverem as ações das três companhias em junho

Novo guidance

Nem assim a Vale (VALE3) agradou: mineradora revisa estimativas, mas novos números não dão fôlego às ações na bolsa

20 de junho de 2024 - 16:56

Companhia informou novos números sobre Salobo (Pará) e Sadbury (Canadá), entre outros ativos

LEVANTAMENTO DA QUANTUM

Americanas (AMER3) ou Oi (OIBR3): qual é a empresa mais endividada da bolsa brasileira? Confira o ranking das maiores recuperações judiciais da B3

20 de junho de 2024 - 14:18

A disputa foi acirrada, já que ambas as companhias registram dívidas na casa dos R$ 50 bilhões; veja quem liderou o “pódio ingrato”

SINAL VERDE

Justiça acata recuperação extrajudicial do Grupo Casas Bahia (BHIA3) e varejista ganha prazo maior para pagar dívida bilionária

20 de junho de 2024 - 8:20

O cronograma de pagamentos se estendeu de 22 meses para 78 meses — ou de pouco menos de dois anos para seis anos e meio

NA POSSE

A Petrobras (PETR4) vai mudar de novo? As declarações de Lula sobre lucro e impostos da estatal — “Haddad vai ficar feliz”

19 de junho de 2024 - 19:33

O presidente discursou na cerimônia de posse de Magda Chambriard, que assume o comando da petroleira — e deu pistas sobre o que pretende fazer com a empresa daqui para frente

UM EXTRA NA CONTA

Acionistas do Itaú (ITUB4) devem receber mais dividendos bilionários até o fim de 2024 — e quem diz isso é o CEO do bancão

19 de junho de 2024 - 13:09

Milton Maluhy Filho afirmou ter convicção de que uma nova rodada de proventos extraordinários será anunciada neste ano — mas há outras possibilidades para os recursos do banco, incluindo aquisições

QUEM FICARÁ COM ELA

Bola dividida na Sabesp (SBSP3): veja três concorrentes ao posto de acionista de referência na privatização da companhia

19 de junho de 2024 - 10:10

O cobiçado posto está em disputa; afinal, o acionista de referência poderá apontar o nome do futuro presidente da Sabesp, bem como ter outras regalias dentro da companhia

AVANÇO NO PRJ

Light (LIGT3) recebe luz verde da Justiça para plano de recuperação judicial — e terá que pagar R$ 30 mil para alguns credores logo de cara

19 de junho de 2024 - 8:48

Serão contemplados cerca de 28 mil credores da Light, ou 60% dos detentores de dívidas da empresa de energia

QUARTETO DE INFRAESTRUTURA

As 4 ações de energia para se ‘blindar’ do sobe e desce do Ibovespa em 2024, segundo gestor com mais de R$ 35 bilhões em ativos

19 de junho de 2024 - 6:11

Para Marcelo Sandri, sócio e gestor da Perfin, as ações da Eletrobras (ELET3), Equatorial (EQTL3), Eneva (ENEV3) e Energisa (ENGI3) são opções para proteger a carteira

CORRIDA DAS BIG TECHS

Tchau, Microsoft (MSFT34): Depois de entrar para o “clube do trilhão”, Nvidia (NVDC34) se torna a empresa mais valiosa do mundo

18 de junho de 2024 - 18:04

A fabricante de chips alcançou US$ 3,34 trilhões em valor de mercado nesta terça-feira (18), superando também a Apple (AAPL34)

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar