🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-02-22T19:11:04-03:00
Carolina Gama
BALANÇO

Prestes ter Marfrig (MRFG3) na gestão, BRF (BRFS3) vê lucro subir no quarto trimestre e despencar no ano; confira resultado

Números são divulgados quando a dona da Sadia e da Perdigão está prestes a ter rival presente nas decisões de seu dia a dia

22 de fevereiro de 2022
18:40 - atualizado às 19:11
BRF (BRFS3)
BRF (BRFS3) - Imagem: Shutterstock

No balanço das horas tudo pode mudar, já dizia a música da década de 80. Mas enquanto a Marfrig (MRFG3) ainda não influencia na gestão da BRF (BRFS3), a dona da Sadia e da Perdigão apresentou nesta terça-feira (22) seus resultados do quarto trimestre de 2021.

A companhia de alimentos reportou um lucro líquido de R$ 932 milhões no quarto trimestre de 2021, avanço de 3,3% ante igual período do ano anterior.

No mesmo intervalo, o lucro líquido das operações continuadas foi de R$ 964 milhões, o que representa um aumento de 6,9% em relação ao mesmo período de 2020.  

Já a receita líquida somou R$ 13,724 bilhões no quarto trimestre do ano passado, uma alta de 19,6% na mesma base de comparação. 

No ano, o lucro líquido da BRF caiu 68,5%, para R$ 437 milhões ante 2020. Já o lucro líquido das operações continuadas foi de R$ 517 milhões, uma queda de 62,8%. 

A receita líquida, por sua vez, totalizou R$ 48,343 bilhões, um aumento de 22,5% em 2021 na comparação com 2020.

Razões da performance

A BRF atribuiu sua performance ao agravamento do contexto econômico e social brasileiro que, segundo a empresa, pressionou negativamente a confiança do consumidor. 

A dona da Sadia e da Perdigão também cita incertezas relacionadas à pandemia de covid-19, a redução da renda média das famílias e o cenário inflacionário.

As condições climáticas desfavoráveis para a colheita de milho e soja na América do Sul e a pressão exercida pela ruptura na cadeia de abastecimento também foram citadas pela BRF com fatores que influenciaram seus resultados. 

A produção da BRF 

A BRF comercializou 1,235 milhão de toneladas de produtos entre outubro de dezembro do ano passado, um avanço de 3,1% em comparação com 1,198 milhão de toneladas de um ano antes. 

O volume comercializado de carne de aves e suína in natura e produtos processados somou 619 mil toneladas, 2,1% a menos quando comparado com o ano anterior.

Segundo a empresa, o resultado foi impulsionado pelo maior spread histórico entre a carne bovina e a suína. Além disso, o preço médio dos produtos aumentou 14,7%, para R$ 11,65 o quilo.

Marfrig e BRF: uma nova gestão?

Após o anúncio de que a Marfrig (MRFG3) exerceria influência sobre a administração da BRF (BRFS3), um novo comunicado nesta terça-feira (22) não foi surpresa. A empresa indicou uma chapa para o conselho de administração da companhia — e velhos conhecidos do mercado estão na lista.

Quem preside a chapa é Marcos Molina, fundador e controlador da Marfrig — e que hoje lidera o conselho de administração da companhia. 

GUIA PARA BUSCAR DINHEIRO: baixe agora o guia gratuito com 51 investimentos promissores para 2022 e ganhe de brinde acesso vitalício à comunidade de investidores Seu Dinheiro

A vice-presidência fica com Sergio Rial, que também é presidente do conselho de administração do Santander desde janeiro deste ano. 

Rial é um parceiro de longa data de Molina: ele foi uma das mentes por trás da reestruturação nas finanças da Marfrig num passado não tão distante.

Outros nomes que também farão parte do conselho incluem Marcia Aparecida Pascoal Marçal dos Santos, Augusto Marques da Cruz Filho, Deborah Stern Vieitas, Flávia Maria Bittencourt, Oscar de Paula Bernardes Neto, Pedro de Camargo Neto, Altamir Batista Mateus da Silva e Eduardo Augusto Rocha Pocetti.

O controle da dona da Sadia e Perdigão

A Marfrig é a maior acionista da BRF, seguida pelos fundos de pensão do Banco do Brasil e da Petrobras, com 6,13% e 5,26% do capital total, respectivamente. A Kapitalo Investimentos também tem uma participação relevante, de 5,34%, na empresa. 

No início do mês, uma oferta subsequente de ações ou follow on da BRF movimentou R$ 5,4 bilhões, em operação voltada apenas para grandes investidores.

A ação teve um desconto de 7,5%, saindo a R$ 20. A oferta principal foi de 270 milhões ações com a opção de venda de um lote extra de 54 milhões de papéis, que não foi exercida.

A Marfrig participou do follow on no valor que já possuía, para não ser diluída nem ampliar fatia. A operação permitia ainda que a Marfrig comprasse mais ações da BRF sem acionar o poison pill - mecanismo que protege os sócios minoritários e exigiria a realização de uma Oferta Pública de Ações (OPA) para a compra dos papéis restantes. 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Taxas gordas

Com risco fiscal, retorno de 6% + IPCA volta a ser comum entre títulos Tesouro IPCA+ de longo prazo

6 de julho de 2022

Todos os vencimentos de títulos públicos Tesouro IPCA+ a partir de 2035 já voltaram a pagar a rentabilidade “mágica” desse tipo de ativo

QUEDA DE APORTES

Crise dos unicórnios e demissões em massa têm explicação: investimentos em startups caíram 44% no primeiro semestre

6 de julho de 2022

Inflação global, escalada da alta de juros e a Guerra da Ucrânia geraram incertezas no mercado e “seguraram” os investimentos; as mais afetadas são as startups de late stage e unicórnios

CARA CADÊ MEU DEFI?

Roubo de criptomoedas com ataque hacker levou US$ 1,3 bilhão de plataformas de DeFi em 2022; maior crime foi de US$ 180 milhões

6 de julho de 2022

Mesmo com a alta do dia, os investidores acompanham os desdobramentos do pedido de falência da Voyager Digital

O FANTASMA DA RECESSÃO

Ata do Fed manda recado: saiba se os próximos passos do BC dos EUA podem tirar o sono dos investidores

6 de julho de 2022

Na reunião de junho, o banco central norte-americano elevou a taxa de juro em 0,75 ponto percentual, o maior aumento desde 1994, na tentativa de conter uma inflação que não dá tréguas; será que vem mais por aí?

Está vindo aí

Risco de recessão volta a assustar, petróleo amplia perdas e petroleiras lideram quedas do dia; Hypera (HYPE3) e Americanas (AMER3) sobem forte

6 de julho de 2022

Com a queda do petróleo no mercado internacional, papéis de commodities no Brasil têm maiores quedas nesta quarta-feira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies