O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-03T17:04:24-03:00
Carolina Gama
E AGORA, PUTIN?

Submarino de ataque nuclear: saiba se Biden vai usar a nova arma dos EUA contra a Rússia

No início da invasão da Ucrânia, o presidente russo colocou suas forças de dissuasão, que incluem armas nucleares, em alerta; será que essa é a resposta norte-americana?

3 de abril de 2022
17:04
Submarino no mar
O USS Delaware (SSN 791) retorna à Base Submarina New London após realizar operações de rotina. - Imagem: U.S. Navy/John Narewski

Um dos maiores temores globais é que a invasão da Ucrânia se torne uma guerra nuclear. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, já andou fazendo ameaças neste sentido e agora foi a vez dos EUA. 

Participando de uma cerimônia de comissionamento no sábado (02), o presidente norte-americano, Joe Biden, disse que o USS Delaware — um submarino de ataque nuclear — aumentará a segurança dos EUA. 

Biden prestou homenagem ao compromisso de longa data de sua família com os militares e agradeceu àqueles que deram vida ao navio de guerra.

Detalhes do gigante dos mares dos EUA

O USS Delaware é um submarino de ataque rápido da classe Virginia, movido a energia nuclear. É o sétimo navio de guerra naval com o nome de Delaware — o primeiro estado norte-americano após a assinatura da Constituição do país. 

A construção do submarino de guerra começou em 2013. Ele é maior que um campo de futebol e sua tripulação tem 136 marinheiros. Pode mergulhar a profundidades superiores a 800 pés e operar a velocidades superiores a 25 nós submersos. 

O submarino carrega torpedos e está configurado para lançar mísseis de cruzeiro Tomahawk, que podem atingir alvos a mil milhas de distância com precisão.

Ele também foi projetado para operar por mais de três décadas sem precisar reabastecer, de acordo com um comunicado do Departamento de Defesa dos EUA.

"Esta é uma máquina de combate infernal. Para nossos adversários, deixe-me dizer o seguinte: não mexa com o USS Delaware", disse o senador Tom Carper, na cerimônia.

Saiba mais sobre as sanções impostas à Rússia:

Uma arma na guerra contra Putin?

Embora não tenha feito referência à invasão da Ucrânia, a apresentação formal do USS Delaware acontece em um momento de agravamento das tensões entre EUA e Rússia. 

No início de março, o mundo entrou em estado de alerta quando Putin colocou suas forças de dissuasão — que incluem armas nucleares — em modo de combate.

Na sequência, o que se viu foi a tomada da região onde está a maior usina nuclear da Europa depois que Chernobyl passou ao domínio russo. 

Agora, a luz amarela volta a acender com o USS Delaware. "Como comandante em chefe, acredito que é nossa obrigação sagrada é preparar e equipar as tropas que enviamos para o perigo, e cuidar delas e de suas famílias quando voltarem para casa", disse Biden. 

Durante a cerimônia, o presidente norte-americano afirmou ainda que “faz parte de uma longa tradição servir a nação com orgulho e fortalecer a segurança”. “Na verdade, já está fazendo isso há algum tempo”, acrescentou. 

O comissionamento de sábado ocorreu em meio à guerra na Ucrânia e depois que Biden anunciou um plano orçamentário que propõe gastar US$ 795 bilhões em defesa, o que significaria um aumento para o Pentágono.

Touros e Ursos #102 — terceira via nas eleições

A chamada terceira via ainda tem chances nas eleições depois da saída de Sergio Moro e a polêmica sobre a candidatura de João Doria? Aperte o play e ouça o comentário dos repórteres do Seu Dinheiro:

*Com informações da AP e da CNN

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

'PERGUNTA PRO SACHSIDA'

Bolsonaro se pronuncia sobre ‘fritura’ e possível substituição do presidente da Petrobras (PETR4)

Bolsonaro voltou a dizer que “ninguém vai tabelar preço de combustível”, mas afirmou que a “finalidade social” da Petrobras não está sendo cumprida

BAIXOU A PREVISÃO

Magazine Luiza (MGLU3) rebaixado: JP Morgan corta previsão para ações antes do balanço de amanhã, mas projeção ainda é de alta de quase 50%; entenda motivos

O cenário de alta dos juros deve pressionar o varejo, mas o JP Morgan entende que a empresa está bem posicionada no setor

ESFRIOU

Ano deve ter queda de fusões e aquisições, mas 2022 conta com negócios de grante porte até o momento; relembre algumas delas

Entre os fatores que causaram essa freada, estão a guerra entre Rússia e Ucrânia e a expectativa de desaceleração na China, após lockdowns para conterdos casos de covid

SEU DIA EM CRIPTO

Terra (LUNA) não acompanha recuperação do bitcoin (BTC) neste domingo; criptomoedas tentam começar semana com pé direito

Mesmo com a retomada de hoje, as criptomoedas acumulam perdas de mais de dois dígitos nos últimos sete dias

A COISA VAI ESQUENTAR

Novo capítulo da guerra? Vizinhos da Rússia, Finlândia e Suécia devem se juntar à Otan e tensão na região aumenta

Vladimir Putin, presidente russo, já havia dito que a entrada dos países na Organização exigiria retaliações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies